sexta-feira, 25 de maio de 2018

LEMBREI DE VOCÊ.

   
    Pensei que fosse enfartar quando fiquei sabendo que você ia embora, coisa que eu jamais pensei que pudesse acontecer, mas, infelizmente, eu me enganara. Agora eu fico aqui, pensando na gente, nos seus momentos comigo e nos meus com você. Depois me bate um desânimo que nem ir à rua eu penso. Também não penso em comer e muito menos sair para beber ou falar com qualquer pessoa. Quanto a dormir, em qualquer lugar estava bom, até porque, eu estaria por perto quando chegasse a hora.  Assim eu fiz naquela noite, naquela semana e naquele mês, que foi o tempo que durou a minha agonia.  Acredito que a sua também.  Eu reconheço que peco por ouvir as pessoas para não errar nas minhas decisões e ficar na minha foi o que me aconselhavam porque mulher é assim, mesmo, imprevisível - me disseram. E não fossem os palpites que me deram e eu não teria percebido um par de olhos me procurando como criança  procura bala na festa de Halloween.  Eram olhos lindos como lindas são as manhãs. Introspectivos como os de um tibetano e mais fieis que os do chapim-azul. Era belíssima às vistas de todos e fiel àquilo que se propõe e a Deus.  Minha pressão deveria explodir, com você a minha frente. Deveria estourar todas as minhas artérias, sangrar pelos poros e parar o surdo do meu coração.  Mas nada disso aconteceu.  Naquele momento senti-me calmo como a face tranquila e serene de um lago. Minha pressão, que parecia um motor de barco de prova, transformou-se em remos de barco à vela tal a calmaria que você proporcionou com a sua chegada. Acho que você me sorriu quando seus olhos acharam os meus. Seu corpo parecia responder aos movimentos do meu e foi com um gesto de quem parte sem deixar pista de que volta algum dia, que você olhou para o caminho que seus pés resolveram trilhar. Do jeito que você me deixou eu fiquei e acho que estou, mas na casa onde você estava em todos os cantos, já não resta o que me faça lembrar de você. Só a saudade que o tempo tatuou na minha alma restou de você.  Seria maravilhoso se você não tivesse partido. Seria maravilhoso tê-la em casa nos momentos em que eu, reclamando do patrão e xingando os colegas, pudesse me atirar aos seus pés aonde as queixas, minhas dores e tristezas desapareciam sob o seu olhar bondoso. O que sossega um pouco esse meu coração é a certeza de que você não se foi por cansaço da minha presença, mas para atender aquele que a permitiu passar tanto tempo ao meu lado.  Dois anos e meio foi o tempo do nosso convívio. Você comigo. E eu com você.  Os outros jamais deixaram de serem os outros, enquanto a gente... Eu era um bobo, não nego. Mas um bobo apaixonado pelo irreal, enquanto você, uma realidade apaixonada por um bobo que eu, infelizmente, jamais voltarei a ser.

25 comentários:

  1. Maravilhosa publicação. Gostei do texto. Parabéns:))

    Hoje:- Tocar-te-ei, sem limites, qualquer canção .

    Bjos
    Votos de uma óptima Sexta -Feira

    ResponderExcluir
  2. Perdeu alguém que lhe era muito querido?
    Lamento imenso.
    Aquele abraço, bfds

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vou comentar a
      perda, mas que está
      fazendo falta, está.
      Se eu te falar sobre
      quem eu falo, você
      vai me bater, com
      certeza.

      Um abração, Pedro,
      amigo.

      .

