sexta-feira, 25 de outubro de 2019

PLANO "B"

     Quando a gente é novo tudo é fácil e possível. A gente tem força, coragem e beleza, pois o viço da pele é que dá motivo à molecada pra pentelhar as meninas como eu pentelhava.  E assim eu fui namorando, primeiro as bobinhas e quando tomei coragem arrisquei às mais sabidas e até mentia, quando precisava pra conquistá-las.  Eu não ligava se descobriam que faltei com a verdade, principalmente por ter conseguido acariciar os peitinhos ou encochado a garota num canto escurinho da rua. Coisa que poucas gostavam, mas eu adorava.  Lembro de quando mostrava o que eu tinha dentro das calças e uma ou outra fazia cara de nojo.  Nem todas queriam olhar ou  meter a mão no negócio, mesmo que morressem de curiosidade.  Eu insistia até que cedessem.  Em contra partida tinha os peitinhos, mas em momento  nenhum os ofereciam pra eu bolinar, muito menos esfregar na cara ou colocar na boca como queria que fizessem com o que eu lhes mostrava. Por conta disso fiquei algumas vezes sem ter com quem sair. Nesse caso eu procurava a Paulinha só pra não ficar vendo tevê com meus pais.   Paulinha era fora de série. Uma colega de escola que fazia qualquer coisa pra estar comigo, mas só quando eu não tinha ninguém saía com ela.  E não era por não ter os atributo das gostosa ou não ser um tesão de mulher que eu não queria sair, mas porque qualquer uma me estimulava sexualmente mais do que ela, só isso. A gente não saía pra teatro, pra cinema, pra praia ou qualquer lugar que não fosse o meu quarto ou o dela e quando acontecia ela me agradecia por tê-la procurado.  Pobre Paulinha que curtia os meus atrevimentos ou fingia pra não ser descartada.  Tudo o que eu queria Paulinha me dava até porque tinha passado por mãos mais irresponsáveis que as minhas.  Paulinha era tão maravilhosa que nem se  importava de me fazer companhia quando eu não tinha nada melhor. Sempre que a procurava ela estava às ordens.  Tratava-se de uma garota direita, mesmo assim a levava a lugares  que só um cara maluco como eu seria capaz.  Mas era gostoso o que a gente fazia. Mas essa facilidade tirava um pouco do meu tesão, mas a gente acabava fazendo assim mesmo.

26 comentários:

  1. Quem sabe poderia ter sido o amor de sua vida...!!!
    O Plano B poderia ter sido o Plan Ú..nico!!
    Pois assim é a vida....quem me quer mandei embora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei sua observação, meu amigo.
      Um abraço de agradecimento.

      Excluir
    2. Licença Palhaço Poeta,
      mas
      Affff PDR...
      nem parece o
      editor lá do seu Blog.
      rsrsrs

      Excluir
    3. O cara é fantástico, mas tira
      onda de vulgar. Vê se pode.
      Eu disse pode, hein!

      Excluir
  2. Palhaço Poeta,
    Que nada, a Paulinha
    só se aproveitava e
    curtia, tanto que não foi
    esquecida... Será que
    ela lembra?
    rsrs
    Adorei esse texto bem canalha
    bem ao modo Palhaço poeta
    e com personagens alinhados com
    os de Nelson(R) e do Ruben(F)
    Bjins e Abraço da gente.
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para de me comparar com os
      gênios, minha amiga. Assim
      vão pensar que vc é a mãe
      protegendo o rebento.(risos)
      Obrigado, minha amiga.
      Muito obrigado, mesmo.

      Excluir
    2. Não comparo a 'pessoa'
      e sim a 'escrita'
      cara pálida!

      Excluir
    3. Tá bem, amiga. Tá bem.
      Uma beijoca, então.

