segunda-feira, 5 de abril de 2021

SANGUE AZUL

   

    Eu tinha uma pintinha nas costas e mesmo que fosse diferente das que já vi nas pessoas em nada me incomodava, muito menos aos dermatologistas. – Ah! Isso não é nada, e não é por ser azul que seria. – diziam os doutores me consolando. – Se existisse alguma dúvida pedia-se a biópsia e pronto, logo se saberia – dizia batendo de leve com a mão no meu ombro. – Que bom, doutor, caso contrário o senhor teria de olhar outra, igualzinha, num lugar nada agradável – respondia para ele sorrindo. – Ah, que nada! Pode dormir sossegado que não é câncer. – completava me olhando sobre o ombro. Com o tempo eu me mudei para o alto da serra de uma cidade agradável, de clima ameno e gente bondosa. Talvez o único lugar no país onde o sistema de saúde funciona de verdade e a prova é que só eu tinha plano de saúde, por isso deixei de usá-lo. Em uma consulta rotineira o clínico me encaminhou a um dermo. Queria que aquela pintinha voltasse a ser examinada. – Ah! Doutor, seus colegas disseram que não era nada que tirasse o meu sono, mas ele, sem me dar ouvido, anotou um endereço e me deu. Dois dias depois a doutora Darci, que até então eu não sabia que era uma mulher, me examinou. Meu Deus! Como vou mostrar a outra pintinha para ela? – me questionava. A doutora pegou um aparelhinho colocou no olho e se debruçou sobre a pinta. Ficou um tempão resmungando com aquilo perto da cara. Depois anotou qualquer coisa na minha ficha – Teu médico fez bem te mandando para cá – ela disse, e concluiu – eu quero uma biópsia da pintinha. – Doutora não faz isso, por favor. Pois se tiver de fazer nessa pinta terá de fazer na outra que eu teria vergonha de lhe amostrar – falei todo cheio de vergonha. – Mas eu quero ver, seu silvioafonso. Mostre-me, por favor! Quem sabe não venha a se tornar outra coisa no futuro – disse a doutora e concluiu: – Agora baixa as calças e me mostre, porque aqui somos médico e paciente e não homem e mulher. – Aí eu baixei. A doutora ajoelhou-se e segurou o falo com as duas mãos e ficou olhando para ele como se fosse a primeira vez que visse uma coisa daquela. Depois foi à mesa e pegou um aparelhinho, que enfiou no olho, para ver o negócio bem mais de pertinho. – Jesus do céu! A doutora com aquele aparelho no olho botava a cara tão perto da pinta que eu tive de prender a respiração com medo do bicho se mexer nas mãos dela. – Eu quero que faça biópsia nessa aqui, também – falou gaguejando. E eu fiz o que a doutora pediu. Fui ao endereço indicado aonde um tal de Darci, que eu achava que fosse um homem, me atenderia e como estava dando aula aos residentes naquele momento  acabei me tornando cobaia para um bando de garotas, recém formadas, que não tirava os olhos do que a doutora lhes mostrava.
E como disse eu já tinha ido a vários dermatologistas e só esse último me pediu a biópsia. Esse médico, quer dizer, essa doutora provou que sua nota, nas provas finais, não foi dez ou não teria suspeitas quanto à cor da pintinha. Um daqueles médicos que disseram que a pinta não era câncer me falou, meses depois da remoção do sinal, que o "nevo azul", como chamam a pinta, não passa de uma alteração benigna da pele que não coloca em risco a vida de ninguém. Por isso, não sugere a remoção, disse ele, mesmo concordando que existem alguns casos em que a células malignas pode surgir no local, mas isso não é comum a não ser quando o "nevo azul" é muito grande ou aumenta de tamanho rapidamente. O que não era o meu caso.

