sábado, 10 de junho de 2017

DORMINDO COM O INIMIGO...

Sentou-se na cama ao lado do  parceiro gordo que dormia como uma porca estirado na cama com quem ficara naquela noite, embora babasse como uma vaca lambendo a cria ele a tinha escolhido para aquele programa.
Novamente a filha de uma família abastada se questionava quanto ao que teria ela na cabeça para se entregar a qualquer um depois de umas cervejas e, as vezes um "cigarrinho", que aparece nesses momentos nos bares de final de semana. Se eu acordasse depois dele, com certeza encontraria uma nota de 50 paus para o táxi em cima da mesa em pagamento aos serviços de quem, submissa e devedora da generosidade do gesto, rumaria de volta à casa - pensava. Mas se ela se levanta primeiro, como o fez, quem paga a corrida é a sua insensatez, também por achar que não teria estômago para encarar uma pessoa que a levou para a cama sem que em sã consciência ela se permitisse. Vestiu-se com o que veio, tomou no ombro a bolsa com documentos e o pouco dinheiro que tinha para  atrás dos calcanhares bater a porta. Ganhou a rua onde parou um táxi e voltou à agonia do silêncio do seu canto onde, certamente, descansaria o corpo para no escurecer daquele dia ou no dia seguinte voltar a fazer que ora lastimava...

Um comentário:

  1. Gostei de ler o seu texto. Mas a imagem que o ilustra é simplesmente deliciosa...
    Uma boa semana.
    Um abraço.

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.