segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

VALEU JAPA. VALEU!

    


        Quando vejo um caminhão de mudança parado em frente ao meu prédio eu tremo dos pés à cabeça: seria um novo morador nos brindando com sua chegada ou um velho amigo se afastando do aconchego da gente?  Ontem, para minha tristeza, a senhora do 501 estava de mudança. Ela, o marido e a filha iam morar em São Paulo, aonde eu havia morado em alguns anos da minha vida.  Com certeza que vão fazer falta, principalmente a mulher e a filha. Jamais poderia imaginar que japonês fosse gente tão boa como aquelas duas mulheres. O marido, um sujeito nascido na pobreza de Kamagasaki, era grosseiro com todo mundo. Talvez por conta da infância e da juventude que teve, como me disse a mulher embora tivesse, ele mesmo, falado que iam morar na Liberdade, o bairro mais japonês do Brasil. Meu Deus! O que farei eu,  daqui em diante, quando chegar bêbado de madrugada me apoiando nas paredes sabendo que Mikomy, a única filha daqueles dois, já não estaria mais lá embaixo a minha espera para me arrastar para casa, fazer um café forte e me enfiar embaixo do chuveiro frio?  É claro que eu só sabia porque ela me contava no dia seguinte, e pelo que eu sei, nem dormir comigo eu penso que tivesse dormido e se o fez eu tenho certeza que não fizemos do jeito que ela merece.  A mãe, que diferente do marido era muito risonha, dizia que eu era um bom homem e era pena que vivesse sozinho num momento difícil como esse.  Por isso eu sentia dó de Dona Sheraki.  Ela deve sofrer o  diabo nas mãos daquele gordinho de cara amarrada.  O velhote não permitia que saísse nem para ir à padaria se não fosse acompanhada por ele ou pela filha ao passo que ele fazia até mesmo o que achava errado nos outros.  Foi lembrando desses momentos que subi para tomar uma, ducha, como faço quando volto das caminhadas, mas ao entrar no meu quarto, ainda secando os cabelos, deparo com  Mikomy estirada na minha cama, nua como viera ao mundo, contudo em uma nova edição melhorada.  –  O que você está fazendo pelada na minha cama, sua maluca e o que você fez para entrar aqui na minha casa se a porta estava trancada, posso saber?  –  Estou nua, sim,  mas você também não está vestindo  –  disse com as mãos estendidas para mim.  Mikomy era a melhor amiga que eu já tive na vida e agora, com ela estirada na minha cama puxando o braço eu entrei em parafuso.  Será que eu devia mesmo fazer o que ela parecia ter vindo para fazer sem me arrepender ou era uma boa oportunidade que eu tinha de fazer direito o que bêbado jamais teria feito naquelas circunstância?  De repente aquela seria a última oportunidade que nós teríamos de estar junto e como não havia ninguém por perto nos espionando, nada mais justo que fazer por ela o que ela fez por mim durante todo o tempo que morou a duas portas da minha.   Muitos se despediram de mim e de muitos eu já me despedi, mas nenhum adeus me doeu tanto como quando Mikomy beijou-me a face, enxugou os olhinhos repuxados e embarcou no carro do pai.  

39 comentários:

  1. Pude que cuando unos vecinos se van, los posibles nuevos vecinos nos generen mil dudas.

    Un abrazo

    ResponderExcluir
  2. Hay vecinos que se hacen querer, pero hay otros que cuando se van hacemos fiesta, por lo mal que se han portado a lo largo de años y años. Yo he tenido de las dos clases de vecinos. Gracias por compartir tu anécdota con tu vecina, amigo Silvio. Un abrazo.

    ResponderExcluir
  3. Uma bela história 'adulta' que seduz e se dissolve na atmosfera ...

    ResponderExcluir
  4. Palhaço Poeta,
    Começar a semana
    de carnaval aqui
    no seu trio/trem mais
    que elétrico
    é tudo de bom!
    Adorei o texto,
    me diverti lendo
    isso sem falar nos
    nomes dos personagens
    que são muito bem
    pensados.
    Valeu Palhaço Poeta!
    Bjins de segunda de carnaval
    sem carnaval. rs, só que
    não. Na verdade torço pra
    que a mãe da Vilma
    apareça,ta.
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  5. Claro que foi difícil a despedida. Depois do que aconteceu...
    A sua história boa de ler como sempre.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Difícil de acrescentar alguma coisa, a um conto tão bem torneado!
    O lado positivo: Palhaço Poeta fica livre e sem compromissos, para novas aventuras!:)

    ResponderExcluir
  7. Há despedias arrancadas da alma! :) Adorei :))

    -
    Vagueiam sonhos da minha ilusão
    -
    Beijo e uma excelente semana!

    ResponderExcluir
  8. Que despedida, heim? De tirar o fôlego... E o nome da moça, ainda ajudou nesse contexto... é como se fosse um chamativo kkkkk
    Ah, Silvio, você e sua imaginação fértil!...
    Tenha uma abençoada semana! Beijos

    ResponderExcluir
  9. Silvio, o que eu ri lendo esta história!!!
    Acredito que a despedida da MIKOMI (!) tenha doído muito.
    É fértil a tua imaginação.
    Beijo, boa semana, muita saúde.

    ResponderExcluir
  10. O Japonês não tinha nada que ser grosseiro com todo o mundo, em geral, e em particular com o amigo SilvioAfonso. Então o amigo até estava a ensinar a sua (dele) filha a ter prazer em viver e era assim que o pai (dela) lhe agradecia? Assim não, senhor amigo Japonês. Mas o que é isso?

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  11. Posso imaginar a dorzinha especial desse adeus rss. É sempre agradável ler seus contos, Silvio! Abraço.

