sexta-feira, 25 de julho de 2014

PARECE PRIMAVERA...

         
        Eu acho que você não faz ideia da dimensão do amor que a gente tem por você.  Não quero comparar esse amor com o que o homem tem pela mulher ou ela por ele, mas o amor que o pai e a mãe têm pelos filhos.  A gente quando descobre que vai ser pai fica confuso, um pouco velho e muito bobo com a novidade. Curti-lo em todos os seus momentos é só no que se pensa. Trocar o dia pela noite e o descanso pelos cuidados que se terá com ele, não importa, o que importa é tê-lo conosco, junto com a gente em nosso colo. Troca-se o jeito de ser e a forma de tratar com as outras pessoas em função desse amor que é tão diferente dos outros sentimentos, quiçá, do próprio amor quando não é o de pai para filho. Quantas vezes eu já não quis negociar com o destino dando a ele um par dos meus braços só para vê-lo feliz, sorrindo?  Quantas outras eu não quis arder em febre em seu lugar só para não vê-lo quente e paradoxalmente tremendo de frio sem poder correr quintal afora com os amiguinhos dos quais ainda ouço a voz gritar seu nome?
           Talvez seja pela grandeza do amor que tenho por você que as flores desabrocham antes da primavera. Agora, por exemplo, todos os jardins dessa e das cidades por onde tenho passado se pintam com as cores das rosas, das margaridas, dos cravos e de tantas outras, enquanto o perfume que me toma de assalto através da janela anuncia que você neste dia, há poucos anos, nascia para nos brindar com a sua alegria.  Hoje, meu filho, é o dia do seu aniversário.  Parabéns pela data e que Deus me dê muitos anos de vida, não só para viver a honra de ser seu pai, mas para tê-lo nos meus braços, de uma forma ou de outra, como o menino que você jamais deixará de ser.