sexta-feira, 18 de maio de 2018

SONHO DE VALSA.

    
    Seu Justo, um senhor metido a puritano, mas que de puritano não tinha nada, gostava da maneira como o tratavam na padaria, principalmente por parte de Janice, a garota do caixa a quem cantava na maior cara-de-pau.  Talvez, em um desses momentos, a tivesse feito entender que precisava de uma pessoa para cuidar de si e da casa. Por isso Margarida, que era amiga de Janice, começasse a visitá-lo.
 Senhor Justo se arrependeu de não ter dito a Janice, que afora ela, mulher menor de 50 anos, principalmente as bem feitas de corpo e que usam vestidos curtos, não tinha chance na casa dele, até porque, ele sabia o tipo de homem que era.
Em duas oportunidades seu Justo teria descartado a possibilidade dessa pessoa trabalhar em sua casa, mesmo assim não tinha um dia que ela não o procurasse a noite para convencê-lo do contrário. 
Em contrapartida o cinquentão “lutava” para demovê-la da ideia.
– Pois é Margarida. Eu sei que a casa precisa de uma boa limpeza, mas eu não posso pagar o que você merece e mesmo se pudesse talvez eu não devesse já que vivo sozinho.  Você é u'a moça bonita e com predicados que não me deixariam dormir, principalmente  com você aqui, tão perto.  E se digo isso é porque já tive problemas, e não pretendo cruzar essa ponte outra vez – disse sem esconder que mentia.
– Ah, seu Justo, eu sei que o Sr. precisa de uma empregada da mesma forma que eu preciso de um emprego. Esqueça os detalhes que o senhor mencionou e me aceite, vai!  Eu juro que não tiro  o seu sono.  Até pelo contrário. Farei tudo para que seja tranquilo como eu sei que serão os meus se o senhor me empregar – disse com cara de dengo.
   Seu Justo tinha jurado não tocar mais no caso, mas como fazer para se livrar aquele demônio? 
– Oh, bicho desgraçado é mulher! Enquanto uma foge das minhas cantadas outras levantam a minha libido tão alto que parece doer com o estado que fica. Só que o preço para aplacá-la só eu sei quanto custa – resmungou. 
– Não, Margarida. Melhor não. Está na cara que isso não vai dar certo. Eu me conheço, enquanto você...
Margarida não esperou que completasse a frase. Abaixou a cabeça, pegou a bolsa pendurada no encosto da cadeira e já ia saindo quando seu Justo a puxou pelo braço. Margarida rodou nos calcanhares e sentiu o seu corpo encostar-se ao dele.  Um fogo, não se sabe vindo de onde,  cozinhou o juízo de Justo de tal forma que, não resistindo aos impulsos, beijou-a na boca.  Margarida, num gesto ligeiro enlaçou-se ao  pescoço do beijoqueiro e num salto trançou-lhe a cintura com as pernas. Sem desgrudar da moça a leva, como filho de macaco agarrado a mãe e a deita de costas no tampo da mesa.  Não tinha sacado a arma para abater a caça quando a campainha tocou.  Num salto Justo saiu da cama e antes de atendê-la notou que teria perdido a hora se a maldita campainha estivesse desligada. Nada, entretanto, havia do outro lado da porta a não ser um bilhete enfiado por baixo, onde se lia;  Obrigado seu Justo, mas o dono da padaria me chamou para trabalhar com ele. Desculpa a amolação e muito obrigado, de novo. Ass. Margarida.
Seu Antônio era viúvo e diziam as más línguas que antes da morte da esposa o safado levava as mulheres para dentro do estabelecimento onde metia a mão na massa.  Encantadas em vê-lo preparando os sonhos deixavam que lhes queimasse as roscas.

33 comentários:

  1. Lá teve ele que ir tomar um duche de água gelada :)))
    Aquele abraço, bfds

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois foi, amigo Pedro.
      Essa planta vai morrer
      com tanta água na raiz.

      .

      Excluir
    2. E por se estar a falar em água, a "maré" me trouxe até aqui, ao cimo do blog. Desejo de "protagonismo" é o que é -rs.
      O recado já lá está. Bien merci.

      Excluir
  2. Sempre particolari le narrazioni intense delle tue pagine
    Un saluto,silvia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, amiga. Fico feliz
      quando aparece na ja-
      nela.
      Beijos e beijos.

      .

      Excluir
  3. Muito boa publicação.Chamam-se, cá.. Bolas de berlim. Bom texto.

    Hoje:- Onde há vontade há um caminho.

    Bjos
    Votos de uma óptima Sexta - Feira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui, por enquanto, ainda
      é sonho, mas não me espan-
      to, se amanhã se chamar;
      Dreams.

      Beijos.

      .

      Excluir
  4. A tentação das bolas de berlim... rsrs


    Convidamos a ler o capítulo XIV do nosso conto escrito a várias mãos "Voar Sem Asas"
    https://contospartilhados.blogspot.pt/2018/05/voar-sem-asas-capitulo-xiv_18.html

    Votos de bom fim-de-semana!
    Saudações literárias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São delícias para comer
      e curtir e viver na hora
      de dormir.