    ResponderExcluir
  12. Boa história a sua.
    Já estou te seguindo
    Boa noite e feliz semana

    ResponderExcluir
  13. Olá Silvio, voçê é uma tentação tanto para jovens como para maduras! (Kkk)
    Tivo boa ocassão de aprender japonés e não aproveitou!!!! Beijo

    ResponderExcluir
  14. Agora é só torcer para que os novos vizinhos sejam favoráveis e que rendam tão bons momentos.

    ResponderExcluir
  15. pois nunca é facil uma despedida mais um lindo post bjs saude

    ResponderExcluir
  16. Me gustó la historia. Espero haberla comprendido bien, entiendo algo de portugués, no mucho.

    ResponderExcluir
  17. nunca é fácil dizer adeus
    http://retromaggie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Oi Sílvio,
    Eu gosto de suas postagens calientes( é por isso que você trocou seu nome Palhaço poeta
    Você seria um excelente poeta se não brincasse com a poesia. Sabe que ela não gosta?(brincadeirinha).Você tem um grande potencial.
    Parabéns poeta brincalhão
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  19. San Tai Kin Hong
    (Votos típicos de Ano Novo Lunar e que significam boa saúde durante o ano).

    ResponderExcluir
  20. Muchas veces no valoramos lo que tenemos cerca, nos pasa desapercibido o no le prestamos la suficiente atención, todo el bien que puedan hacernos, lo interpretamos como algo natural que se transforma en una rutina, pero cuando llega el momento de una despedida...
    Piensa que la distancia no es obstáculo para que la amistad o algo más pueda continuar.
    Cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  21. Hay vecinos inolvidables y no queremos
    que se vallan nunca y también hay de los
    insoportables, que queremos que se vayan
    inmediatamente, muy bueno lo que escribiste
    mi amigo.

    Besitos dulces

    Siby

    ResponderExcluir
  22. Silvio, uma vizinha amiga pra todas as horas é difícil encontrar, principalmente nas horas mais complicadas da bebedeira! Por isso Mikomy fará tanta falta...antes de ir houve então a retribuição por tanta bondade. Kkkkk... Achei interessante o nome dela : Mi+komy...será só coincidência? ☾ ❀

    ResponderExcluir
  23. Todo lo que nos involucra hace que nos elevemos un peldaño de nuestras miserias. Bello texto amigo!

    ResponderExcluir
  24. Olá, Silvio!
    Adorei a sua gentil visita e comentário bem humorado.
    Seja, sempre, bem vindo!
    Mikomy não é fácil, hein?
    Vai deixar saudade...rs
    Um carinhoso abraço
    Verena.

    ResponderExcluir
  25. Sua criatividade é cativante e a prova é mais um belo texto!
    Obrigado pela visita!!!

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde, Sílvio. Um conto, que nos deixa na expectativa do que vem depois.Interessante o nome dado a ela, tudo nos levando a pensar e analisar a situação criativa.
    Pena perder tão "boa"vizinha, o japonês estava com a razão rsssssssss. Abraços!

    ResponderExcluir
  27. Oi Sílvio
    Não respondi antes, pois estava doente, ainda estou.
    Por que você escreve um livro?
    Abraços
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  28. Oi Silvio!
    Um "entra e sai" neste prédio, hein, amigo! Pra quem gosta de mudanças e novidades, é um prato cheio! Logo chega um novo caminhão de mudança e esquece o que partiu.
    Talvez sejam mais felizes em Liberdade...Que saudade de ir neste bairro encantador, comer takoyaki, guioza, dar uns rolês com o filho...maldita pandemia e nossos governantes.
    Abração, bom final de semana!

    ResponderExcluir
  29. Olá, Silvio!

    Como está?
    Espero que já se tenha recomposto depois desta inesperada despedida!
    Esta vizinha foi embora mas, com certeza, o apartamento não ficará vazio por muito tempo...

    Bom fim de semana!
    Liliana
    Ideias Recicladas e... não só!

    ResponderExcluir
  30. Uma história final infeliz
    Por que Mikomi foi embora?
    Mikomi não está crescida e é capaz de decidir sua própria vida?
    Mas Mikomi prefere seus pais ..
    Muito doloroso ..
    Boa história do silvio
    Tenha um bom dia
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  31. Ora, o vizinho japonês até que podia ir embora sem dizer adeus, mas as duas senhoras, mãe e filha, bem que podiam lá ficar para fazer um chazinho qdo você estivesse constipado e a filha até lhe podia aquecer os pés e mais alguma coisa, não sei-rs.
    Mikomi, com que então, ME COME. E você não encheu a barriga, não -rs?

    Beijos e viva sua imaginação.

    ResponderExcluir
  32. Oi Poeta,
    Uma linda estória
    Abraços
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  33. Oi Sílvio
    Por que você fez isso?
    Estou doente e não consigo dormir
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  34. Olá amigo Silvio, é sempre triste uma despedida, ainda mais de uma vizinha com um nome tão bonito e que o ajuda! Bjs

    ResponderExcluir
  35. Today there is no lack of reasons to smile and every moment is an opportunity to experience the best sensations in the world. May this day be the stage of the greatest adventures and in the end our hearts are filled with joy.

    ResponderExcluir
  36. Hola Silvo.
    Muy buena lección.
    Cuando de verdad nos interesamos por las personas, quizás ya sea demasiado tarde por el no saber valorarlo antes primero.
    Saludos.

    ResponderExcluir

POR FAVOR, NÃO SAIA DE CASA
(Se possível, fique na sua casinha,
não receba ou faça visitas. Não abrace
ou se deixe abraçar porque se você não
pegar o vírus não me mata e eu não
mato os outros.
((silvioafonso))


.