segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

A REVANCHE

 


    Tem gente que não tem noção do ridículo ou não mandaria a mulher me chamar para jantar depois de ter se juntado a outros sequelados pra invadir minha casa, me ameaçar de porrada e dar cabo das minhas bebidas. Eu precisei me beliscar pra ter certeza de que não estava sonhando. Será que esse animal já se esqueceu do que fez comigo ainda esses dias?  É claro que eu dei  uma desculpa para não ir, mas com aquela pretinha linda, de pernas exuberantes, cheirando a sabonete na minha frente e falando daquele jeito acabei aceitando.  Depois que fechei a porta foi que a ficha caiu.  E se o marido, aquele covarde, quisesse aprontar de novo comigo?   Meu Deus quantas vezes botei minha vida em jogo permitindo que ela, com medo de ficar sozinha, dormisse na minha casa enquanto o valentão viajava?  Ah, seja o que Deus quiser. Para quem correu os riscos que eu já corri isso é moleza.  Toquei à campainha e uma das convidadas me recebeu. A pretinha tinha ido buscar a mãe, disse a mulher olhando pro dono da casa, e logo estaria de volta. – Ué, a pandemia acabou? – Perguntei pra mim mesmo – me admira muito alguém encher a casa de gente com esse vírus rodando por aí.  Cumprimentei os presentes com um sorriso e me dirigi à janela para atender o celular.  Pedi desculpas ao dono da casa e prometendo voltar dentro de poucos minutos voltei para casa onde a pretinha me esperava na porta. – Meu marido me pediu para te convidar e eu te convidei, mas quem precisa de um abraço, pelo menos nesse momento, sou eu – disse abrindo o berreiro.  Entramos, tomamos um copo de vinho enquanto ela falava. Depois a levei para o quarto para se refazer do choro. Duas horas depois chegávamos a casa dela.  Ela na frente e eu um pouco depois. –  Parece que o senhor usa o mesmo sabonete que usamos aqui em casa, disse o marido. Pelo menos o cheiro é igual.  Qual a marca do seu?, perguntou o covarde. O nome eu não sei. Ganhei de presente naquele dia que vocês foram lá em casa, lembra? – Perguntei com o sorriso da vingança estampado na cara.

38 comentários:

  1. ¡Qué terrible está la situación del covid, amigo Silvio!. Y la verdad que es de admirar que haya gente que no tiene miedo y llena su casa de gente en estos tiempos. Gracias por compartir tus letras. Un abrazo grande.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da historia que se continúa e que pode dar ainda moito jogo se segue por ese caminho! Melhor um bo duche con sabonete neutro!
    Aperta e boa semana. Lendo os começos do seu blog 2007! Muito que ler!

    ResponderExcluir
  3. Um segundo comentario cas impressióms que me causou a sua historia: fina sensualidade insinuante, atrevemento, humor ainda que seja humor negro de historia urbana nun país quente en tudos os sensos, onde tudo pode ser suceder, ben contada e cun estilo propio bem definido que nos deija na dúbida e un tanto en suspense, cal será a contrarebancha? e a dúbida sobre se lhe terá aconteçido persoalmente ou será inventada, hai de por medio a ironía ou sutileza do sabonete que delata, un para bos entendedores non se precissan moitas palabras.... En fín, confésome seguidora! e a ver se me respostas os meus emais sobre o seu blog que estou a ler aos poucos!!!!

    ResponderExcluir
  4. Esquezía dicir que a foto é muito sugerente e vai bem ca historia!

    ResponderExcluir
  5. Uma história interessante com a suspeita de usar sabonete devido ao vírus Covid19 ... mesmo sendo marido e mulher.
    Oh!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Silvio.
      Voltei para te dizer que te segui.

      Feliz Ano Novo 2021, espero que muitos bons votos sejam concedidos, bem como saúde e muita felicidade.
      Saudações de amizade.

      Excluir
  6. Um texto bem ao seu jeito, meu Amigo Sílvio. Você gosta de nos mostrar uma safadeza de vez em quando.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Serão homens que não se enxergam ou serão mulheres que não sabem qual o seu lugar?
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos

    Cumprimentos poéticos

    ResponderExcluir
  8. Texto bem humorado (que me fez rir), uma bela vingança! rsrs.




    ResponderExcluir
  9. Uma história interessante e bem urdida, com um enredo cativante a mostrar como é empolgante andar na corda bamba...

    Um abraço .

