quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

POR ELA, AGORA É POR ELA...

Os anos começam e terminam sempre da mesma maneira, mas esse precisava
e felizmente está sendo diferente.  Ele chega como quem não quer nada, mas nota-se que tem outra postura e uma nova cara, não uma cara bonita para chamar a atenção, mas uma que nos tranquiliza com seu par de olhos ternos e uma boca que não blasfema, mesmo que tenha de calar para não pecar, e que, ainda por cima conserva a compostura de um príncipe ou, quem sabe, de uma princesa. Quando ao lado daqueles que me amam e por quem nutro o melhor dos sentimentos estive em Copacabana admirando os fogos,  cheguei a pensar que naquele momento fugia de mim o melhor ano que eu já tinha passado.  Mas eu estava errado, pois, nem 13 dias do novo ano havia amanhecido e a alegria rasgava em nossos lábios o mais puro e brilhante dos sorrisos. Todos sabem ou saberão que participei com nada menos que 80%  para mudar a minha vida, a da minha filha e, é claro, a da minha mulher. Agora a gente vive com os dias cheios e se alguém pensava que não tínhamos tempo para mais nada, se arrependerá de ter feito tal juízo.  Até os três passeios agendados para o início desse ano, fora Juiz de Fora, têm a ver com esse processo. Portanto, o ano começa completamente diferente e mesmo que pensássemos, pelo menos eu, que choraríamos por isso ou por aquilo, acabamos por descobrir na cara da gente o mais escrachado de todos os sorrisos, talvez melhor e mais bonito dos  que pudéssemos almejar. Eu, como disse, fiz muito para que isso pudesse acontecer, mas se não fosse a compreensão da mulher que amo, do amor puro e descomprometido da minha filha e o apoio da Cecília, amiga de Kelly, que traduz livros de outros idiomas para o nosso e vice versa, e ainda leva na bagagem o prêmio por ter escrito o melhor livro de crônicas da atualidade e nada do que eu fiz teria razão.  Sem Cecília e a minha gente, nada teria acontecido.
Agora é esquecer os lenços, tirar do saco a viola e tocar para os amigos supracitados que cantam e dançam enquanto, juntos, desbravaremos nossos novos caminhos.