sábado, 20 de janeiro de 2018

POR QUE CALAR A BOCA?

    

    Em uma casa onde ninguém se entende porque se acharem dono da razão, não pode haver paz, a não ser que os pais apaguem a lousa e nela insiram as normas a serem seguidas. Cada um com a sua obrigação, mas o respeito deve ser entre todos. Os pais seriam os líderes e cada tarefa, não fazendo parte do que foi combinado, deve e será discutida com o líder. Brigas sem motivos, desentendimento entre os pais quanto a governança e até a separação do casal talvez possam influenciar na formação da personalidade de um filho, mas nenhuma porta se escancara tão rápido à homossexualidade - não sendo genética - do que uma família sem regras governada por pais omissos. Indispensável, seria dizer, que o aplauso às pequenas vitórias, por menores que sejam não tem preço. O menino que tem traços afeminados ou comportamento de menina, necessariamente não será gay no decorrer da vida, mas sente que trilha por caminhos espinhosos. Não existe só uma causa que determine a homossexualidade. Quando a igreja, por exemplo, atribui o fato ao demônio discrimina a criança e consequentemente aponta o dedo para os pais como se eles afrontassem a sociedade com tal vergonha. Vergonha de quê? Eu posso afiançar que um bom punhado de gente não sabe ou não tem observado que a criança pode transferir sua libido para o homem – seu pai – ou à mulher – sua mãe. É tênue a fita onde nossas crianças se equilibram. 
Todo o cuidado no tocante ao modo de tratar com a futura mamãe e a maneira de ela reagir com relação a todos os problemas durante a fecundação do óvulo, a gestação do feto, o nascimento e a criação do filho é pouco, mas ajuda sobremaneira. 
Um menino de perfil diferenciado chama a atenção e tão logo atinge a adolescência é assombrado pela crise existencial e só a presença de um terapeuta, e do novo marido de sua mãe, poderão ajudá-lo a se entender e sem muito sacrifício exercer no futuro as atividades que a vida impõe. Isso sem contar que ele viverá numa sociedade formada por pessoas maravilhosas, mas que tem na maioria pessoas preconceituosas, machistas, hipócritas e homofóbicas. 
- Nós, aqui em casa, temos alguns livros de Charles Darwin, outro tanto de Lacan, Jung, três de Piaget e a obra de Freud para nos capacitar a discorrer sobre o assunto. Em um dos livros de Freud, ele determina a postura de cada um de nós diante da vida. Pai ausente ou pouco afetivo, assim como, mães dominadoras e possessivas, costumam consolidar a figura do gay na sociedade. Veja bem, não sou eu quem o diz, mas Sigmund.
Dos onze aos dezoito anos é quando o jovem começa a se questionar. Enquanto o amigo quer levá-lo para jogar bola ele quer levar o amigo para a cama. No grupo de sua relação todos falam de meninas, mas ele, sem jeito, cala ou sofre fingindo ser o que não é. O conflito é grande e muitos se perguntam por que as garotas não os atraem, mas os meninos, sim? A tentativa de suicídio voa em torno das possibilidades da criança que não vê apoio nos pais, nos parentes e nos poucos amigos. Conversar com ele alguns até conversam, mas ouvi-lo, entendê-lo, aceitá-lo, poucos ou ninguém. Os pais deveriam fazer exame de consciência para descobrir o quanto colaboraram para esta situação. Deveriam lembrar-se das farpas trocadas, do silêncio na hora da fala e das ofensas proferidas na hora em que era para calar. Não é só a genética que determina quem é gay ou não é.
Eu, silvioafonso, e minhas cinco irmãs, fomos levados por nossos meus pais a diversos cinemas, a vários passeios e eu, especificamente, joguei futebol, enquanto meu pai babava do outro lado do alambrado e minhas irmãs exultavam com o jogador que eu não me tornei. Não pretendo com isso mudar o rumo dos rios, mas já que eu quero e posso, vou ajudar meu filho com a minha presença no outro lado do alambrado caso ele precise de um amigo para abraçá-lo na hora do gol ou confortá-lo na hora que a bola for para fora. Quero participar de sua vida com o melhor dos meus sorrisos, com as mãos prontas para aplaudi-lo até nos seus intentos mais bizarros, e os meus braços escancarados para o abraço verdadeiro e mais sincero. Tirarei dos armários todas as portas que possam ter, pois criá-lo dentro de um deles eu jamais me permitiria e se a arte final não sair de acordo com o projeto, eu o amarei do mesmo jeito como eu sei que me amariam caso eu não fosse o resultado positivo de um estudo tão audacioso.

