quarta-feira, 26 de março de 2014

NADA OU TUDO A VER...

Há muito não sentia uma saudade assim, alguma coisa 
que o tocasse fundo como o prenúncio da despedida, 
uma viagem de ida sem volta.  
Seu carro, um modelo antigo, porém bem cuidado, estava na oficina, cujo responsável prometeu telefonar quando estivesse pronto e foi disso que se lembrou quando tocou o celular dando conta de uma chamada não concluída.  Graças ao DDD foi possível perceber, e perceber errado, que era a concessionária pretendendo entregar o carro, só que não.  Era a sua irmã dando notícias da família.  Em sete anos era a segunda vez que se falavam pelo telefone.  A primeira e única foi no aniversario dele, dias depois da festa do rapaz.  
"Mamãe não está bem", disse a irmã em tom de choro.  Tinha sofrido uma queda  e só os exames poderiam avaliar o tamanho do estrago, se é que houve algum. É claro que ao se desligar da conversa o cara tenha se debruçado numa dessas tristezas que assolavam aquela alma de criança, já crescida.  Felizmente, para ele, um amigo de infância, que garante ser o mais presente, ligou, sem saber do caso e com seu gesto acabou fazendo toda a diferença. A alegria que o amigo trazia em sua fala e no sorriso contagiava qualquer um, mas nesse momento a dose era única e exclusiva, o remédio que precisava. O bálsamo trouxe de volta à terra encantada do circo aquele que sentia no corpo o desejo da desistência e na alma uma vontade imensa de chorar e foi sorrindo, mesmo cansado dos entreveros, que fechou os olhos e dormiu um sono tão profundo que ao despertar sentiu-se, novamente uma criança.
(Foto com os Irmãos Kyoskys, que honrado, os tenho por amigos).

19 comentários:

  1. Bom dia

    Bem.. este texto está fantástico... mas fico na expetativa, é real? É que tenho um exemplo igual na família.... é muito triste sim.. mas quando as notícias são boas, acaba por ser gratificante... Adorei!

    Beijinho

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Real nada, Cidália.
      São contos referentes a
      nossa sociedade . São
      histórias da vida que a
      vida nos permite contar.

      Beijos e obrigado por
      falar coisas do tipo.


      .

      Excluir
  2. Bom dia Silvio, li e reli o texto, achei uma beleza ímpar. enxuto e bem elaborado. Ás vezes algo toca o coração da gente de forma especial, e nesse mister de tristeza, eis que surge um amigo que lhe traz o antígeno para neutralizar os fatos. Menino parabéns ! Adorei um tantão! Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu sempre corro para
      ler o que você escreve.
      Adoro ser mimado pelos
      amigos, assim, como você.

      Beijos e obrigado.


      .

      Excluir
  3. Bom dia Sr. Palhaço Poeta.
    Acabei de ler sua postagem para o Al
    ainda antes de levantarmos da cama
    para o dia. Há tempos assim, que somente
    a voz certa do outro lado da linha nos
    consegue acalentar e nos distanciar um
    pouco da realidade e depois disso é só
    descansar nos braços do amor da gente, o
    que passa todos os dias e as noites pertinho.
    E saudade boa é sempre bom como é bom
    ler seus textos metafóricos impregnados de
    verdades. Quanto a foto, acho que vejo algo
    familiar nela...
    Bjins e lindo dia.
    Catiaho Alc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quero ouvir você dizer,
      como quem diz um verso,
      o que me escreve agora.

      Beijos ao lindo casal.


      .

      Excluir
  4. Bom dia Silvio,
    Quando nossa alma de criança crescida fica fragilizada e triste,
    é tão bom ter alguém que nos acalente. Isso nos revigora e nos incentiva a prosseguir a caminhada...
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, sumida! Tava saudoso
      de suas palavras. Desculpe,
      mas quando a gente tem um
      amigo e conta com ele, um
      minuto é eternidade.

      Beijos.
      ,

      Excluir
  5. Desde que estou longe do lugar que me viu nascer, que ganhei um medo horroroso às noticias, especialmente as que recebo por telefone...

    Gostei muito do texto.
    Beijos

    Sónia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Sónia, mas faça
      cara dura e enfrente a fera.
      Um beijo, amiga.

      .

      Excluir
  6. Il est difficile pour moi avec le traducteur d'apprécier à sa juste hauteur vos mots...
    Je vous envoie de gros bisous

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, que bom que você
      voltou.
      Obrigado por isso e
      pelas palavras.

      "Bisous".

      .

      Excluir
  7. Isso q se pode dizer... remédio certo na hora exata! Acontece, quem vai dizer q ñ??? Mais uma vez.... arrasou amigo!!! Cuide-se ai em!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, moça! Obrigado pela
      presença e pela opinião
      sempre preciosa para
      este blog.

      Uma beijoca.

      .

      Excluir
  8. Boa tarde querido amigo poeta.. sempre haverá alguém com as palavras certas para promoverem a alegria.. para espantar as vibrações mais baixas.. por isso que temos de ser abertos.. só assim tudo acontece.. abraços e até sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samuca eu sou seu fã e já
      disse isso de público várias
      vezes. Tê-lo comentando
      um texto meu é honroso
      para mim.

      Um grande abraço.


      .

      Excluir
  9. Real? Fantasia?

    Espero que esteja tudo bem.

    Há amigos que são mais do que família.

    Beijos


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem amigos e amigos, e me
      parece que eu tenho os dois.
      Ninguém está livre, não é mesmo
      Pérola, querida?

      .

      Excluir
  10. E nas horas de agonia,
    que podemos contar
    com os verdadeiros amigos.
    Abraços

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.