segunda-feira, 3 de maio de 2021

SAUDADES DE VOCÊ, SABIA?

        


    Faz tempo que mamãe bateu a porta atrás dos calcanhares e desapareceu. Fiquei muito triste, como qualquer filho ficaria, mas para dizer a verdade, nem como estava vestida eu recordo, mas dos beijos, dos abraços e das coisas que me falou antes de fazer o que fez eu me lembro e com riqueza de detalhes.  Eu, como filho, sei o quanto é duro não ter quem sirva o meu prato, lave a minha roupa e cante para eu dormir. É duro. Até para voar eu voava com as asas dela, mas agora... Agora terei que voar com as minhas  como mamãe fez com as dela. Sinto muito a sua falta e agora então... mais do que nunca, principalmente ao lembrar que nem o beijo de despedida eu ganhei.  Não me deu aquele beijo, mas ontem  me beijou mais do que todo o tempo que estivemos juntos. Certamente por não lhe ter dado a importância merecida segundo ela achava. Todos sabem que qualquer filho, no meu lugar, teria sonhado com sua mãe, mas eu não. Eu não sonhei, aliás, ontem eu sonhei com a minha. Talvez não sonhasse antes por ela não ter me falado que ia partir, mesmo sabendo que podia me dar um sinal ou pedir a alguém para cuidar de mim.  Mas não. Mamãe não fez nada disso. Foi duro, muito duro, triste e cruel. Como desprezar um filho e pôr a culpa na morte se a morte não é o fim?!  Para essa viagem, pelo menos, não é. Ela sabe que o filho não dorme longe do colo dela, agarrado ao seu cabelo e próximo ao seu coração, ela sabe.  Ou teria ela esquecido que eu sou o seu menino, o primeiro e o último, se filhos não pode ter mais?  Ontem eu não conversei com ninguém. Estava triste e só pensava em dormir e dormi. E foi dormindo que eu a vi novamente.  E como mamãe fica bonita quando sorri e mais bonita quando me abraça e me beija. Nem aquele vestido com folhas estampadas e o tênis branco que gostava tanto tiravam o encanto que tinha.  Engraçado é continuar questionando uma pessoa que há muito não convive conosco, como questionava tempos atrás.  Penso que nem tão cedo concordarei com a sua partida, mesmo que já não a tenha ao alcance dos beijos que podíamos ter dado mais e não demos.  Meu Deus! Por que essa vontade  tão grande de chorar por quem não me escuta, não me vê e não fala comigo?  Antes, até me ouvia e até falar comigo ela falava, mas acreditar que eu posso esquecê-la é de mais. — Ouviu, mamãe o que eu disse?!, a senhora pode estar certa, como sempre esteve com relação ao que eu sou, mas erra quando pensa que sabe o que eu sinto.  E o pior é que não sabe. Aliás, nunca soube, eu acho.
Descanse em paz, mamãe, aí, onde estás e também aqui, nas minhas lembranças.

37 comentários:

  1. Las madres siguen en nuestra mente, por mil razones.

    Un abrazo, y feliz semana

    ResponderExcluir
  2. Hoje não comento a brincar. Hoje, sinto no peito aquela dor de quem, como o amigo, pela perda da mãe. O covid-19 levou a minha "velhinha". Fui ao cemitério "conversar" com ela. Não sei se ela me ouviu. Mas sei o quanto me soube bem dar-lhe aquele beijo no dia da mãe. Deixou-me comovido e, confesso, uma lágrima rebelde, escorreu pelo meu rosto.
    .
    Início e uma semana muito feliz … abraço
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  3. Bom dia!
    Um texto tocante. As lembranças que ficam. Os sonhos. A saudade. As partidas são cruéis.(Como o entendo...) A Vida segue...Vale a pena recordar o que foi bom 🙏
    ~~
    Coisas da alma...
    ~
    Beijos e uma excelente semana.

    ResponderExcluir
  4. Querido Silvio, fiquei conmovida pelo seu relato. Certamente, quando podiamos dicirnos e demostrarnos o importante que somos pais para filhos e biciversa, nao o fazemos. Quando se vao, é que sentimos sua ausencia, isse vaçío que deijarom nas nosas vidas. Porque nos sentimos orfos, sem nossa mae e pae. E agora que noss somos maiores, issa soedade, issa saudade que sentimos sem eles, e também porque também o nossos filhos nao tenhen tempo para noss.... é quando queremmos a nossos progenitores.
    Eu sonho muito com eles!
    Uma postagem que é uma homenagem a sua mae.
    Beijinhos, muitos.

