segunda-feira, 30 de novembro de 2020

ABRA A SUA QUE EU FECHO A MINHA

 

    Sempre que eu me trocava ela corria pra janela, mas eu era mais rápido e fechava a minha na cara dela. Com o tempo eu me dei conta do babaca que eu estava me tornando, por isso decidi que a partir daquele dia a janela do meu quarto não fechava mais e se quisessem me ver do jeito que vim ao mundo, que vissem.  Eu mal dormia pensando nisso, mas ao perceber que tinha gente na janela eu levantava e escancarava a minha. Depois tirava a roupa  e  calmamente ia pelado pro chuveiro.    Eu não olhava, mas sabia que era visto ou mamãe não me diria pra fechar a janela quando  eu fosse tomar banho.  Como ficou sabendo se eu nunca falei nada? Não satisfeita da fofoca que tinha feito veio a minha casa perguntar por minha mamãe, mas porque tanto trabalho se está careca de saber que mamãe sai cedo pra trabalhar?, e o mais engraçado é que foi entrando como se eu a tivesse convidado.  
– Meu professor de música disse que no natal eu vou tocar com as meninas na banda do colégio.  Ele falou que gosta de como toco os instrumentos, mas prefere que eu toque o clarinete no desfile.  Eu sei que falou isso porque eu não poderia tocar piano ou violoncelo enquanto marcho – falou abrindo a geladeira para olhar o que havia dentro. 
  Você sabia que ele queria me beijar?  Ele tem esse hábito, beijar as garotas que a quem ensina música. 
 E o que você fez pra ele não te beijar? – perguntei. 
– Nada. Não fiz nada – respondeu. –  Deixei que me beijasse. Você já beijou alguém?, – me perguntou. 
– Claro, claro beijei – menti sem olhar para ela. 
 – E como é que se beija?  – perguntou fechando a geladeira. 
 – Ah, sei lá, beijando, ué!, – respondi vermelho como tomate. 
– Beijou nada...  Se beijou me mostra que eu quero ver – disse fechando os olhos e com as mãos para trás. Cheguei perto  e todo atrapalhado dei um selinho nela, mas como era cinco centímetros maior do que eu o beijo pegou no queixo.
– Esse beijo não valeu porque você não beijou direito – disse curvando um pouco mais os joelhos. Desta vez acertei a boca, mas coisa rápida.  
– Você sabe o que um homem e uma mulher fazem quando estão juntos num quarto? – perguntou me olhando sobre um ombro.  
– Claro que sei – respondi enfiando as mãos nos bolsos.  Eles dormem juntos, só isso.  – Falei e ela riu da minha cara.
 – Sabe nada, seu boboca.  Nenhum homem dorme quando se deita com uma mulher – disse se abaixando para olhar dentro do forno do fogão – Eles fazem sexo – concluiu como se soubesse todas as respostas –  se eu falo é porque já vi   ela foi dizendo  Vi meu padrasto fazer com minha mãe porque achavam que eu estava dormindo.  Vou te mostrar como é;  baixa as calças e se deita aí,  nessa poltrona, que eu vou me sentar em cima de você pra te ensinar – disse puxando o zíper do jeans para baixo e caminhando em minha direção. 
 – Não, não vou fazer nada disso que você está mandando, aliás, vá embora!  Vá embora ou eu conto pra minha mãe quando ela chegar... (Botei a garota pra fora batendo à porta atrás dela).   
  Faz mais de 50 anos que tudo isso aconteceu e eu ainda me envergonho quando passo embaixo da janela dela sempre que vou visitar minha mãe. que ainda mora lá. Talvez a maluca já tenha se casado e até filhos formados deve ter.  Eu só espero que as crianças não tenham passado pelo que ela me fez passar quando pequeno.

30 comentários:

  1. Palhaço Poeta,
    💃Ô dó!
    Como esse menino
    sofreu.
    Mas essa menina era
    bisbilhoteira mesmo!
    Onde há se viu mexer
    assim na casa dos outros!😄
    Adorei ler e ficar imaginando
    as cenas.
    😘Bjins de boa semana
    CatiahoAlc.💌

    ResponderExcluir
  2. Estou animado para ler esta história sobre sexo, mas também é ótimo para reflexão.

    ResponderExcluir
  3. Que pena me da ese chico...mala chica.
    Un gusto leerte amigo.
    Feliz semana.
    Saludo

    ResponderExcluir
  4. Que experiência! Não há mesmo como esquecer, meu amigo. É cômico para quem lê, mas posso imaginar seu constrangimento diante de menina tão atrevida rss. Como sempre, um ótimo texto! Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Afonso , você já passou por cada situação, amigo! O que seria da vida se não houvesse esses temperos para o crescimento... não é mesmo? Vida louca, vida! Adoro ler suas tão bem escritas crônicas, meu amigo. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. Tão inocente que o moço era!!
    E ela danadinha para a brincadeira.
    Aquele abraço

    ResponderExcluir
  7. Aquellos tiempos de la niñez cuando las niñas son atrevidas no se olvidan. Un gusto leerte amigo Poeta, saludos.

