sábado, 19 de julho de 2014

ATÉ JÁ, MEU JOVEM.

Nada me espantava mais que a voz trovejada do João Ubaldo. Parecia que ela vinha por dentro de um cano, desses que a Petrobrás usa para vazar o gás da refinaria às cidades, aos bairros, aos fogões. Com o relampear do seu bom humor chegava o vozeirão que Deus lhe tinha dado. Algumas vezes nos encontramos na Dias Ferreira, no Leblon onde morava, e até no Arpuador já paramos para um café e dois dedos de conversa. Foi um prazer, baiano, ter meus textos lidos por ti.  Em momento algum tu tirastes de mim a esperança de ser alguém através das letras. Ouvir aquilo me encantava, mas aquelas porradinhas nas costas quando a gente se abraçava me deixavam puto, e tu sabias que eu ficava, né?, seu feladaputa, como tu mesmo dizias. Nunca a ti eu desmenti quando dizias que com os meus 18 anos eu seria o mais novo e mais famoso escritor daquelas bandas.   Eu tinha 25 anos, sabias? Hoje, talvez, eu te provasse que estavas enganado, pois sou o que a vida pode fazer de mim.  Feliz, sim, mas famoso, só para os meus filhos.
Eu não sei, João, se o tempo passou depressa ou se eu é que me arrasto para curtir cada minuto com os quais o destino me permite viver a vida que levo. Faz tanto tempo que eu não te via e agora recebo essa notícia triste. João, eu te garanto que jamais me aborrecerei com teus novos abraços e com aqueles tapinhas que hoje, com certeza, me fariam o cara mais feliz do mundo.
Descanses em paz, mas não tenhas pressa em recepcionar a minha chegada, porque como eu te falei, ainda tenho muita estrada para me arrastar por ela.

7 comentários:

  1. Belo texto!!

    Passo para desejar;Bom fim de semana.

    Beijos

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderExcluir
  2. Amigo silvioafonso,
    não estou circulando na
    blogsfera por motivos sabidos,
    todavia não pude deixar
    de prestar minha solidariedade
    a você meu amigo..
    E assim a vida da gente
    segue
    somando valiosas lembranças
    como as que esse
    seu texto contém.
    Lamento profundamente
    essa sua perda.em especial.
    O mundo vai ficando cada
    dia mais empobrecido...
    Bjins
    CatiahoAlc./ReflexodAlma

    ResponderExcluir
  3. Sublime homenagem a um ente querido.
    Bjo, Silvio

    ResponderExcluir
  4. Oi Silvioafonso,
    Deve ter sido um privilégio poder conviver com João Ubaldo...
    Gostei da bonita e justa homenagem!
    Bjs :)

    ResponderExcluir
  5. Silvio das minhas casinhas, tenho uma com meus textos adultos, poesias, prosas poéticas,crônicas, contos enfim....e outra que iniciei a pouco tempo que é a evangelização infantil, e você escolheu exatamente a infantil e isto me encantou, por que são raros os amigos que lá vão, cheguei aqui e me senti em casa, então fui te seguir mas já te seguia, então me perguntei porque perdi a estrada desta casa? Não sei, com certeza os ventos da vida.
    Mas aqui estou contente de reencontrar esta casa decorada com tão belos textos,
    li os três últimos e adorei, mas o último onde falas do teu sentimento a respeito do amigo que partiu foi o que mais me tocou, sabe não é importante ser famoso, o importante é o anônimo que semeia amor, os seus frutos sempre serão muito doces, abraços Luconi

    ResponderExcluir
  6. OI SILVIO!
    UM TEXTO COM MUITO SENTIMENTO PELA PERDA DE ALGUÉM QUE EM ALGUM MOMENTO FEZ PARTE DE TUA VIDA.
    MEUS SENTIMENTOS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Mestre Sílvio: você pode não se achar famoso,mas com certeza influenciou muita gente, com teus textos coerentes e sensíveis. Concordo que o Brasil ficou um pouco mais pobre, o João Ubaldo, além de inteligente e simpático, trouxe o povo brasileiro para a literatura.. Meu abraço, caro poeta..

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.