    ResponderExcluir
  5. Palhaço Poeta,
    Sendo ficção ou não;
    essa saudade que fala
    é uma lacuna que jamais será
    preenchida seja na gente
    e na vida da nossa gente.
    Eu adorei ler e me ver
    em cada quadro, porque quando
    fico triste eu durmo,
    não para sonhar, mas para
    fazer de conta que a dor da
    saudade será pelo menos
    um pouquinho atenuada.
    Bjins de boa nova semana
    e de maio promissor,ta.
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  6. Homenagem muito bonita
    Boa semana
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Lamento ler a expressão de saudade da mãe em seu coração. Seus sentimentos são inversamente proporcionais aos meus, que sinto falta do meu falecido pai, que morreu há 21 anos.

    Nossa obrigação é sempre orar para que a família que vem antes de nós tenha felicidade e paz lá em cima.

    ResponderExcluir
  8. a minha tambem nos deixou eu e meu irmao quando eramos pequenos para seguir um homem que mais trade nem conto aqui o que ele fez é muito triste amigo desejo tudo de bom com muita saude bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá meu amigo!
    Confesso que chorei ao ler o seu texto lindo de morrer eu já perdi a minha mãe á muito tempo mas ela me faz muita falta para eu chorar no seu colo um beijinho do tamanho do mundo😘 fique bem e não quero você triste.

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde Poeta!
    Uma homenagem muito linda.
    Eu também perdi minha mãe, e seis meses depois, foi meu pai. Não é fácil, mais Deus sempre dá o consolo necessário pra gente seguir em frente. As lembranças são muito importante, mais a saudades, ah, essa machuca.
    Boa semana de maio pra ti!
    Um Beijoka

    ResponderExcluir
  11. Ficou a memória doce.
    Abraço, boa semana

    ResponderExcluir
  12. Que triste no tener cerca ese ser maravilloso que es la madre. Ella no se a ido amigo Poeta, vive en tu corazón. Sentido homenaje. Saludos.

    ResponderExcluir
  13. Lindo e tocante! As saudades ficam, lembranças chegam todos os dias! abração, chica

    ResponderExcluir
  14. Silvio, querido, texto maravilhoso, com muito carinho mostra todos os conflitos dessa relação que vai do mel ao fel ao longo da vida; e gente não aprende totalmente, acho que nem com a morte; mas que é muito forte e afetuoso dentro de nós.
    Amei a leitura, abração!

    ResponderExcluir
  15. Aqui está o menino de sua mãe!
    Pois é Silvio, todos nós ficamos mais pequeninos um pouco quando o tema á mâe. Aqui é um menino que o tempo resolveu vesti-lo de filho. e esta palavra arrepia, sabe? Como MÃE! e o seu texto é comoventemente belo e com o estilo cativante quando o tema o impõe.
    Saudades de si, Criatura, do tempo em que Aqui, também ja fomos mais meninos
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  16. Muy bonito texto.
    Feliz día.
    Saludos

    ResponderExcluir
  17. Sílvio, não sei que dizer fiquei com um nó na garganta e lágrimas nos olhos.
    Deixo um abraço e saio de mansinho.

    ResponderExcluir
  18. Que poema incrível e emocionante

    Beijos
    www.pimentadeacucar.com

    ResponderExcluir
  19. Oi Sílvio
    Disse tudo meu amigo
    Adorei o texto, triste demais
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sílvio,
      Você me fez voltar no tempo quando meu tio (quem me criou desde os três anos e chorei muito).
      Foi a única pessoa por quem amava, ele morreu de saudade de sua mulher, minha tia legítima, por quem fui judiada e nunca falei pra ele, para não magoá-lo.
      Não há um dia sequer que eu não fale com ele.
      Já era para ter comentado, sabia que ia chorar.
      Beijos
      Lua Singular

      Excluir
  20. Ainnn....falou de mãe, já sinto o aperto no peito. Não importa se foi mãe que partiu. A simples palavra "mae" carrega uma força descomunal.
    Belo e triste texto.
    Abraços

    ResponderExcluir
  21. Que lástima. Ha sido muy conmovedor este relato tan verdadero.
    SALUDOS!!

    ResponderExcluir
  22. Um texto lindo e terno. Sua mãe sabe onde você está, o que faz e o quanto a ama.

    Beijos e feliz dia das Mães que é já no próximo domingo aí.

