terça-feira, 14 de julho de 2015

SEM COMENTÁRIO...

    Talvez por covardia ou vaidade, como disseram, eu tivesse bloqueado os comentários do meu blog. Será que alguém acreditaria se eu dissesse que não foi por uma coisa nem por outra que me dispus silenciá-los? Tomar uma decisão dessa envergadura é o mesmo que fazer roleta russa com uma arma na cabeça, principalmente nos momentos quando, sozinho em minha casa,  me presto aguçar os sentidos e  não percebo  passos, não escuto vozes e muito menos sinto a presença de um amigo.  Assim tenho vivido; calado diante de vultos emudecidos. Algumas pessoas, inclusive a que sustenta o meu nariz erguido, me aconselham repensar a decisão, mas eu não quero. Sempre que a mim for imposto tomar certas decisões, por melhor que possam parecer, eu irei atrás de tempo para que eu possa entendê-la, aí, quem sabe, eu não projete  algumas ideias opacas da minha autoria numa tela pintada na mesma cor?  Só assim, então, poderão comentar sobre as minhas decisões, mesmo que me vejam coçando a cabeça depois de ter falado e de vê-los indecisos com o que os fiz entender. O melhor, mesmo, é deixar do jeito que eu acho ser melhor pra gente.  Pois assim, quieto no meu canto, eu não grito o gol do meu time, mas também ninguém me sacaneia se ele perder de goleada.