    ResponderExcluir
  10. Uma história interessante e bem como gosta. Cuide-se meu amigo que este vírus parece ter ódio à humanidade.
    Gosto da imagem.
    Abraço, saúde e boa família

    ResponderExcluir
  11. Olá! Gostei muito do texto! <3

    www.pimentamaisdoce.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. é daqueles textos que ficamos a pensar sera que foi verdade hehehheh adorei bjs saude

    ResponderExcluir
  13. Às vezes, mestre e amigo, a vingança fica ainda mais gostosa, não é? ;) Meu abraço, boa semana.

    ResponderExcluir
  14. Muito bom
    Gostei de ler!! :)
    **
    Obrigada à vida...
    *
    Beijo, e uma noite feliz e quentinha!

    ResponderExcluir
  15. Interesante historia. Saludos amigo Silvio.

    ResponderExcluir
  16. Boa tarde amigo Sílvio!
    Uma história que me fez refletir!
    A sua escrita fascina - me!
    Nunca perca essa sua graciosidade!
    Um abracinho!
    Megy Maia💛🌜💛

    ResponderExcluir
  17. Mais um conto com seu peculiar estilo, Sílvio, sempre de leitura agradável. Abraço.

    ResponderExcluir
  18. Palhaço Poeta,
    Ri um bocado com
    esse texto e
    Adorei a "Pretinha".
    E nesse seu texto valem dois
    dito a populares:
    " A ocasião faz o ladrão"
    e "Lavou, ta novo".
    Adorei a leveza do texto.
    Bjins de boa semana
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  19. Amigo Silvio,
    Que troco bem dado no sacripanta que quase destruiu o seu Natal, como diz o ditado "todo castigo pra corno é pouco". Ri sozinho aqui com a história, quem dá uma de esperto sempre se ferra.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  20. Muy buena historia Silvio, hay personas
    que no tienen miedo a este virus y hacen
    locuras, fiestas sin temor a nada.

    Besitos dulces

    Siby

    ResponderExcluir
  21. O sabonete da vingança!
    Silvio, feliz ano novo!

    ResponderExcluir
  22. Esse cara de pau tem explicação para tudo, hein!?

    ResponderExcluir
  23. A revanche foi muito bem elaborada!
    E a aglomeração continua em festas, abraços, beijos e cheirinhos de sabonetes!
    Abração, Silvio!

    ResponderExcluir
  24. Olá, Silvio!

    Muito bom!
    "A vingança é um prato que se serve frio."

    Fique bem!
    Liliana
    Ideias Recicladas e... não só!

    ResponderExcluir
  25. Oi Silvio, obrigada pela sua presença no segundo dia do ano...
    Mas aqui desta vez não teve rabanada e nem vinho, mas descobri
    ou me foi apresentada uma cerveja chamada Patagônia do tipo Leger;
    Ó coisa boa, interessante;
    E de contos em contos e risadas vamos na esperança que a vacina
    torne o ir e vir mais fácil.
    Boa continuação de semana.

    ResponderExcluir
  26. Adorei o conto, regado a suspense e todo requinte sensual! A presença de espírito na hora da resposta, foi tudo! Ainda me peguei perguntando: e agora, o que vai dizer?
    Abençoado domingo! Beijos

    ResponderExcluir
  27. Buena foto y mejor texto.
    Buen domingo. Cuídate.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  28. Kkkk a vingança é um prato que se come frio. Kkkk
    Beijos,
    Paloma Viricio💙💫

    ResponderExcluir

  29. Aqui,
    atingimos a emoção de um filme de Hitchcock Sílvio!
    intensidade e suspense:)

    ResponderExcluir
  30. Interesante historia y buen texto. Un abrazo

    ResponderExcluir
  31. Eita!

    Me parece que essa história ainda não teve fim.

    A seguir cenas do próximo capítulo. rsrs

    Abraços!

    ResponderExcluir
  32. Bom dia! Me pareceu aquele velho deitado,
    olho por olho...dente por dente.
    Mas quero saber onde vai dar essa historia, final.
    Abraços

    ResponderExcluir
  33. Buenas tardes.
    Me parece una historia muy interesante. Y graciosa ilustración.
    Saludos!!

    ResponderExcluir

POR FAVOR, NÃO SAIA DE CASA
(Se possível, fique na sua casinha,
não receba ou faça visitas. Não abrace
ou se deixe abraçar porque se você não
pegar o vírus não me mata e eu não
mato os outros.
((silvioafonso))


.