39 comentários:

  1. Amei esse seu texto e o mesmo me reportou a um amigo que, recentemente, sua filha assumiu-se lésbica e ele aceitou numa boa, apoiou, abraçou e está direcionando-a por meio de diálogos, respeito e muito amor, para a mesma enfrentar os desafios futuros e os preconceitos que, infelizmente, numa cidade do interior existem e com força.
    Beijos carinhosos e um feliz sábado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes de dizer bom dia,
      respeite as diferenças.
      Depois dê um abraço ou
      um sorriso, mesmo que o
      dia não seja bom.

      Um beijo, Lúcia e obrigado.


      .

      Excluir
  2. Conheço uma história de vida semelhante e como é amado o menino que na diferença não é ígual mas sim ... bem melhor!!!bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diz a ciência que filhos
      desses "especiais" são
      muito melhores que os não
      especiais, como nós.

      Acredito e respeito esses
      estudos.

      Beijos, Gracinha.

      .

      Excluir
    2. Passando para desejar um fim de semana bem AGRADÁVEL!!!

      Se quiser passear por Gondramaz … uma aldeia de xisto:
      https://crocheteandomomentos.blogspot.pt/2018/01/gondramaz.html

      Se quer uma omolete saudável … veja a receita:
      https://ospetiscosdagracinha.blogspot.pt/2018/01/omolete-de-claras.html

      Aqui encontra recantos com que todos sonhamos:
      https://asarteiricesdagracinha.blogspot.pt/2018/01/recantos-de-leitura.html

      E para todos os que apreciam “poesia” … o meu “poetar”:
      https://mgpl1957.blogspot.pt/2018/01/desta-janela.html

      Excluir
    3. Obrigado meu anjo.
      Para você também.
      Uma beijoca e obrigado,
      de novo.

      .

      Excluir
  3. A sociedade e, digo isto, em cada grupo de pessoas, precisa reconhecer que somos diferentes, ninguém é igual, então carecemos respeitar um ao outro como pessoa, independente de suas escolhas.
    Bom domingo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a diferença que nos
      atrai uns aos outros,
      Edith. Portanto, nada
      de querer mudar a obra
      dos outros.

      Um beijão e um carinho
      para você, amiga.

      .

      Excluir
  4. Bom domingo Silvio,
    um abraço
    que o mundo seja fraterno :)
    Angela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angela, estou feliz
      com a sua presença.
      Um beijo e obrigado
      por ter vindo.

      .

      Excluir
  5. Um ótimo texto, Silvio.
    Seria muito mais inteligente as pessoas darem mais importância ao caráter do que se preocuparem com quem as outras pessoas estão se relacionando na sua intimidade.
    É triste ver o quanto muitas pessoas sofrem com esse tipo de preconceito.
    Eu tenho um amigo gay que foi isolado da família, ao ponto dos pais darem uma casa para todos os filhos, menos para ele. Os outros não querem nada dessa vida, e ele fez faculdade e trabalha muito.
    Estou seguindo o seu blog também.
    Bjus!

    galerafashion.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ouvir isso de você, Adriana,
      enche-me de orgulho. Obrigado.

      Beijos.

      .

      Excluir
  6. gostei muito do texto, você escreve muito bem! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é muito carinhosa, Suuh.
      A sua presença já era o bastante.
      Beijos e obrigado.

