quarta-feira, 11 de abril de 2018

"PRECISO FALAR..."

    Há tempos nascia a criança mais linda do mundo. Não era simplesmente por ter sido o primeiro filho de um casal que se entendia e se respeitava, mas por ter sido querido e amado antes de decidir se viria. Esse moleque surgiu no mundo para iluminar a terra e o fez de maneira que as flores ficassem mais cheirosas, mais bonitas e o dia mais prazeroso.  Nasceu loirinho como um dinamarquês.  Seus olhos azuis pareciam um céu de brigadeiro e tão esmeralda, ao mesmo tempo,  como se fora filho da mãe do seu pai.  
 Essa criança cresceu para tomar  no mundo o espaço que tomou.  Fez nele o que quis e o que não quis.  Acertou como todos prevíamos, e errou como qualquer um de nós. 
 Hoje você é um homem. Senhor das suas vontades e de todos os seus desejos. Paga pelas dívidas contraídas e recebe os louros pelas vitórias conquistadas.  
Você hoje, meu filho, não fica um poucos mais velho, mas fica experiente o suficiente para entender o amor de um pai e o que ele deseja e reza para que o filho tenha e se torne.  Portanto,  seja o que você achar que pode ser, mas nunca se esqueça do amor e do orgulho que tenho em fazer parte da sua vida.
Seu pai.
...................................................................................................................................................................

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
                                                    (DE FRENTE PARA O PERIGO)
       Um recém-chegado dos cafundós de Garanhuns se espichava como um lagarto num dos bancos do Terminal do Tietê. Enganavam-se os que achavam que exibir-se fosse a intenção dele, já que estava ali a espera do irmão ir buscá-lo, como havia prometido. Enquanto ele não vinha, nosso herói se lambuzava com os olhos enfiado entre as pernas de quem as escancarava diante de um par de olhos gulosos como o dele. Às vezes as pernas se abriam tanto que pensava ver cabelinhos escapando às bordas da calcinha. E graças ao irmão não dar as caras ele pecava imaginando coisas.
  Perigo havia no que fazia, mas também era gostoso enfiar os olhos até aonde ela deixava ver. 

 Esse sujeito era grandão e mal acabado. Era nascido e criado onde Judas perdeu as botas e só estava ali por insistência do irmão que há anos tentou a sorte e se deu bem. Hoje ele é casado, bem empregado e pai de duas filhas. Na caatinga, o máximo que viam de uma mulher eram os tornozelos, mas que muitas vezes os levavam a sonhos pecaminosos.
  Agora estava ele ali deitado se refestelando...
Esquecido da vida pensava no que faria com aquela cabritinha presa no seu cercado.
Rolou novamente os olhos para os lados e na certeza de não ser observado, meteu a mão no bolso e lá ficou mexendo e remexendo não se sabe em que até que vermelho como um tomate se curvou para sufocar um grito que certamente tocaria todos os sinos da cidade.
Refeito sentiu-se quase saciado.
Segundo ele contou, passou um filme na mente dele onde, sem vergonha nenhuma, essa mocinha se jogava de joelhos e com movimentos que fazia com a boca na altura da cintura dele o obrigou a se curvar para abortar um grito. Talvez quisesse ir além daquelas olhadelas, mas as penas da lei o impediam. De qualquer maneira não deixou de se lambuzar olhando o bonito par de pernas nervosas que, em nenhum momento a garota sossegou.

 Dizem os especialistas que é uma ótima maneira de se masturbar sem que ninguém as note. Isso só se for na teoria, porque na prática o cara sabia ou melhor, tinha certeza daquilo que o levou a calar o grito.
 Sem ter como esconder o que fizera viu a pequena se aproximar e, olhando para as roupas dele disse que não o tinha reconhecido. Desculpou-se em nome do pai que estava trabalhando e mesmo não acreditando que
aquilo pudesse ser irmão do seu pai, o ajudou a entrar no uber e foram para casa.

22 comentários:

  1. A carne é fraca.
    Por muito que tente acaba por pecar :))
    Aquele abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o poder do ecossistema,
      meu jovem. Ninguém consegue
      parar...

      Um abração, querido e obri-
      gado.

      .

      Excluir
  2. Mas ainda existem cabelinhos a sair pelas bordas da calcinha? lol
    .
    * Amor sonhado nas ondas do entardecer *
    .
    Um dia feliz-

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pô, meu. Se não fossem
      os pelinhos da garota
      você talvez nem viesse,
      né, não? (risos).

