segunda-feira, 7 de abril de 2014

UMA VARANDA NO ALTO DA MONTANHA.

Depois que a atriz Lucélia Santos declinou motivos para 
andar de ônibus na reportagem da revista o globo, foi que 
 resolvi deixar o carro na garagem pelo menos duas vezes na  semana.  Acredito que esta iniciativa tenha sido a mais importante das que  tomei  nesses últimos meses, pelo menos aprendi muito com o que vi em tão pouco tempo.  
 Ontem, para que vocês tenham uma ideia,  uma senhora embarcou com uma criança de colo  no busão em que eu estava  e como não havia onde se sentar, é claro, ficou de pé, até que o motorista se levantou e disse que somente quando a mãe e a menina se  sentassem  ele daria partida no veículo.  Antes de terminar o que dizia a mulher se acomodou no lugar de uma adolescente que, com cara de débil mental,  se levantou de onde fingia estar dormindo. 
No primeiro dia da semana um idoso fez sinal e o carro só saiu do ponto em que parou para pegá-lo quando o  condutor teve plena certeza que o passageiro estava seguro no lugar que escolheu para sentar. 
Quanto a faixa de pedestre ser respeitada ou não, eu fico com a primeira opção. Não sei se é por conta do Luciano Huck se esconder com sua banda para premiar aqueles motoristas que respeitam as leis do trânsito ou se por educação que esses caras  procedem dessa maneira. Essa gente que usa o volante para o seu ganha pão ou viés do seu fazer não  ultrapassa a faixa  quando em uma de suas cabeceiras tem alguém se projetando para atravessá-la.  Por aqui e em qualquer outra cidade do interior, acredito, a educação e a cortesia ainda resistem aos arroubos dos mal educados.  Só espero que o esforço que o governo do Estado vem fazendo para sufocar a bandidagem na periferia das grandes metrópoles não os mande para cá porque aí as coisas podem mudar  e se mudar, com certeza, não será para melhor.

13 comentários:

  1. Passei para desejar boa semana.
    Obrigada pela partilha das suas palavras.

    ResponderExcluir
  2. A bandidagem está demais e a falta de educação maior ainda.

    O Brasil grita por socorro!!!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia amigo Silvio.. sei de gerente de banco que vai trabalhar de bicicleta srs.. a vida tem que ter um sentido mais natural.. até a questão da internet, tem que por horas deixar ela de lado e olhar só para si não é.. varando é um sonho meu, quero ter uma para poetar.. abração e até sempre

    ResponderExcluir
  4. Oi Silvio :)
    Quem dera se toda cidade tivesse motorista educado e com bom senso.
    Que permaneça assim!
    Na minha cidade, que também é do interior, os profissionais do volante, já foram mais polidos. Porém ao passar por uma avenida, semana retrasada, presenciei uma cena bonita:
    O motorista, desceu para auxiliar um jovem com deficiência física,
    (mesmo o ônibus tendo elevador para cadeirantes) ,ele só saiu depois que o rapaz estava bem acomodado. Achei nobre da parte dele, pois cenas assim são raras.
    Uma semana maravilhosa pra vc.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Boa noite Amigo
    Gostei de ler este texto...

    Beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  6. Atitudes de coerência social são poucos os que praticam. E, às vezes somos tidos como ETs... de outro planeta... Enfim, ainda acredito ser pelo exemplo que se educa.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Realidade!! Infelizmente ainda vemos esse tipo de situação, principalmente nos onibus. É falta de educação pra todo lado, no trânsito, nos ônibus, nas filas... As gentilezas estão cada dia mais escassa! Devemos cada um fazer a sua parte neh.
    Ótimo início de semana

    ResponderExcluir
  8. Bom dia Sr. Palhaço Poeta.
    Vivo essa experiência de fazer o trajeto para meu trabalho
    de ônibus , 3 vezes por semana.
    E outro dia fui surpreendida por uma gentileza que me deixou encantada.
    Um senhor, trabalhador, cansado da lida estava de pé a meu lado no
    transporte, a pessoa sentada deu sinal para saltar, o lugar vago e ao
    invés dele sentar-se e descansar um pouco, me convidou a sentar.
    Em dias normais eu não aceitaria, agradeceria e daria a ele
    o prazer dele seguir viagem sentado. Mas eu estava muito casada e
    com os braços cheios de pastas que me sentei grata.
    Tenho aprendido muitas lições durante os trajetos semanais, portanto
    tem-me sido muito útil essas idas e vinda no transporte urbano.
    Adorei essa postagem, matéria atualíssima.
    Beijos meus, com todo respeito.
    Catiaho Alc.

    ResponderExcluir
  9. A educação é bonita e nunca passa de moda. Gostei do que narrou aqui.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. A educação é uma das coisas mais importantes
    porque a falta dela esta sendo vergonhosa.
    Já vi mulheres com bebe no colo e gravida ninguém se levantou para ceder o
    banco.
    Os idosos então esses então coitadinhos!!.
    Uma linda tarde abraços,,Evanir

    ResponderExcluir
  11. Adorei seu relato Silvio, um lição para queles que não querem abrir do mão do conforto, viajam sentados e ainda reclamam de engarrafamento, imagine quem viaja de ônibus e enfrenta o mesmo engarrafamento de pé, e depois de uparecia que carregavam bois e nõm dia de trabalho, morei 14 anos no Rio e conheço bem esses lances. Que bom que os motoristas estão mudando de comportamento, no meu tempo parecia que carregavam bois e não gente, a cada brecada era um traumatismo que do~ia até o fígado. Adorei, grata pela leitura. bjss no core!

    ResponderExcluir
  12. É incrível como podemos observar tanta coisa ao nosso redor. Coisas do dia a dia, interações sociais e que exigem, basicamente, educação e respeito. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  13. Um post., bem educado como bem
    educado e seu escritor...Abraços

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.