segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

O DONO DA PALAVRA.

   
   Eu não queria, mas como estamos em  festas,  vou contar como foi  o natal quando eu tinha 8 anos de idade.  A casa onde a gente morava era grande, tinha um fogão muito grande, uma cama imensa, como imensa era a mesa que mais parecia a de um grande banquete.  É claro que se eu voltar ao lugar onde morava, notarei que grande era tudo o que eu gostava de ver e pequeno talvez fosse só a estatura do menino que eu era. Pois bem.  No dia 25 de dezembro nossa casa estava cheia. Meus avós haviam chegado de Nova Friburgo onde moraram quase a vida inteira, depois vieram ficar com a gente. Minhas tias com seus maridos e filhos também estavam presentes.  No momento mais importante da festa, naquele em que se corta o peru, se abre as garrafas de vinho e no alto se bate uma taça na outra,  alguém batia com uma faca, um garfo ou uma colher na borda do copo pedindo silêncio e dando a palavra à minha mãe,   oradora oficial do evento.  Aquele era o momento que eu aguardava com ansiedade.  Mamãe se empertigava, elevava os olhos para cima e orava em voz alta agradecendo a Deus o momento e a oportunidade de ver todos reunidos em torno da mesa em seu santo nome.  Mamãe falava bonito, como falou até poucos meses atrás, mas naquela oportunidade mamãe, não me lembro por que motivo, não pode fazer sua pregação. Foi então que eu, com aquele tamanho, subi na cadeira, bati com as costas da faca na borda de um copo e pedi a palavras.  Foi o maior fiasco da minha vida.  As palavras que batiam asas e voavam da garganta da minha mães como borboletas, jamais conseguiram sair da minha.  Eu tentei, me esforcei, quis pedir ajuda, mas nada.  Nada do que eu achava que pudesse fazer consegui naquele momento. O que me salvou, talvez de ser linchado pelos olhares dos primos, foi alguém me pegar pela cintura e colocar de volta no meu lugar de onde jamais deveria ter saído.  Minha avó aplaudiu a intenção do seu neto e com ela os outros bateram palmas em memória ao nascimento do filho de Deus.  Eu fiquei enclausurado por muitos anos depois daquele, mas hoje, se alguém precisar de um orador experiente e que tenha a verve da coisa, por favor, escolha uma outra pessoa ou lá, com certeza, eu não me farei presente.

30 comentários:

  1. Palhaço Poeta,
    Eu me calei por quase uma vida inteira.
    Nesses tempos de festa então
    eu era transparente e muda e ninguém
    nunca me perguntou se eu queria falar algo.
    Então a bem pouco tempo atras
    eu decidi fazer como na canção
    do seu amigo o Zeca Pagodinho:
    se eu quiser falarsimplesmente
    pego a palavra ou dou um jeito de
    me deixarem falar.
    A vida é assim e ainda hoje
    ninguém me pergunta se tenho
    algo a dizer.
    Em fim, linda sua narrativa
    que eu como poeta consigo ler e
    ver a cena: o menino, a avó ,
    a mãe e todos os presentes.
    Bravo.
    Bjins de feliz natal e
    até já já.
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem disse que alguém me deu o
      direito da oratória? Até pelo contrário,
      meus primos ficaram phulos da vida com o
      meu atrevimento. Infelizmente exultaram
      com o meu fracasso. Quanto a você, querida
      amiga, você tem jeito para o negócio sendo
      o seu forte a arte do improviso.
      Seu marido não fica atrás, mas prefiro vê-la
      encarando a plateia nos olhos, como a cobra
      olha a íris do passarinho, para fazê-la
      entender a coisa do jeito que você diz e quer
      ser compreendida.

      Cátia, sou seu fã, seu amigo e a quero com sua
      trupe ao meu lado para o último abraço do ano.

      Um beijo.

      .

      Excluir
    2. Pra você também, criança.
      Um ano novo invejável e
      cheio de saúde.

      Beijos e grácias por tudo.


      .

      Excluir
  2. Cá em casa somos todos pouco criativos e ninguém se chega à frente para discursar, seja que assunto seja. Brindamos à saúde e passamos a noite na folia que também é bastante agradável e passamos a noite felizes sem preocupações de sermos criticados nem que seja em mente.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem gente que não precisa
      ter uma "cola" escondida
      no bolso numa hora dessas.
      Basta um olhar ou um sorriso
      para saber o que está rolando.

      Minha mãe era da roça e na roça
      o povo acredita no que diz o mais
      velho. Minha mãe era a mãe de todos
      inclusive dos seus velhos pais que a
      ela atribuíam o poder de dize o que
      os outros necessitavam ouvir. Eu,
      confesso, era um.

      Obrigado pelas palavras bem pensadas
      e bom ano novo, amiga.

      Beijos.


      .