    ResponderExcluir
  23. Sim, meu caro:
    as pessoas nunca sabem bem o que nós somos, ou pensamos.
    Nem a nossa mãe.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  24. Um texto divino, que me arrancou lágrimas, me fez descobrir o quanto desfrutei dos abraços e carinhos da mamis, faz pouco que se foi e sinto seu perfume.
    Ela sabia muito de mim, me entendia e compreendia.
    Sabia muito bem o que eu pensava...as vezes acho que éramos almas gêmeas.

    Parabéns pelo texto.

    Obrigada.
    abraços!

    ResponderExcluir
  25. Quanta angustia, Silvio!
    Mãe nunca deixa de amar!
    Por vezes endoidece - nos mas, muito nos ama!
    Fica as recordações gravadas no coração!
    Beijinhos!
    Megy Maia🌺😊🌺

    ResponderExcluir
  26. Great article, very romantic. I followed your blog now. Thx

    ResponderExcluir
  27. É... a saudade só não basta, é necessario ter forças para celebrar cada dia que vivemos ao lado dela. Vivi pouco ao lado da minha, a perdi em um trágico acidente que resultou em um traumatismo craniano fatal. Depois de sobreviver a um infarto no ano anterior, Ela saiu furtivamente da nossa casa enquanto eu trabalhava e sofreu a queda a 80 kilometros a frente. Seu texto é um espelho da saudade de todos nós.

    ResponderExcluir
  28. Lindo e emocionante o seu texto, Silvio.
    A saudade dói e machuca demais.
    Te deixo um carinhoso abraço.
    Verena.

    ResponderExcluir
  29. Sabe, no dia da partida de mainha eu sonhei que eu morria... Só muito tempo depois entendi o sonho, ela partiu e parte de mim foi junto com ela. Mãe quando faz a viagem, deixa um vazio que nada preenche. Mas, como acredito que a morte não existe, quem morre é o corpo e a alma continua sua caminhada logo me restabeleci e muito tempo depois sonhei com ela muito linda e iluminada. Nós nos abraçamos e ela me disse que estava muito bem. Pronto, meu coração ficou ainda mais tranquilo. Dói, mas passa. Ficando aquela saudade eternamente gostosa 💚😘🌼

    ResponderExcluir
  30. Puxa Silvio, muito emocionante seu texto... Quem não tem mais a mãe viva ou que de alguma maneira partiu, sofre com as lembranças que chegam no dia das mães... infelizmente a vida não é perfeita pra todos. 😥

    ResponderExcluir
  31. fiquei impactada com a força e a dor deste texto, triste, faz a gente pensar nos laços de amor e como a vida é breve. abraço.

    https://mulheresquecorremcomsapos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  32. Que emocionante, minhas lágrimas rolaram, lembrando da minha mãe que partiu sem abraços, sem despedidas, sem palavras de recomendação de como viver sem ela, enfim, sem nada ....
    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir
  33. Somos tantos Silvioafonso que ficamos sem a nossa mãe, que desgosto isso dá, a dor é imensa e a saudade nunca desaparece
    o texto está muito lindo, e emocionante


    Por que Deus permite
    que as mães vão-se embora?
    Mãe não tem limite,
    é tempo sem hora,
    luz que não apaga
    quando sopra o vento
    e chuva desaba,
    veludo escondido
    na pele enrugada,
    água pura, ar puro,
    puro pensamento.
    Morrer acontece
    com o que é breve e passa
    sem deixar vestígio.
    Mãe, na sua graça,
    é eternidade.
    Por que Deus se lembra
    - mistério profundo -
    de tirá-la um dia?
    Fosse eu Rei do Mundo,
    baixava uma lei:
    Mãe não morre nunca,
    mãe ficará sempre
    junto de seu filho
    e ele, velho embora,
    será pequenino
    feito grão de milho.

    Carlos Drummond de Andrade

    ResponderExcluir
  34. Bonito y muy conmovedor tu texto. Un abrazo

    ResponderExcluir
  35. Olá amigo poeta, passei por aqui para lhe deixar um beijinho!
    As saudades de quem parte e voa para outra realidade são dolorosas, mas a gente acaba por aprender a viver com.a ausência. Uns vão partindo, outros vão chegando, por isso mesmo devemos dar valor ao que realmente importa, só que a gente não sabe o que realmente importa! As vezes a gente aprende, outras não!

    Beijinhos, vou voltar para ler os textos seguintes!

    ResponderExcluir
  36. É uma saudade que pode estar "adormecida" mas quando acorda, doi, esmaga...
    eu é assim que sinto pelos meus pais.
    Abraço***

    ResponderExcluir

POR FAVOR, SE PUDER, NÃO SAIA DE CASA.
(silvioafonso))


.