segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

NACO DE PROSA em CASA DE MADEIRA.

    

   Talvez a lembrança de ter apertado a garganta de uma pessoa por quem eu tinha uma grande afeição e que para mim era amigo do peito, um  irmão camarada e de cuja lembrança me levou a narrar aquele episódio.  Também me lembro que não havia nada que um fizesse sem a companhia do outro e foi graças a essa fidelidade e confiança que a gente fez  a maluquice que contei.  Muitas pessoas de blogs que eu sigo comentaram sobre a coragem que tivemos, mas duas em especial;  Janicce do Blog Casa de Madeira, e Marli, do Blog Naco de Prosa, tocaram  fundo nas minhas memórias com seus comentários ou eu não estaria voltando ao assunto.  Não diria, por exemplo, que as vezes, quando eu era solteiro e sentindo o vazio consumir minha vida eu telefonava para a pessoa de cujo pescoço apertei e que, faço questão de lembrar, em tempo nenhum rejeitou meus convites por mais absurdos que parecessem. Ligava e a convidava a sair e não importava se fosse para conhecer uma cidade distante, almoçar em lugares exóticos ou simplesmente tomar um café na subida de Paulo de Frontim ou passar alguns momentos em Miguel Pereira, Mendes ou Conservatória em Valença onde aplaudíamos os cancioneiros em algumas ocasiões. A gente varava estrada em busca de aventura e argumento para as nossas conversas. Almoçar em casa de gente que a gente não conhecia no interior do estado em troca de alguns reais, um abraço e algumas histórias a gente já fez de montão e na volta ainda encontrávamos tempo para um drinque nos motéis da beira do caminho onde fazíamos o que nem em Kama sutra cabia. O pior é que eramos amigos e um não se metia na vida romântica do outro. Nesse relacionamento ela só fazia questão que eu a satisfizesse primeiro, depois, segundo ela dizia, eu podia fazer o que me desse na telha e do jeito que me desse tesão.  Só não valia fio terra, até porque ninguém nunca tocou no assunto, drogas, a não ser bebida, e do sadomasoquismo só algumas palmadas a pedido dela já que, segundo diz o poeta, um tapinha não dói..
Como você previu, Janicce, havia mais alguma coisa naquela relação sim, pois durou todo o nosso tempo de solteiro.  Hoje a gente se fala nas datas festivas, mas não sabemos nada mais um do outro até porque ninguém se atreve perguntar.

30 comentários:

  1. O meu amigo é um aventureiro.
    Viver a vida na sua plenitude.
    Sou totalmente a favor do conceito.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto fichas eu tiver
      estarei arriscando no mesmo
      número nessa roleta, não na
      russa, é claro.

      Boa semana, querido Pedro.

      .

      Excluir
  2. O ser humano tem a capacidade de vivenciar os sentimentos e atos mais contraditórios que na sua mente e coração se instalam!!!
    bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por essas e outras que
      vale à pena viver, querida
      Gracinha.
      Por isso deixemos-nos
      levar ao salão no ins-
      tante em que a vida nos
      tirar para dançar.

      Beijos.

      .

      Excluir
  3. 😏Interesante...
    Otima nova semana sr.Palhaço Poeta.
    Bjins e/ou Abraço
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante para ruim ou
      fica no razoável, Dra.
      Cátiaho? (risos)

      Beijos e bom dia, também.

      .

      Excluir
  4. Bom dia. Maravilhoso de se ler. Adorei :))
    Hoje:- {poetizando e encantando} Arrepios de um luar encantado
    .
    Bjos
    Votos de uma óptima Segunda-Feira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se gostou tanto como diz
      vou passar a escrever para
      você. Mesmo que uma ou duas
      palavras para não matar de
      inveja os seus seguidores...

      Beijos.

      .