32 comentários:

  1. Vaya odisea por un nevus azul, amigo. Muy divertido ese rosario de médicos.

    Un abrazo

    ResponderExcluir
  2. Palhaço Poeta,
    Adoro essa associação
    de situações e o jogo
    de palavras, muito bem feito.
    E isso prende o leitor até
    a última linha, sem contar
    a imaginação da gente que
    viaja e faz gargalhar.
    Adoro essa coisa de trocar
    de lugar com os personagens:
    ora o paciente, hora a doutora
    e hora quem lê.
    Adoro!
    Brigadin por mais essa publicação.
    Boa nova semana pra nós todos.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  3. Segui com apreensão a sua história, mas afinal tudo acabou bem. Gosto muito do seu jeito de narrar.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. ... ajoelhou-se e pegou o falo com as duas mãos ... eheheheeh. Não me diga que com uma mão não conseguia segurar o "bicho", lol.
    Será que a médica, rapariga nova, imagino eu, não lhe disse: Não se preocupe sr Silvioafonso. Tenho aqui entre as pernas um sinal igualzinho a esse e não me preocupo. Quer ver?
    .
    Abraço poético
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  5. Muito bem. Felizmente que foi removida a pintinha azul. Vai na volta ainda pertencia à Monarquia. Loool (brinco)!
    -
    Renascem sonhos dos dias em liberdade
    -
    Uma excelente semana - desconfinada - mas, com muito cuidado.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Depois da apreensão veio grande alívio, este, dado pelo diagnóstico médico. Que ótimo!

    Uma excelente semana pra ti.
    Calu

    ResponderExcluir
  7. Hola, que tengas una buena semana.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  8. Só mesmo você, mestre Sílvio, para ter uma pinta no pinto! :) Mas rendeu uma boa história, não foi? :) Meu abraço, amigo; boa semana!

    ResponderExcluir
  9. Que grande alívio! Um relato que bem nos fala da aflição do homem e também do pudor do seu falo...mas a vida é assim, meu amigo Sílvio Afonso.
    Depois do medo, a libertação. Que bom.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  10. Maravilha, Silvio! Depois do suspense, o alívio.
    Por um momento, quando comecei a ler, juro que a minha cabeça já tinha a ideia de outro fim. Enfim, que bom, ficou tudo esclarecido e a preocupação foi dissipada.
    Boa semana! Beijos

    ResponderExcluir
  11. Graças a Deus não era "maligno". O bom é sempre procurar uma segunda opinião,caso persista uma pulguinha atrás da orelha. Fico feliz que vc esteja bem, apesar dos percalços e de um ou outro constrangimento, valeu a pena,né?saúde é fundamental e fica o alerta para os seus seguidores, forte abraço.

    ResponderExcluir
  12. Te salvaste, amigo Silvio de que fuera algo maligno. ¡Dios, cuánto lío por una manchita! Un abrazo.

    ResponderExcluir
  13. Tive que rir...Ainda bem não era nada! mas imagino a situação! abraços, chica

    ResponderExcluir
  14. Estou animado para ler sua história e estou aliviado que depois disso o nevo em sua pele reprodutiva não é um problema para sua saúde. Eu também ficaria nervoso se a parte sensível fosse examinada por um médico.
    Saudações sempre saudáveis, Silvio.

    ResponderExcluir
  15. Ufaa!
    Que alívio que não é malígno.
    Foi bom ter feito a biópsia assim cessaram as preocupações.
    Deixo um grande abraço para você, Silvio
    Verena.

    ResponderExcluir
  16. Enhorabuena, sólo fue un susto.
    Besos.

    ResponderExcluir
  17. Querido Silvio, estamos empatados:
    Silvio 17 - Bia 17
    Também empatamos no "nevo azul'
    so que o meu foi extraído e mais não estava en lugares tão escondidos, rsrs
    Beijo?