      .

      Excluir
  7. A presença junto dos filhos é fundamental para a relação e para uma educação completa deles.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conviver no mundo
      dos filhos é retornar
      a sua própria infância.
      Quem não gostaria de
      se ver no passado enquanto
      menino?

      Pedro, obrigado pelas
      palavras.

      .

      Excluir
  8. Mucho se puede decir de esto que planteas...no se sabe en realidad a ciencia cierta cual es la razón de esta nueva forma de relacionarse que tienen los jóvenes de hoy...creo se hace cuesta arriba a los padres en este tiempo, porque además de darse cuenta deben batallar con mucho cuesta arriba...la sociedad no ayuda mucho, al contrario apabulla y en esa mirada de que todo es "normal" todo se distorsiona mucho más...
    Me cuesta aceptar todo eso...pero lo que pienso que es mejor andar con la s cosas de frente que detrás de las puertas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Magdeli. Obrigado
      pelas palavras e
      um grande beijo.

      .

      Excluir
  9. Gostei do seu texto, cheio de lucidez e ponderação...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  10. hello there, thanks for the comment on my blog and for following me. i followed back too :)

    IT’S A GIRL THING
    INSTAGRAM

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito de ler. Um texto muito bem escrito.
    Fiquei seu seguidor e linkei no Brincando
    .
    Poema: * Amor ... ou castigo do coração? *
    .
    Deixando saudações poéticas.
    .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gil, meu amigo. Você
      é muito gentil.
      Um abração e obrigado.

      .

      Excluir
  12. Uma história linda,maravilhosa :)) Adorei

    Hoje:- Degustação em universo sagaz
    -
    Bjos
    Votos de uma feliz Quarta-Feira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Larissa você é muito
      fofa. Obrigado pela
      visita e principalmente
      pelas palavras.

      Beijos.

      .

      Excluir
  13. Caro Palhaço Poeta,
    Os Filhos são patrimônio da humanidade
    e não dos Pais.
    Quando essa verdade é entendida
    os Filhos seguem seu caminho
    na direção a felicidade deles mesmos.
    O erro (muitas vezes sem perceber)
    de muitos Pais é empurrar,
    assim por dizer os Filhos em
    uma ou outra direção.
    É lindo assistir o voo dos Filhos.
    Eles saberão o melhor para si,
    e aos os Pais cabe estar ao lado
    em apoio sempre com amor. Pois há ex esposas,
    ex quase tudo, entretanto nunca haverá ex filhos
    ou ex pais. Ótimo texto com sólida argumentação.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha
      concordado, mas nada
      tenho contra novas
      opiniões, até porque
      o que está em debate
      é o assunto e não aqueles
      que o discutem.

      Beijos.

      .

      Excluir
  14. Estão indo bem! ;D

    Ótima quarta!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que o restante
      também o sejam.
      Beijos, Amanda.

      .

      Excluir
  15. É isso! Amar e permitir que o outro seja quem é com suas potencialidades!

    Obrigada pela visita ao meu blog!

    Abraços!

    https://ludantasmusica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro quando vc abre
      a boca, meu anjo.

      Suas palavras são
      conforto para os meus
      ouvidos.

      Beijos.


      .

      Excluir
  16. Estar presente na vida dos filhos é um presente. O amor é um grande sentimento.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você fala com a boca
      dos anjos. Adoro ouvi-la.

      Beijos.

      .

      Excluir
  17. Olá Silvio!Vinhemos ao mundo só e só voltaremos. Eu penso que é por isto que nos foi dado esta ideia de termos uma familia. E em familia que aprendemos a melhor lição de vida!Aprendemos a amar,a perdoar ,a respeitar,à aceitar o outro como ele é. Somos tão únicos e viver no mesmo teto com tantas indiferença precisa mesmo praticar todos estes valores! A tua reflexão foi fantástica! Aceitar e amar o outro como ele é,lindo isto! Um abraço!

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.