      Excluir
  3. Eu leio o Palhaço Poeta há mais
    tempo que me lembro, em 2007
    Eu já pousava meus olhos
    nessas letras impregnadas de
    textos paradoxais. O blog me chamava atenção do nome aos
    textos diversificados em forma
    de cronicas, muitas vezes poéticos em outras quase desavergonhadas.
    Mas se os textos eram ambiguos também eram apaixonados: fosse pela Vida, pelo Sexo ou por
    Amores, como é esse.
    Me ofendi muitas vezes quando
    percebia você duvidar da minha
    crítica quando leitora, que é
    o que sou. Hoje sei que já dou
    respeitada essa minha condição.
    Por isso, meus aplausos 👏👏👏
    a essa publicação paradoxal
    sobre um amor, como acontece
    pelo menos uma vez na vida
    de todos nós. Seu texto hoje
    É para quem sabe o que É o Amar.
    É isso.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você calou minha voz,
      querida amiga Cátia.
      Obrigado. Muito obriga-
      do.

      Beijos.

      .

      Excluir
  4. Boa tarde, Afonso!
    Um texto sentido, escrito com a alma e com muita veracidade do vivido... o amor nos faz ficar 'bobos'... entretanto, nos dá muita sabedoria a ponto de escrevermos tão belo texto com o seu.
    O maor de fato, nos faz serenar (como um lago) corpo, alma e coração... só explode de emoção.
    Gostei muito. Obrigada pela partilha.
    Seja muito feliz e abençoado junto aos seus amados!
    Abraços fraternos de paz e bem
    https://espiritual-marazul.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei o comentário,
      Rosélia querida.

      Beijos e brigadin.



      .

      Excluir
  5. Uauuuuuu Silvio, como sempre, você arrasa, adorei o texto!!!
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
  6. Ah esses realismos amorosos........!rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, meu anjo.
      Com certeza.

      Beijos.

      .

      Excluir
  7. Em Portugal diz-se...
    «Nunca digas desta água não beberei.»
    Tudo passa e muita coisa recomeça... fundamental
    é não deixar morrer os sonhos.
    Gosto muito dos seus textos, Sílvio, possuem
    o condão de ''agarrar'' o leitor.
    Bom fim de semana, Amigo.
    Beijo.
    ~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comecei bem o sábado,
      sabia, Majo?
      Vindo de você a graça
      é maior.

      Beijos e muito obriga-
      do.

      .

      Excluir
  8. Começo por mais um olhar cheio de charme!
    Quanto a PERDER ... o tempo ajuda a esquecer!
    Gostei de ler!
    bjoca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto não se esquece,
      sofre-se com a dor da
      perda.
      Beijos, Gracinha. Beijos.


      .

      Excluir
  9. Sílvio, gostei de ler. Gosto da sua escrita, já várias vezes o disse.
    Beijo e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é muito generosa,
      minha amiga. Um beijo
      e obrigado.


      .

      Excluir
  10. Bom dia,belo texto de sua criação, é saudosista, o vento quando passa nunca é igual ao anterior, motivo porque nada pode ser dado como certo, mas, quando o inesperado acontece, a culpa não é só de um, se formos ao fundo da causa, concluímos que a culpa também é daquele que fica, "Todos precisamos de alguém que necessite de nós" assim é a vida.
    Boa semana,
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente ficou muito triste
      e se não fosse o amor que
      existe entre os que ficamos
      e teríamos sucumbido às von-
      tades do destino.

      Obrigado pelas palavras
      carinhosas.

      .

      Excluir
  11. Esta sua narrativa é a prova de que o amor não acaba para quem ama. Pena é quando a ausência deixa esse vazio que magoa. Belíssimo texto!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  12. Bela declaração de amor.
    Boa semana

    ResponderExcluir
  13. Perder não é bom para ninguém,
    mesmo que seja um cãozinho de
    estimação...

    Beijos, amiga e obrigado pelo
    ombro.


    .

    ResponderExcluir
  14. Calma Silvio, ela vai voltar quando o outro se cansar de passar tempo com ela... Voltam sempre.
    Como se chamava mesmo a amiguinha de 4 patas que partiu seu coração?
    Excelente texto, querido amigo.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Babi, Teresa. Babi é
      o nome dela, mas se
      voltar...

      Beijos, amiga. Te amo.

      .

      Excluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.