      Excluir
  3. Olá Silvio, quando não temos oportunidade de falar, sempre podemos escrever, logo que a oportunidade se deixe vislumbrar!
    boa semana de Natal,
    as recordações da infância ficam no baú das nossas experiência de vida e fizeram-nos crescer :)
    Angela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais uma vez minha mãe calou-
      se diante a mesa que já não é
      em sua casa. Calou-se como o
      fez nos meus 8 anos, mas desta
      vez o silêncio, em sua memória,
      nos ensurdeceu a todos.

      Um beijo e bom ano novo.


      .

      Excluir
  4. Gostei de ler! Apesar do discurso ter ficado pela intenção, não merece qualquer olhar reprovador, nem necessariamente ser tido como fracasso. Por vezes, hesita-se na vida, por vezes é bom, outras não, mas é normal. A vida flui, devemos fluir com ela. As memórias boas ou más devem ocupar o seu lugar de memória, que nunca será tão importante como o dia de hoje. Assim, se quisermos, podemos e devemos falar ou ficar em silêncio, não interessa, não deveríamos julgar tanto nem a nós nem aos outros. Mas, concordo em sermos o nosso melhor, em sermos aptos a aprender em cada momento, a sermos sensíveis perante tudo aquilo que acontece, que observamos. Agradeço a visita ao meu blogue, segui o seu e desejo um ótimo ano 2018!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu comentário foi muito
      mais elucidativo que o
      texto que a ele deu base.
      Adoro pessoas que dizem o
      que acham...

      Beijos, obrigado e bom ano
      novo.

      .

      Excluir
  5. GREAT POST! we can follow each other.
    Already following you, I will wait you to follow me back, I hope :) http://casaninnamamma.blogspot.it

    ResponderExcluir
  6. Sure my angel. I'll follow your
    blog.

    A kiss and a happy new year.

    silvioafonso



    .

    ResponderExcluir
  7. É justamente na infância que os traumas acontecem,
    mas acredite em si mesma e ouse fazer um discurso.
    Excelente ano novo pra você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de adulto eu já me
      peguei falando para mais
      de duas pessoas no palco da
      vida. Agora as palavras que
      brotavam da boca de minha
      mãe deram muda, surgiram novos
      botões e já florem para novos
      ouvidos.
      Daí a ser orador da turma, dos
      amigos ou de classe vai uma longa
      distância.
      Um beijo, Neiva e bom ano novo.

      .

      Excluir
  8. E eu aposto que daria um óptimo orador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os amigos têm a mania de
      colocar louros na cabeça
      da gente, por isso, Pedro,
      meu amigo, você diz estas
      estas coisas
      Um grande abraço, obrigado
      por ter vindo e bom ano novo.

      .

      Excluir
  9. Buenas noches!! Te deseo unas Felices Fiestas
    Un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua presença aqui já é uma
      festa, Lola. Um beijo e um
      feliz ano novo.

      .

      Excluir
  10. Boa noite 😊
    Boas festas!
    Abraços 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite sim, pra você
      também.
      Obrigado por olhar pela
      janela. Pensei que você
      não passasse mais por esta
      rua.

      Um beijo e bom ano novo.

      .

      Excluir
  11. Quero aqui te desejar um ano novo cercado de amor, saúde e prosperidade!! Feliz 2018!!
    Tenha uma ótima quinta feira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Vanessa, minha amiga.
      Um beijo e bom ano novo. Outra
      coisa, se beber não dirija, pois,
      nas curvas, você pode derramar a bebida.
      <risos)

      Beijos, de novo.

      .

      Excluir
    2. Feliz 2018 amigo silvioafonso!
      Vou passar sempre por essa rua... abraços 🥂

      Excluir
    3. Ao passar sob a janela do
      meu quarto, não se esqueça
      de observar as flores que se
      curvam para vê-la.

      Beijos com votos de feliz ano
      novo.

      .

      Excluir
  12. memórias que o tempo guarda.
    tão belo o seu texto.
    agradeço reconhecida as visitas feitas ao longo do ano que agora termina.
    desejo que o ano de 2018 seja cheio de saúde e muitas prosperidades.
    Feliz Ano Novo
    Beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não gostaria, numa data
      igual a essa, de receber uma
      visita gostosa como a sua,
      Piedade?

      Obrigado pelas palavras e
      pelo carinho.

      Feliz ano novo e, saúde e paz.

      Beijos,

      silvioafonso


      .

      Excluir
  13. Que belo momento! :) Também me recordo de achar tudo grande na casa dos meus avós, mas as coisas não eram grandes, eu é que era pequena. :) Boa semana.
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje eu tenho 1.81m de altura
      e peso 83 quilos ou seja; quase
      uma tonelada e meia, mas antes,
      eu via tudo de baixo para cima.
      Nada tinha o meu tamanho e ninguém
      tinha o tamanho de nada.

      Velhos tempos, né mesmo, Inês, querida?

      Um beijo de boa noite.

      .

      Excluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.