    ResponderExcluir
  18. Essa parte é extraordinária: "A doutora ajoelhou-se e segurou o falo com as duas mãos e ficou olhando para ele
    como se fosse a primeira vez que visse uma coisa daquela."
    E preciso perguntar: Então prendeu a respiração com 'medo' do "bicho se mexer"? E não dá para precisar se quem lucrou mais foram a 'alunas' que prestaram a máxima atenção ou se foi o paciente que descreveu muito, mas muito direitinho o fenômeno "nevo azul". kkkk

    ResponderExcluir
  19. Que situação constrangedora, meu amigo! Ou não? rs
    Essa coisa de pintas são complicadas, temos que confiar no diagnóstico de um médico? Tenho uma, confesso que de vez em quando me pergunto se a médica estava realmente certa e sempre tem a possibilidade do "trem" evoluir...Mas deixa pra lá.
    Abração, amigo, continue se cuidando, inclusive das pintas! Se bem que tá todo mundo com medo de ir ao médico, seja lá qual for a especialidade.

    ResponderExcluir
  20. Uma verruga em su sitio deve ser embaraçoso ...

    ResponderExcluir
  21. Boa tarde, caro amigo Sílvio!
    Hoje gargalhei com as suas palavras!
    um beijinho risonho!
    Megy Maia💛😊💛

    ResponderExcluir
  22. Primo da rainha de Inglaterra?😊
    Beijo

    ResponderExcluir
  23. Li a sua história com muita atenção e sou franca no inicio pensei que o meu amigo estava muito mal graças a Deus era só um sinal ainda bem que não era sentido proibido pois a médica cocegue pegar mas teve que ser com as duas mãos...um beijinho do fundo do meu coração💖💔

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. Hola Silvio!!
    En cuestiones de salud hay que perder la verguenza..... hasta saber que esta todo bien..... y hacerse controles una vez al año.
    Me alegro que no sea nada.
    Besos.

    ResponderExcluir
  26. Ainda bem que não era nada de cuidado. Meu filho tem um sinal nas costas que o ano passado mostrou à médica de família. Ela mandou para dermatologista que também era uma médica e que o mandou despir por completo pois disse que queria ver se havia outros sinais no corpo. E ele teve que ficar nu. Bom não tinha mais nenhum e a médica não mexeu em nada, só olhou mas ele ficou envergonhado.
    E então eu disse, já pensaste que até há poucos anos atrás os ginecologistas eram todos homens? E como é que pensas que nos sentíamos quando íamos à consulta?
    Abraço e saúde

    ResponderExcluir
  27. Querido amigo Silvio,
    Que situação embaraçosa se despir diante de uma dermatologista pra mostrar a tal pinta, para nós homens é sempre muito constrangedor ficar nu diante de uma doutora, mas é necessário em certas ocasiões. Bom que tudo tenha se resolvido e a pinta não era nada demais. Quanto a vacina acredito que todos nós estamos ansiosos por ela, mas a imunização anda a passos de tartaruga nesse país.
    Abraços

    ResponderExcluir
  28. O mestre é chique. Todos nós,reles mortais, temos, quando muito uma pinta roxa,ou preta, feia e você,como é nobre, ate sua pinta é azul. Gosto dos seus relatos e me divirto também com os comentários..Ainda bem que pinta não era nada demais ..abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Licença: Touché,
      adoro seu humor!
      Disse o que a turma
      se esquivou. rsrs

      Excluir
  29. Verdade ou ficção... contigo eu nunca sei!
    Uma coisa é certa, Silvio o teu jeitinho de contar me faz sorrir.
    Te cuida amigo.
    Beijo, feliz fim-de-semana.

    ResponderExcluir
  30. Lo has contado muy bien y de forma muy agradable.
    Estupendo que no haya sido nada serio.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir

POR FAVOR, NÃO SAIA DE CASA
(Se possível, fique na sua casinha,
não receba ou faça visitas. Não abrace
ou se deixe abraçar porque se você não
pegar o vírus não me mata e eu não
mato os outros.
((silvioafonso))


.