    ResponderExcluir
  8. Misericórdia...Que mocinha mais inconveniente, convidar-se para entrar em uma casa assim do nada é no mínimo estranho!
    A infância sempre deixa um ou outra marca que nos envergonha, arrependimentos. Ruim é quando estamos quase indo dessa vida e continuamos a prender pássaros em gaiolas.
    Adorei o texto, principalmente por ter mais parágrafos com as falas, como meus neurônios andam dando tilt, facilita minha leitura, sem dúvida!
    Mas cá para nós, esse é o sonho de quase todo menino! :D
    Abração, amigo Silvio!

    ResponderExcluir
  9. Engraçado, mestre... depois de grandes, já não achamos essas oportunidades, não é? Aí, pelo menos, poderíamos escolher a reação! ;) Meu abraço, amigo; mais uma bela página. Boa semana!

    ResponderExcluir
  10. Alguém tem de começar não é?
    parece que ele não tinha muito jeito, então a vizinha estava de olho!

    ResponderExcluir
  11. Buenisima tu historia
    mi amigo, un gusto visitarte.

    Besitos dulces

    Siby

    ResponderExcluir
  12. Ouch, rather uncomfortable memories of youth!
    When innocence collides with half-experience...it is remembered forever with a cringe.
    I know this experience well!!😉
    A fabulous post...many thanks for sharing!😊😊

    Have a great day 👍

    ResponderExcluir
  13. Si bien resulta muy graciosa la lectura por todo lo que va aconteciendo, es verdad que chicos de la misma edad tienen muy distintas experiencias y aprendizajes relacionados con el sexo y que todo lo que nos avergüenza a determinada edad es muy difícil de olvidar .. una entrada para pensar. Un abrazo Alfonso y bonito fin de semana

    ResponderExcluir
  14. Oi Sílvio,
    Linda as sua reminiscências, eu preferia não tê-las, pois o que mais me dói são essas malvadas lembranças.
    m beijo no coração.
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  15. Es curioso como en la inmadurez de la niñez o la preadolescencia, distorsionamos el sexo...
    Nos creemos tan mayores cuando en realidad no sabemos nada
    besos

    ResponderExcluir
  16. It is a sad story. Who knows why the girl acted like that, maybe she was in a state of shock or maybe she had some mental problems?

    ResponderExcluir
  17. Oi Silvio! Que mulher despachada, em?
    Gostei da firmeza do menino, não quero e pronto!
    *****************

    ResponderExcluir
  18. Jesus! Mas que guria atrevida! Os meninos são mais puros que as meninas, hahaha, infelizmente.
    Como estão por aí? Aqui muito trabalho. Estou em guerra com as folhas do jambolão que não param de cair. Pareço uma louca , varrendo e brigando. Até so pássaros vem pra perto rir da minha loucura. haha
    Abraços e tenha um feliz sábado.

    ResponderExcluir
  19. Numa breve passagem - com mensagem colada - a fim de poder chegar a todos. Desejando que todos se encontrem bem de saúde. Obrigada a todos por não me terem “abandonado” Voltando, conforme o tempo me permitir. :)
    --
    “ Liberdade hipócrita ”
    -
    Beijo e um excelente Fim de Semana;-Prolongado.

    ResponderExcluir
  20. Olá Sílvio, estava com saudades e vim aqui para o visitar!
    A sua escrita sempre interessante com episódios marotos!
    Obrigada por ter visitado o meu blog durante a minha ausência e pelo carinho demonstrado!

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  21. Oi amigo,
    Tem aqueles beijos que nos afogam e eu sou vítima do meu marido.
    Ele é beijoqueiro e já não ligo para beijos. Vou direto....
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  22. Bah...Cada uma,né? Obrigadão pela visita! Desejo tuuuuuuuuudo de bom,abraços, chica

    ResponderExcluir
  23. Oiee meu amigo. É cada uma que aparece, né? 😂😂😂😂😂
    Ela queria era roubar sua inocência. Espertalhona e abusada pelo modo como entrou em sua casa e pelo o q se propôs a fazer😂😂😂
    Beijos,
    Paloma Viricio❤❤

    ResponderExcluir
  24. Que menina danadinha!
    Um grande abraço, Silvio
    Verena.

    ResponderExcluir
  25. Mas ora vejam... provocou andando pelado e depois viu-se numa situação jamais imaginada. Coitado do garoto!!! Perdeu a chance por pura inocência
    Um conto excepcional, Silvio
    Um abraço

    ResponderExcluir
  26. Oi AMIGO,
    Sem resposta, pois hoje morri.
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  27. O meu aplauso para mais um conto que provoca a nossa essência!!!

    ResponderExcluir

POR FAVOR, NÃO SAIA DE CASA
(Se possível, fique na sua casinha,
não receba ou faça visitas. Não abrace
ou se deixe abraçar porque se você não
pegar o vírus não me mata e eu não
mato os outros.
((silvioafonso))


.