      Um abração, meu amigo e
      obrigado por comentar.

      .

      Excluir
  3. Un articolo diverso e originale, su cui porre pensieri
    Un saluto,silvia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escreve pouco e diz
      muito xará. Beijos de
      gratidão.

      .

      Excluir
  4. Eita que conheço bem o terminal
    rodoviário do Tietê! rs
    E é desse jeito.
    Sempre que viajo separo um tempo
    pois gosto de ficar
    observando o ir e vir das pessoas,
    as esperas, as despedidas e
    as chegadas.
    Como acontece com seus textos fui lendo e
    e pensando: onde isso vai chegar?
    que será que o Palhaço Poeta
    aprontou
    pra nós seus leitores dessa vez?
    Adorei o insperado desfecho.
    Tomara que ele se vire bem
    com essa espevitada.
    Adorei o título e a imagem.
    Você tem uma cabeça boa pra
    associar, títulos, nomes
    e imagens
    Lindo dia por aí,
    Bjins e Abraço
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau! Leu tudo e entendeu
      mais do que eu que escrevi.
      Adoro você, moça. Adoro.

      Beijos.

      .

      Excluir
  5. Que final surpreendente. O desfecho foi maravilhoso.
    Só acho que os cabelinhos saindo pelas bordas da calcinha é coisa da imaginação dele. Hoje em dia, tá tudo depilada. kkkkk
    Bjus!

    galerafashion.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fale pelos outros,
      Adriana. Você sabe das
      suas amigas, como eu dos
      meus, mas e os que a gente
      desconhece os hábitos e os
      costumes, hein? (risos)...

      Beijos e obrigado, querida.

      .

      Excluir
  6. Kkkkkkkk gostei do texto. As imagens, hummm :))

    Hoje:- Ainda chove no meu caminho...
    -
    Bjos
    Votos de uma boa Quinta-Feira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E se um dia achar que
      já não chove tanto, mude
      de trajetória. O impor-
      tante é a água fria na
      cara. (risos).

      Beijos na face, galocha nos
      pés e guarda-chuva debaixo
      do braço.

      .

      Excluir
  7. Uma prosa sensual qb. que não nos passa indiferente pois quase que a conseguimos visualizar!
    bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você, Gracinha. Sempre
      moderada com sua palavras.
      Te adoro, menina.

      Beijos.


      .

      Excluir
  8. Muito 'pesado' para eu comentar...
    Aprendi alguma coisa... rsss...
    Bj ~~~
    ~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas já comentou, minha
      jovem. O importante é
      crescer, não importa se
      muito ou não.

      Uma beijoca carinhosa e,
      da próxima vez usarei
      luvas de pelica.

      .

      Excluir
  9. kkkkkkkk, muito bom conto amigo.
    As surpresas da vida, como se diz no interior muito cuidado que todo mundo é parente.

    Um abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão meu amigo.
      Todos são e somos, né mesmo?

      Um abração.

      .

      Excluir
  10. Conto muito interessante

    Convidamos a ler o capítulo IX do nosso conto escrito a várias mãos "Voar Sem Asas"
    https://contospartilhados.blogspot.pt/2018/04/voar-sem-asas-capitulo-ix.html

    Bom fim-de-semana.
    Saudações literárias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fui lá, li e gostei.
      Pena que acabou rápi-
      do. Vou esperar o
      próximo trabalho de
      vocês, crianças...

      Beijos.

      .

      Excluir
  11. Nossa!Que sufoco o coitado passou, imagino a cara dele se esvaindo sem querer ser notado... Gostei do desfecho,muito bom!
    Bem lembrou o Pedro, cuidado!!Ô Silvio que mente fértil a tua!!

    Bjss e bom findi!

    ResponderExcluir
  12. Olá, Sílvio Afonso!

    Você engendra e congemina muito bem esse tipo de assunto, de prosa, aliás, sempre assim foi.

    Pobre do homi, que durante anos só viu tornozelos femininos. Logica e humanamente que qdo viu umas perninhas, ai, mão e bolso pra que vos quero? O grito foi de susto (rs) ou terá sido de alívio (rs)?

    A garota se saiu melhor k a encomenda e isso ele nem estava à espera. Boa viagem e ... olha, esqueci o que ia escrever. Enfim, talvez você adivinhe, pois creio que casos semelhantes ou iguais a esse já devem ter acontecido com você. Estarei sendo má língua?

    Bom fim de semana. Abraços.

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.