      Beijos,


      .

      Excluir
  5. Quem começou a "visitar" o Sr. Justo? Severina ou Margarida?

    o que fazem algumas mulheres só por precisarem de um emprego -rs!

    enfim, sonhar é alcançar e o Justo deve ter sonhado muitas vezes, o k é normal.

    deixei recadinho-resposta pra você no "Acrescente um ponto ao conto".

    Vive la vie et rêve!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim você me confunde.
      Agora nem sei mais quem
      é quem na história, acho
      melhor escolher novo nome
      para ela (risos).
      Obrigado, amiga. Vou cor-
      rigir a bagunça, só não
      prometo acertar sempre.

      Beijos e beijos, muitos.

      .

      Excluir
  6. Olá, Sílvio!
    As suas histórias são hilariantes, encantadoras,
    viciantes.
    Gostei desta mas dou um aplauso maior à anterior, a "Louca de Pedra". Mais séria, muito boa!
    Ah, também gostei das fotos, ambas gostosas.
    Beijo, amigo, e bom fim-de-semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bom da coisa é que
      você pode escolher e
      quando sobra uma do
      seu gosto eu folgo em
      sabê-lo.

      Beijos, garota. Beijos.


      .

      Excluir
  7. Boa noite Silvio
    Vou tentar abri o meu blog para poder deixar vc me seguir. Uma boa noite .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz e agradecido
      pela honra.

      Beijos.

      .

      Excluir
  8. Uma história com uma narração viva como é sua característica!
    Beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manuela, sempre carinhosa
      com os amigos.
      Um beijo, meu anjo.

      .

      Excluir
  9. Um conto pleno de criatividade e humor.
    Aquele abraço.

    ResponderExcluir
  10. Grande poeta!
    Que bela trama amigo que prende, faz respirar e rir.
    Belo trabalho da sua arte.
    Bom domingo para uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toninho, meu camarada.
      Como diria o ex-presi-
      dente. Que ótimo te
      ver por estas bandas.
      Amanhã certamente o a-
      migo estará por qui,
      novamente, até porque,
      postarei um novo traba-
      lho. Espero que gostes,
      caso contrário, continu-
      arei tentando.

      Um abração,

      .

      Excluir
  11. Sonhar não paga imposto e o Justo pode continuara a sonhar. Mas nunca vai saber como seria a realidade.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elvira, meu anjo. Que
      gostoso te ver na mi-
      nha janela, garota...

      Beijos.

      .

      Excluir
  12. Criatividade, originalidade e sensualidade, além de boas doses de humor, são características fortes presentes em seus textos que atraem seus leitores, sobretudo eu.
    Beijos e uma semana abençoada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lúcia, talvez eu escreva
      só para você criticar. A-
      doro quando a vejo por a-
      qui, no blog.

      Uma beijoca e brigadim.

      Tô seguindo você no seu
      novo endereço, sabia?


      .

      Excluir
  13. Uma história muito boa. Confesso que o final me surpreendeu. E confesso também que essas bolas de Berlim são uma tentação…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Surpreender você, Graça,
      essa era a minha intenção.
      Adorei vê-la por aqui.
      Obrigado pelas palavras.

      Um beijão...

      .

      Excluir
  14. Boa tarde, Sr. Sílvio Afonso -rs!

    Como tem passado? Espero k bem e com mto mais criatividade e imaginação, visto que se iniciou, oficialmente, a abertura à "caça", segundo disse no blog "Acrescenta um ponto ao conto". Então, caçador k se preze tem k ter tudo arrumadinho, estar mto atento e sair bem cedinho.

    Li, de novo, seu post, e a correção do nome da menina, já foi feita. Assim, o leitor não se baralha.

    Não posso lhe dizer k estive doente, pke não estive e nem uma pequena constipação me visitou. Mas por que haveria eu de estar doente ou de lhe dizer, k estive doente, sem estar?

    Minhas mãos, embora doentes, estão um pouquinho melhores e daí novo post lá no blog, que você já comentou e que mto agradeço. Não falou do vídeo. Não escutou e viu as imagens?

    Eu vou passando por cá, para ler as suas novidades literárias.

    Beijo e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como você tem coragem de
      dizer que eu ou alguém
      não viu ou tenha ouvido
      ADAMO se para acessar o
      blog é preciso pedir licença
      a ele? ADAMO embala desde
      há muito, o romance da nova
      e das outras gerações.
      F. Comme Femme, por exemplo
      é um hino cantado ao amor.
      Eu também gosto de C'est Ma
      Vie. O ritmo tem a mesma pe-
      gada, principalmente no que
      diz respeito ao arranjo.

      Céu, meu anjo, um beijo e
      muito obrigado por corri-
      gir meu texto.

      Um beijão para você e um
      beijinho na mão que, fe-
      lizmente, está curada.

      .

      Excluir
  15. Criatividade nas palavras e bom humor sempre...

    Adoro seus contos.


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ani, que legal te ve
      aqui, garota.
      Obrigado e uma beijoca
      para ti, querida.

      .

      Excluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.