segunda-feira, 11 de abril de 2016

UFA!

         Fiz duas apostas na loteria do meu bairro. Uma para mim e a outra para um amigo que estava desempregado, mas rejeitou dizendo que jogo é coisa do Diabo.  Só que não sabia que eu não ia cobrar nada a ele. 
Na manhã do dia seguinte o sujeito se levantou na intenção de ir à praia, mas como chovia muito, enfornou-se no quarto sob as cobertas.  Mais tarde arrumou a papelada trazida do escritório onde deu seu sangue e seu suor, mas foi despedido por contenção de despesa. Na noite passada seu time fazia a melhor partida de sua história, mas ele não viu porque a concessionária cortou-lhe a luz por falta de pagamento. Quando ao jogo que dizia não ser de Deus, eu acabei por acertar uma das seis dezena, enquanto o meu amigo acertava cinco, o que lhe dava o direito de receber um prêmio no valor de 215 mil reais. Feliz da vida procurei para lhe dar os parabéns, mesmo sabendo que não ia encontrá-lo.  Ele foi se esconder de você na casa dos pais dele para não precisar lhe dizer que tinha dado a cartela para igreja que frequenta.   Aquela foi uma das poucas vezes que a quina pagou tão bem. Não obstante seu candidato largou o partido para militar no que ele tem ojeriza e para não dizer que não falei de flores sua mulher saiu de casa e foi morar com o sortudo do pastor. Nada para o sujeito dava certo e o que não tinha dado errado com certeza, certo não ficaria.  Da firma onde trabalhava ainda não recebeu nada.  A rescisão foi adiada algumas vezes e na pior das hipóteses, talvez não receba durante esse resto de ano. Contou os trocados que tinha no bolso pensando em pegar um cineminha, já que não tinha dado praia pela manhã, só que o dinheiro mal daria para pagar o busão.  
Hoje, no decorrer do dia, o sujeito recebeu um e-mail que falava do falecimento de sua ex-sogra. 
- Ufa, finalmente uma boa notícia! - Suspirou meu amigo resignado.