terça-feira, 3 de julho de 2018

TRANÇAPERNA.

 
  Recebi um envelope com uma foto e um convite aonde uma professora desejava reunir os alunos a quem, há 50 anos, dera as primeiras aulas. Na foto onde todos se espremem para não ficar fora a gente vê que o menino Toninho era o dono da cena. Também dá para ver  os colares que Teresa Dias, nem para dormir, se separaPedro Coimbra, o melhor aluno da sala, sempre com a fitinha verde amarela pregada na blusa. Não só o livro de poesia que Gil presenteara à Larissa estava com a professora como também o inseparável caderninho onde Cátiaho escreve seus versos. No alto, à direita, Elvira Carvalho, a menina das saias cumpridas, faz caras e bocas. Graça Pires e Ângela, Maria RodriguesGracinha e Diná Fernandes que para chamar atenção fazem pose de artista, não estão nem aí para a coisa. E essa cara emburrada que faz a Janicce, na janela de sua casa de Madeira? Antônio G, Lúcia Silva, Laerte e Majo Dutra, estão mais comportados. Céu, que vivia mexendo comigo, tenta tirar Toché Lopes do sério. É pena não me lembrar do nome dos outros, a não ser o da menina magrinha de tranças grossas e pernas finas que vivia olhando para baixo como se procurasse por algo perdido.  De tão rasteiro a turma a criticava dizendo que ia criar raiz em seus olhos.  Diziam, mas se enganavam, pois flores era o que eu via quando ela me olhava, e a cada piscada abria-se um novo botão de uma nova esperança.  Essa é Sandra. Uma Sandra de nome importado e tão diferente que muitas vezes me peguei rindo por isso. Talvez nem fosse por causa do nome, mas por causa  das tranças grossas e das pernas... Não tão grossas.
Quando eu chegar a escola espero sentir aquele cheirinho de cinema daqueles tempos e que a minha professora ainda tenha no rosto o sorriso que tanto me encantava, e o olhar, antes tão expressivo, não tenha perdido a luz que ofuscava a vista da gente. Eu sei que o tempo passou e levou a infância da gente.  Só espero não ter mudando a ponto de ter que dizer o meu nome para que saibam com quem estão conversando. Quanto as meninas, acredito que a maioria deve ter se casado enquanto os meninos que fugiam do centro das discussões não exercem a profissão desejada ao passo que eu, vermelho de vergonha,  direi que sou aquilo que afirmei que seria quando crescesse. Na despedida a professora certamente ficará na ponta dos pés e não mais se curvará para beijar minha face como fazia enquanto eu precisarei me conter para não correr ao refeitório aonde eu pedia para repetir como se em casa não tivesse comida.
Com esse filme rodando na cabeça e o envelope apertado no peito seria impossível voltar à realidade se essa brisa gostosa não tivesse lambido a minha cara.

26 comentários:

  1. Como o entendo!!!
    Fui professora durante 35 anos ... bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou paraquedista porque
      me diplomei,mesmo que deixe
      de dar meus saltos, por aí.
      Portanto, Professora, um
      beijo.

      .

      Excluir
  2. É sempre uma alegria
    ler seus ótimos e bem
    desenvolvidos enredos,
    mas fazer parte dele tendo
    o nome citado
    junto ao de tanta gente
    boa e bonita é de fato uma festa!
    Grata por essa viagem Palhaço Poeta.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  3. É sempre bom recordar o que foi bom...Adorei ler ;))

    Poema do Gil António, que, por motivos profissionais não pode visitar-vos. Esperamos que entendam...Obrigada.

    Gratidão em Chuva de Amor

    Bjos
    Votos de uma óptima Terça-Feira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um beijo para o Gil e
      que volte logo.
      Obrigado, amiga, pelo
      carinho da visita.

      .

      Excluir
  4. Não direi que todos, mas alguns dos alunos daquela turminha a que você se referiu, ainda são as mesmas crianças . Isso é muito lindo mesmo! Pois que seja assim mesmo, a vida em si mesma é pesada, competitiva e até mesmo cruel. Cabe a nós mantermos bem vivas as lembranças que nos fazem pessoas melhores.
    O dia amanheceu mais bonito hoje ou foi impressão minha?
    Namastê!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O dia jamais fecha a cara para
      quem vê com os olhos do coração.
      Um beijo, minha amiga, é um pri-
      vilégio ouvir seu relato.

      .

      Excluir
  5. Aplaudo a criatividade e o carinho, Sílvio.
    Gostei de me ver na foto, pois pensava que andava
    aborrecido comigo. Tenho andado ausente involuntariamente.
    Beijo
    ~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudoso com certeza, zanga-
      do nunca.

      Beijos e, bem-vinda de volta.

      .

      Excluir
  6. Boa tarde, amigo! a sua criatividade é incrível, gostei de ler e relembrar os alunos que certamente continuam com aquele espírito jovem, capazes de dar pontapés na lua, a partilha é perfeita.
    Continuação de boa semana,
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu estás na foto, viste?
      Um abraço, querido Antônio
      e boa noite.

      .

      Excluir
  7. Achei maravilhoso este belo texto tão bem humorado!
    Boa continuação
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que eu te escuto
      enquanto tu lês o que eu
      digo.

      Beijos, Amelinha. Beijos.

      .

      Excluir
  8. Gostei do texto. Sabe que ainda há dias estive a ver a foto da minha turminha de há mais de 60 anos?
    Gostei de me ver aí.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando você reunir os primeiros
      alunos a quem deu as primeiras
      aulas, não esqueça de anexar ao
      convite uma foto para provar que
      estamos nela.

      Beijos e beijos, muitos.

      .

      Excluir
  9. Gostei muito do texto e da introdução de outros colegas destas lides dos blogues! :) Boa semana.
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto muito, Inês,
      quando você aparece.
      Muito, mesmo.

      Beijos, amiga. Beijos.

      .

      Excluir
  10. Que show amigo, rever fotos antigas é uma viagem maravilhosa e sua criatividade ficou legal nesta brincadeira com a turma desta grande família. Uma vez eu fiz algo sobre passeando pela blogosfera juntando os nomes dos blogs.
    Gostei e grato por estar em sua inspiração.
    Um abração e bom Julho inspirado amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, eu não tenho vergonha
      nenhuma de dizer que os meus
      olhos embaçam com alguns comen-
      tários. Talvez por isso eu conte
      alguns fatos, crie histórias e min-
      ta quanto ao sujeito das frases.
      Um grande abraço e obrigado
      pelo carinho da fala.

      .

      Excluir
  11. Eu estava na sala ao lado. Umas vezes de professora, outras vezes de aluna. E gostei de espreitar esta turminha. Que delícia de texto!
    É claro que um salto de paraquedas tem que ser bem estudado.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que legal você vir comentar
      o caso.

      Beijos, Teresa. Beijos.

      .

      Excluir
  12. Amei!
    Adoro sua escrita!

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  13. Oi Silvio,
    Quantas belas reminiscências de um tempo que não volta mais. Eu tenho muitas também.
    Desculpe a demora, estou doente. Vou sarar
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  14. Lembranças de outros tempos que vieram à memória do escritor com tanta doçura e saudade.
    Adoro rever as fotos desse tempo tão especial.
    Um abraço
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  15. Silvio a sua imaginação é fabulosa!
    O que eu perdi por só agora passar por aqui.
    Gostei de me ver como protagonista de uma crónica sua.
    Não, não durmo com colares, mas eles estão sempre lá. É a vida passando...
    Beijo.

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.