      Excluir
  3. Olá Afonso! Poxa vida, eu também já tive algumas paulinhas, e confesso, que dentre elas havia uma, que me arrependo de não ter investido mais ou ter dado mais importância… Adorei o texto bem honesto e sem tabus. Coragem para descrever as canalhices que nós todos tivemos na juventude. Que fase boa foi aquela ! Livre das amarras da responsabilidade…. apenas viver. Parabéns! Adorei a leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beto, desculpe se não for assim que
      o chamam, você disse aquilo que eu
      penso e falei no meu texto, pois Pau-
      linha, mesmo sendo o plano "B" de um
      garoto que nada entendia da vida além
      de pensar nos hormônios que fervilha-
      vam, usa deste artifício para exaltar
      a mulher que já cedo sabia o que queria
      e lutou para isso.
      Um abraço e muito obrigado por vir.
      Um abraço ao amigo e, em tempo, você
      me honra com seus comentários.

      Excluir
  4. Bueno, Paulina hizo lo que pudo, si valió la pena pues mejor.
    Saludos cordiales

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deve ter valido à pena sim,
      querida Julia ou ela não teria
      repetido o prato diversas vezes
      no ano.
      Beijos, querida e obrigado.

      Excluir
  5. Meu querido amigo Silvio.
    Tive que rir muito com suas canalhices, e o que foi feito da pobre Paulinha, vai ver que ainda te espera pra tirar um sarrinho pelos escuros da vida... AFFF; Na arte erótica vc não tem par.

    Bjs no core e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caso tenha falado a verdade quando
      disse que riu com as minhas bobagens
      o texto, automaticamente, foi pago.
      Adorei seu comentário, querida Diná.
      Um beijos.

      Excluir
  6. Nunca se cospe no prato que se come!! ;)
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jamais faria isso. Se o amigo
      prestasse atenção ao ao invés de
      ficar olhando as pernas da garota
      da carteira de trás teria percebido
      que lambi e não cuspi naquele prato.
      Concluo dizendo que esta foi a forma
      que eu encontrei de exaltar aquela
      que na tenra idade já sabia o que
      queria e do que gostava, custasse
      o quanto que a ela fosse cobrado.
      Pedro, tô brincando, hein.
      Um abraço e muito obrigado por fa-
      zer um cara que passou o dia em "modo
      avião" escrever tanto quanto escrevi.

      Excluir
  7. Respostas
    1. Você não conhece Paulinha, assim
      como ela não conhece limites.
      Beijos, Alice querida.

      Excluir
  8. Por certo a Paulinha gostava mesmo da companhia. Gira a forma como você expõe este dilema que se passa com tantos rapazes… Gostei imenso de o ler…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É como eu falo em um dos meus
      textos. Todos que escrevem
      sobre a vida dos outros, mesmo
      que "en passant", acaba falando
      da sua. Neste texto, por exem-
      plo, não omito o sujeito.
      Beijos, amiga Graça Pires. Beijos.

      Excluir
  9. Depois de uma breve ausência (doente), estou de volta. O Gil com muito trabalho, incumbiu-me de vos visitar... Hoje numa passagem rápida. Espero que entendam...

    Hoje, do Gil António :-O amor e a sua ausência

    Bjos
    Votos de uma óptima Noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O importante, Larissa, é que
      você ficou boa. A gente ganha
      com sua volta à poesia e ao nosso
      convívio.
      Beijos.

      Excluir
  10. Seu Silvio,
    Venho aqui agradecer por
    sua ajuda e consideração.
    Seu Blog é muito bem
    estruturado e eu ainda
    estou aprendendo a caminhar
    entre os Blogs, Dona
    Catiaho tem me ajudado.
    Desculpa qualquer coisa.
    Maria Azevedo

    ResponderExcluir
  11. Ter um prato pra comer é bom. Melhor ainda é ter o que comer...

    ResponderExcluir
  12. Saudações BDSM, Silvio Afonso!!!

    Parabéns, amigo blogueiro, sua página é muito boa... E adorei a Paulinha, seria ela uma escrava submisssa?

    Mas, estou hoje aqui para trazer nosso abraço, meu e do meu escravo Werther. Também, para te contar que reestruturamos nosso blog e o quanto queremos sua presença por lá.
    Por determinação do servidor, mudamos o endereço e contamos com sua compreensão para altera-lo em sua lista . O novo endereço é:

    https://acasadeamaryasmineewerther.blogspot.com

    Venha nos visitar e comente... Sua presença nos fará muito felizes!

    Amar Yasmine e Werther

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.