sexta-feira, 11 de abril de 2014

VIDA REAL, SERÁ?

Será que Alfred Hitchcock, José Mojica e Stephen King 
teriam sido procurados pela psicanálise quando escreveram roteiros que relatavam crimes brutais como se fossem casos banais e só por isso os consideravam doentes ou teria um  delegado de polícia ido à residência de cada um intimá-lo por ter feito com a  voz dos seus atores confissões de crimes monstruosos?  Pois é.  Na ficção tudo é permitido e essa liberdade não dá direito de alguém sair por aí cobrando satisfações que pensa que lhe devem, já dizia o 
Palhaço Poeta.  Na vida de pessoas que contam suas histórias rabiscando no papel não é bem assim.  Se alguém escreve sobre morte, mandam-lhe flores, mas se os textos falam de amor é porque o escritor está apaixonado e deverá em breve largar a mulher para ficar com sua amante e dessa maneira o portão do pobre diabo abarrotará de gente querendo saber o nome daquela que o enfeitiçou, qual é a sua intenção para com ele e o que teria feito além de inspirá-lo a escrever o que nos prende nas entrelinhas demonstrando amadurecimento no que faz, fora os que bisbilhotam a sua intimidade, e não há o que os remova dessa obsessão.  Não adianta nem dizer que tudo é história inventada,
fantasia colorida e não realidade.  
Essas coisas talvez não aborrecessem os grandes escritores se disso tomassem conhecimento, mas eu, que não passo de um desenhista de textos, me encanto na medida que os confundo com aquilo que me dá certeza de ser um razoável contador de contos. 
 (Foto da Internet).

16 comentários:

  1. Bom dia, Silvio. Pra quem gosta de fofoca e especulação, qualquer assunto é assunto.
    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o pior, Ana, é que de um
      grão de areia se faz uma
      praia. É só querer...

      Beijos, amiga.

      .

      Excluir
  2. Sr. Palhaço Poeta,
    Tenho poucas certezas nessa vida, contudo
    uma delas se faz argumento
    e se mostra indagação(s):
    "Será que temos o direito de sermos
    protagonistas da nossa historia?"
    Como poetas nos envolvemos em magia
    através das palavras.
    Como escritores nos damos o direito
    a escrever finais felizes para nossos personagens.
    Então outra pergunta:
    " Será que temos de nos contentar em sermos
    um personagem coadjuvante
    da nossa própria historia, pra sempre?"
    Vou reler esse seu texto e certamente voltarei
    para concluir meu raciocínio.
    Bjins e me aguarde.
    Linda sexta-feira!!!
    Catiaho Alc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taí. Eu jamais pensei
      que pudesse ser coadjuvante
      na minha própria história.
      Será que alguém consegue
      ou só você?
      Poetas têm dessas coisas, mora
      nos sonhos, vive dos desejos e
      canta para não dormir.
      Beijos saudosos de vocês dois.

      .

      Excluir
  3. Boa tarde

    Gostei de te ler...

    Passando para desejar um excelente fim de semana.

    Beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Cidália,
      você é minha sócia...
      Beijos,

      .

      Excluir
  4. Bom dia Silvio.
    Na vida tem de tudo,os curiosos e ate os maldosos.
    Cabe nós não ligarmos,eu particularmente vivo a minha vida,pouco importando para as opiniões e julgamentos alheios.
    Um abençoado final de semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão, mas
      a gente teima em achar
      que tudo vai muito bem,
      só que não.

      Beijos

      Excluir
  5. Silvio,

    Eu moro na ficção.
    Fica ali, na rua ao lado.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei a imagem
      que você pintou ali.

      Beijos.


      .

      Excluir
  6. Olá Silvio,
    E você confunde mesmo seus leitores...
    Nunca saberei se seus textos são histórias inventadas ou realidade!
    Deve ser estimulante para quem escreve, conseguir instigar a curiosidade de quem os lê...
    Ótimo fim de semana \o/
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas esta não é a minha
      intenção. Eu só queria
      embalar os seus pensamentos
      numa rede presa a coqueiros
      prontos a parir.
      Beijos e que os melhores ares
      lambam a sua tez.

      .

      Excluir
  7. É maravilhoso ler seus textos, vc escreve mesmo pra confundir, coisas de poeta, deixa algo no ar, e é bastante instigante. O poeta escreve pra si e para o mundo, cada cabeça interpreta de forma diferente, isso tem um que de magia. Linda noite amigo Silvio. Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro o carinho que você
      me faz.
      Beijos e obrigado.

      Excluir
  8. Boa tarde Silvio.. a fantasia existe, quer queiramos ou não.. tudo esta dentro do tudo.. a vida é uma ilusão diária, nasce e se finda no espaço do tempo irreal, que nada vale nos planos sutis.. abração amigo

    ResponderExcluir
  9. Ao ler teu post., me encantei
    pq por mais que o poeta se diz
    fingidor, os seus leitores vao querer de
    alguma forma, coloca-lo como protagonista,
    pq a eles enfeitiçam saber que tu estas a mercê
    de tua musa, mesmo que fictícia...Bora escrever
    mais e mais e confundi-los cada vez mais??
    Abraços

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.