quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

ELOS, O ROMANCE.

Eu já vi pessoas se misturando com porcos.
Já vi mulheres vendendo seus corpos.
Já vi homem se curvarem frente à mentira.
Já vi o forte se calar com o berro do fraco e o
pecador reclamar do contrassenso alheio.


Eu vi muita gente tratando dos porcos sim, sujando suas botas sim, mas comer 
farelo com eles, não.
Já vi mulher vender seu corpo em troca de comida pros filhos. De remédio pro pai, mas sem ter prazer com o que fazia, e se chorasse, não era pelo gozo que poderia estar sentindo.
Eu já vi homem se curvar diante da mentira do patrão para manter seu emprego, sua família abastada e seus filhos no colégio, mas concordar com as mentiras que ouvia, acredito que não.
Vi com esses olhos da cor de melado que Deus me deu, verdadeiros gigantes se calarem diante do grito do mais fraco, perpetuando o ditado que diz; quando um não quer dois não brigam.
Já gritei com meu filho por fazer o que eu fazia na sua idade. Já desejei mulheres casadas e a elas prometi o que jamais poderia cumprir.
Assim é o livro ELOS que acaba de ser lançado. É um romance que mostra a saga de uma mulher que nasceu e se criou numa casa onde mulheres ganhavam a vida. Ali ela serviu aos porcos, sem que do farelo sentisse o gosto.