sábado, 24 de fevereiro de 2018

GANHAR NO GRITO.

    
      Gritos, não sabia se de prazer ou de dor me jogaram fora da cama naquela madrugada. E, pelo que fiquei sabendo, eram dos novos moradores de um bloco de dois apartamentos sendo um parede-meia com o meu. Quanto ao movimento parecia com latas de cerveja e  taças ou copos de vidro se tocando. Água jorrando na pia e no chuveiro do banheiro e depois um silêncio sepulcral. Depois, do nada, surgiram os sussurros do homem e o choramingar da mulher. Segundos depois uma ordem que ela não teria cumprido, por isso o ruido de um tapa e um gemido mais profundo e demorado. Em seguidas surgiram novas ordens e novos tapas. Os gemidos se tornaram miados de gato abandonado, sofrido, e entre uma coisa e outra um gesto, talvez uma estocada mais profunda e um grito de satisfação ou desespero -  igual ao que me pusera de pé, como contei. Uma voz semitonada que dizia, toma, toma, toma, como se fosse qualquer coisa, menos os tapas que de antes. Naquele momento ela já não apanhava, pois trocara o grito e o choro por ordens que dava e não mais recebia. Eu, por mais que machucasse minha orelha de encontro a parede não conseguia entender o que ambos faziam com as ordens dadas por ela, e só então percebi o papel medíocre que eu fazia ouvindo a conversa dos outros.  Sem graça voltei ao meu leito.  Cobri a cabeça com travesseiro enquanto socavam a cama na minha parede.  Foi aí que descobri o quanto eu estava  suado e a minha pressão descompassada. Isso sem falar que se tocassem a campainha da minha porta eu não teria como atendê-la sem deixar ver as relevâncias na área abaixo da minha cintura. 
 Aí eu pergunto aos vigários e aos pastores. Pergunto também a mãe de família sem esquecer  dos monges e outros puritanos; O que vocês fariam se socassem a parede, como eu a soquei pedindo silêncio porque precisava acordar cedo e em resposta recebessem o convite para me juntar a eles pois a cama era grande e forte o bastante para o peso dos três?
 - Eu não sei da sua resposta, mas eu não dormi mais naquela noite e muito menos nas subsequentes.

33 comentários:

  1. Vengo a devolverte la visita que hiciste a mi blog. Me ha gustafo tu relato, aunque se repiten las estrofas
    Sigo tu blog
    Un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, meu amor. Obrigado
      pela presença e também
      pelas palavras.

      Beijos.

      .

      Excluir
  2. Bom dia. Gostei de ler...Sonho ou realidade? Eis a questão. :))

    Hoje:- O acordar da quimera
    .
    Bjos

    Votos de Sábado muito feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É difícil não dizer
      que é um misto dos
      dois.
      Um Beijo Larissa e
      obrigado pelo comentário.


      .

      Excluir
  3. Se fosse eu, também não dormiria. Deus me livre, vizinhos desses!!!
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas você também
      não disse que passava
      ou não para o outro
      lado...
      Beijos, Elisabete. Bjs.

      .

      Excluir
  4. Nunca tive vizinhos como estes, como será que reagiria? hehe
    Tenha um excelente fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sob tortura talvez
      você dissesse, né
      mesmo?
      Eu sei o que eu faria...

      Beijos.


      .

      Excluir
  5. Nunca tive esse problema e tento não incomodar ninguém com os meus silêncios e murmúrios!bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é isso que enche
      a cabeça da gente de
      curiosidade...
      -O que estaria fazendo
      essa "garota" muito
      bem acompanhada no
      silêncio desse espaço?

      Beijos.


      .

      Excluir
  6. Respostas
    1. Por isso dispenso
      o fardel quando
      viajo.

      Beijos, saudades.

      .

      Excluir
  7. kkkk Realmente tem casal que é escandaloso. AI kkkkk Tem vizinho que só Jesus!
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tinha um casal, aqui ao lado,
      que gritava. Tanto ele quanto
      ela. A gente achava qualquer
      coisa da gritaria, mas naquilo
      ninguém se atrevia pensar.
      No outro dia lá vinham os dois.
      Ela exibindo suas belas olheiras
      e ele arrastando o corpo como
      um cão puxado pela coleira.
      (Coisas do amor, né não?)

      Beijos.

      .

      Excluir
  8. Boa noite! Vim agradecer sua visita amigo e conhecer seu blog. Amei e já estou seguindo. Fique a vontade para seguir o meu, será um prazer. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já fui lá e deixei
      uma flor. Era um símbolo
      de paz, de respeito e de
      carinho. Genilda, um beijo.

      .

      Excluir
  9. E ainda diz que a sua vida não é/foi uma aventura constante???
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, para de ficar instigando
      esse seu amigo a falar de suas
      aventuras, hein! Pare ou abro o
      livro e falo o que ninguém, com
      certeza, espera ouvir de um
      cavalheiro, como eu acho que tenho
      me portado.(risos)

      Pedrão, um grande abraço.

      .

      Excluir
  10. Gritar, seja de prazer ou alívio, é soltar o sentir. E soltar o sentir devia ser um compromisso de todos. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu pensei que você fosse
      se soltar nesse comentário,
      meu jovem e querido amigo.

      Um abração e obrigado pelo
      presente da visita.

      .

      Excluir
  11. Com vizinhos assim é mesmo para uma pessoa perder o sono, Amigo...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de passado o fato
      a gente cai na risada porque
      não tem como resistir. Na
      causa existe amor, é fato. Mas
      também tem muita loucura.
      Eu, sinceramente, nem saberia
      dizer de que lado fiquei o
      resto daquele ano.

      Excluir
  12. Boa tarde, Silvio,
    que sufoco, hein!
    Difícil a sua situação, jamais tive este problema e nem sei com o resolveria.
    Sua criatividade merece nota máxima. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigos como você o mundo
      anda carente, querida Marli.
      Felizmente a gente se conheceu
      a tempo. Adoro suas palavras.
      Beijos,

      .

      Excluir
  13. Eita! Vizinhos como esse é demais para mexer com a libido da gente! Não sei se teria coragem de me juntar a eles, mas que dá vontade dá rsrsrsrsrs
    Beijos e uma semana bem feliz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse caso eu saía de casa, comprava
      umas roupas loucas, peruca e óculos.
      Pintava os lábios, arrumava os cabelos
      e tocava a campainha do casal ao lado.
      Depois entregava nas mãos de Deus...
      (risos)

      Beijos, Lucia. Muitos beijos.

      silvioafonso



      .

      Excluir
  14. Respostas
    1. ...então me conta, vai!
      Adoro ouvir para criar
      histórias...

      Beijos,

      .

      Excluir
  15. Respostas
    1. Oba, adoro quando gostam...
      Beijos, Lúcia e, volte mais
      vezes, tá?

      .

      Excluir
  16. Olá!!!!
    Tem gente que gosta de platéia k.
    Com certeza compro ingressos para a primeira fila kkk.
    Ou melhor... um copo daqueles de cristal sabe? daqueles que dá para ouvir bem kkk.

    Será que as flores já murcharam?
    Abraços.................

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na primeira fila, garota?
      Jesus amado e eu machucando
      as orelhas de encontro a
      parede...

      Beijos, criança. Beijos.

      .

      Excluir
  17. Sei lá Silvio , por mais que a fome pedisse participação, eu não teria coragem para juntar-me, mas que ia fazer calo na orelha , isso ia...kkk

    Noite de paz, desejo a vc, sem estes tumultos!
    Abração!
    Diná

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.