segunda-feira, 25 de junho de 2018

NA MOSCA.

      Depois de anos longe da pátria e dos amigos eu finalmente percebi no desprezo daqueles que falam mal da nossa terra o quanto ela é grande, vibrante e o por quê de tanta inveja que ela causa. Eu pouco me importei se alguém deixou ou não deixou de assistir o que rolava na tevê quando vazei do bar aos pulos, gritando, rindo e chorando de orgulho por essa terra que há muito tem servido de chacota  para os que não sabem que aqui nós temos quatro colheitas por ano, um clima tropical e gente bonita e hospitaleira que nasceu e mora nesse chão abençoado e que de vez em quando nos veste de amarelo, como agora. Para muitos o motivo da minha grande alegria não era relevante, mas para quem é vaiado pelos países vizinhos, o momento era tudo o que se podia desejar de um país gigante e vibrante como o nosso.  Ninguém entendeu coisa nenhuma, mas eu e o resto dos brasileiros sabemos o quanto nos deixou felizes quando atingiu o centro do alvo depois de várias tentativas. São momentos como estes, que infelizmente só de quatro em quatro anos a gente tem para mostrar o tamanho dessa grandeza. Grandeza do amor que a nossa pátria mãe gentil tem por quem nasceu ou escolheu  este lugar para viver.  É nesses momentos que eu sou o que quiserem que o brasileiro seja, mas, mesmo contra todas as vontades a gente não desiste nunca.  No arremesso seguinte, acertamos a mosca novamente, mas desta vez, antes de sair gritando a beleza do feito eu vi alguém engolindo a alegria que sentia às escondidas.  Como uma mulher casada com um nativo daquela terra cantaria vitória se o marido chora o que a nossa amarelinha lhe impingiu?
Gritar de alegria a moça não gritou, mas pude ver nos seus olhos dela a minha felicidade refletida, e como eu não sabia que além de linda e triste aquela brasileira escondida num canto de bar aonde todo o tipo de gente se reunia era casada, eu perdi o medo e o respeito e saí abraçando os que estavam ali, inclusive ela, a quem beijei na boca. Eu sabia que perdia a razão naquele instante, mas não o suficiente para deixar de perceber o quão macios e gostosos eram os seios dela comprimidos no meu peito na hora do beijo. Não sei se o meu país continuará tão bem como está indo, mas aquele beijo eu tenho certeza, continuará adoçando a minha boca a vida inteira enquanto dela eu me lembrar, assim como o cheiro do seu corpo jovem que levarei comigo para onde quer que eu vá.

23 comentários:

  1. Bom dia, na verdade sente-se mais e mais forte a pátria quando se está longe, ela é como um beijo doce, deixa a recordação e enorme saudade.
    Boa semana,
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até parece que o amigo
      não está na sua...(risos)
      Um bom dia e muito obri-
      gado pela presença e por
      suas palavras.

      .

      Excluir
  2. Afinal quem marcou um golo foi você, não foi só o Brasil :))))
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje, porém, serei mais
      português que os teus
      amados patrícios, oh, gajo!

      Um abraçãoooo.

      .

      Excluir
  3. Mais um maravilhoso e instigante texto :))

    Bjos
    Votos de uma óptima segunda - feira.

    ResponderExcluir
  4. olá Silvio, que assim seja essa bandeira bem alto !
    nós também nos alegramos com o sucesso dos brasileiros :)
    sabe que muitos dos nossos antepassados comuns, brancos, pretos, amarelos, deram as suas vidas para esticar essas enormes fronteiras ! então que tenhamos orgulho de tudo o que de bom por aí existe e acontece !
    abraço

    Angela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Afinal de contas, somos
      todos, você, seus patrícios
      e nós brasileiros, uma só
      família, não é não?

      Beijos e obrigado por ter co-
      mentado o texto, querida ami-
      ga Ângela.

      .

      Excluir
  5. ¡Hola Silvio!
    Apenas leí tu comentario en mi blog. Entre que estoy muy desvelada, el traductor de google es lo peor del mundo y el portugués/español están llenos de falsos cognatos, no estoy cien por ciento segura de lo que dices. ¿Hablaste con ella? ¿Cómo fue todo? Creo que no importa que seas chico, lo que importa es falar, falar de todo lo que ella quiera, escucharla, y hablar quizá también de las cosas que no quiere y la lastiman.
    Abrazo, poeta. Gracias por la visita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No, no hablé con ella al respecto. Ella debe tener sus motivos, pero yo no los entendería si me golpea para decirlos.
      Un beso. Muchos besos.


      .

      Excluir
  6. Rapaz eu adoro esses
    efeitos patrióticos!
    Feliz coragem do que
    abraçou, beijou e sentiu
    e de quem se deixou beijar e
    ser sentida.
    Lembranças de um momento,
    esse seria a sugestão para
    um subtítulo.
    Obs: Gosto sobretudo da frequência.
    das publicações. Grata por nos
    brindar (nós todos os seus leitores).
    BJns
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  7. Também vibrei com a vitória do Brasil, meu Amigo.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então estaremos juntos
      na arquibancada da vi-
      tória com o meu ou com
      o seu time campeão.

      Uma beijoca grande.

      .

      Excluir
  8. Meu amigo
    Está escrito aqui em baixo desse espaço pra comentários o seguinte: "Diga o que quiser do jeito que você souber", pois é...o que tenho a dizer é que ontem retirei da sidebar do meu blog, aquela bandeirinha verde-amarelinha da minha amada terra, o Brasil. Ela tremulava lá já bastante tempo, e, eu me orgulhava dela e do que representava.
    Da nação brasileira hoje me sinto envergonhada...
    Sem querer tirar o teu tesão pela seleção brasileira, longe de mim rsrs...é que me senti a vontade para escrever o que queria do jeito que eu sei, como sugere o seu convite.
    Beijos e sucesso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morar no alto é bom,
      só não vale perder o
      equilíbrio. Aqui a gen-
      te tem como ver as es-
      trelas, independente da
      luz.

      Beijos, meu anjo Sandrinha,
      beijos.

      .

      Excluir
  9. Também estou torcendo pelo Brasil... em segundo lugar.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só aceito se o seu
      for o primeiro, tá?

      Beijos, amiga Ursa.
      (risos, muitos risos)

      .

      Excluir
  10. Bea cronica amigo desta emoção e o que olhos atentos vêem e que faz inspirar. Aqueles "ojos verdes", quiça quiça quiça.
    Belo trabalho amigo.
    Que haja sorriso e menos sofrimento.
    Abraços de paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é um cavalheiro, meu
      amigo Toninho, por isso me
      fala o que adoro ouvir.

      Um abração e bom jogo.


      .

      Excluir
  11. Olá, Silvio!
    Está no sangue do português, só gosta da Pátria quando está longe.
    Quanto ao rei futebol, seja qual for o evento eu torço sempre por Portugal e pelo Brasil. SEMPRE!
    Claro que numa final Portugal-Brasil eu vou gritar, ou berrar, pelo meu país...
    Beijo, meu amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse caso a pátria amiga é
      a mais amada do continente,
      até porque, há mais portu-
      gueses fora do que dentro de
      Portugal.

      Beijos, Teresa e, Avante
      Portugal e Brasil, Avante!


      .

      Excluir
  12. Eu confesso que nesta copa não estou tão vibrante como nas outras, mas é claro, eu fico muito feliz quando o Brasil joga e ganha.
    Poeta, um abraço e bom final de semana, que se aproxima.

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.