      Excluir
  5. Bom dia poeta!
    Sabe o que mais aprecio na vida! As surpresas que encontro pelo caminho...
    A mente humana é um extenso labirinto e só poderemos conhecer nossos limites percorrendo os corredores a nossa frente com a mente aberta.Momentos assim como este narrado por você poeta,são feitos do que temos de melhor,livre arbítrio! Escolhas que podemos nos dar como um presente íntimo, guardados no fundo de nossas memórias para quando o caminhar por este labirinto se tornar exaustivo.
    Parabéns!beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é sempre que você aparece,
      mas quando vem, chega chegando.
      Um beijo, querida e obrigado
      pela viagem.

      >

      Excluir
  6. Você, meu amigo, gosta mesmo de aventura...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto mesmo. Esses dias
      por exemplo eu estou
      ovulando...

      Graça, seus comentários,
      sérios e bonitos me en-
      cantam, sabia?

      Beijos, meu anjo.

      .

      Excluir
  7. Estava a vê-lo hoje, extremamente feroz, quando comecei a ler o texto !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas você concluiu que
      não era nada disso, não
      é mesmo, meu anjo?

      Beijos.

      .

      Excluir
  8. Respostas
    1. Para ser sincero eu
      também achei, Carol.

      Beijos e obrigado pelo
      punhado de letras.

      .

      Excluir
  9. As memórias nos tornam a viver. Linda homenagem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. Quem
      tem memória, certamente
      tem saudade e não importa
      do quê se isso é vida.

      Beijos,

      .

      Excluir
  10. Se não pode restaurar a relação, então que se viva um novo momento com um outro alguém... Substituindo o medo pela ousadia em ser feliz. Quem sabe experimentando com mais profundidade o mundo sm. Prazer. sou ylennah SM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito prazerr, ylennah.
      Eu sou seu amigo e só
      agora você ficou sabendo,
      confessa?

      Obrigado por vir. Beijos.

      silvioafonso

      .

      Excluir
  11. Adorei sua visita e seus comentários em meu blog. Acredite, eu existo e se não faço tudo o que escrevo, faço tudo o que imagino, tudo o que está em minha poesia que muitos querem considerar erótica, mas que eu prefiro mesmo permanecer como sou: abusada e amoral, pornográfica.

    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiquei arrepiado ao
      ver tanta coragem, mas
      te garanto que adorei.

      Uma beijoca e duas pi-
      pocas.

      silvioafonso

      .

      Excluir
  12. A propóasito, li o seu comentário mais recente em que diz que uma mulher talvez não tivesse a coragem de expor tudo o que pesa e deseja em sexo e prazer. Em parte tendo a concordar com voce, pois a maior parte de nós não se aceita como fêmea e, principalmente, como narcisista e ninfômana: todas temos isso em nosso DNA, queiramos ou não. A dose é que condiciona o nosso desejo e disposição de encarar isso como prazer ou como suplício. Aqui entre nós, eu procuro prazer até no suplício.

    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse caso eu te aconselho
      a ler a postagem do dia 25 de
      janeiro nesse blog, intitulada
      Roleta mais do que Russa
      Eu adoraria saber o que você
      pode dizer a respeito.

      Um grande abraço e até lá.

      silvioafonso


      .

      Excluir
  13. Um aventureiro nato!!
    Um abraço carinhoso!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ou sonhador, Vanessa?
      Criar histórias para
      contar é bom, exercita
      a mente e estimula aquele
      que lê a contar as suas.

      Umas beijocas e muitas pipocas.

      .

      Excluir
  14. Bom texto. Aventura, reflexão, profundidade de pensamento.
    .
    -- São teus olhos ... o Bálsamo dos Meus --
    .
    Deixo um Abraço amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo, que surpresa...
      Gosto quando chego e
      encontro pessoas agradáveis
      e amigas como você.

      A casa é sua. As chaves você
      já sabe onde ficam, portanto...

      Um abração, meu jovem.

      silvioafonso

      .

      Excluir
  15. Respostas
    1. Oi, minha jovem. Tudo bem?
      Fico feliz quando te vejo
      aqui, perto de mim.

      Uma beijoca e bom carná.


      .

      Excluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.