segunda-feira, 10 de março de 2014

MEU AMIGO, COMPANHEIRO.

Desde menino eu chorei a morte dos meus parentes 
e de alguns amigos que com o passar do tempo foram nos deixando. 
    Eu penso que devo muito aos meus avós e as minhas tias que tiveram suas vidas ceifadas pela ignorância da morte e por mais que eu orasse a Deus não pago o bem que me quiseram. Hoje, infelizmente, eu perco um dos meus melhores, senão o melhor de todos os  companheiros. Aquele com quem brinquei a vida inteira a qualquer hora do dia ou da noite sem que as minhas vontades por ele fossem  questionadas. Muitas vezes eu disse não às suas brincadeira e só ele não se negava brincar comigo. A diferença de idade entre a gente deveria ser um divisor de entendimento e compreensão, mas a isso eu dava de ombros para brincar até perder  o fôlego. Podia ser que eu tivesse tido melhores pais e melhores escolas, quanto a ele, não sei. É possível que tenha tido aquilo que fez por merecer, inclusive a minha amizade que era uma via de mão dupla; eu o completava e ele me realizava, já que éramos exatamente iguais. Até carinho meus pais faziam questão de dividir conosco. Jamais recebi um agrado sem que Walter fosse lembrado; um doce, um sorriso ou uma palavra elogiosa, sem contar com a expressão de felicidade do meu pai quando nos via juntos   ao voltar 
do seu trabalho.
     Dezessete anos de sorriso e festa. Nesse pequeno espaço de tempo vivemos mais alegrias que tristezas, porém, de todas as dores que tivemos 

essa é a que mais doeu.
- “Quando você achar que não vai suportar a ausência do amigo, vá ao seu túmulo e faça uma prece. Isso o ajudará a entender a magia da vida.  Assim se sentirá melhor, e, só não se espante se com isso você crescer, pois todos crescemos com os ganhos e as perdas”

Essas palavras que minha mãe me disse foi o que me trouxe ao pé de sua cova aonde chorando, como choro agora,  enterrei Walter, o cachorro que mais me fez entender e gostar da vida.
 (Foto da Internet

15 comentários:

  1. Bom dia

    Parabéns pelo soberbo e emocionante texto, que amei ler..

    É realmente o cão o melhor amigo do homem!! São eles mais inteligentes do que muito gente pensa...

    Adorei ler!

    Tenha uma semana feliz

    beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cidália, você, sempre doce
      e gentil.
      Um beijo e bom-dia.


      .

      Excluir
  2. Ai, nem me fale... perder meu Aleph foi uma das piores coisas para mim... mas mandei cremá-lo. Não quis as cinzas. Pintei uma pedra no jardim com o nome dele. Três anos depois, ela está lá. Era o lugar aonde ele mais gostava de sentar-se de manhã. Meus sentimentos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quisera que todos os
      cães tivessem dos seus
      donos a mesma sorte que
      os nossos tiveram.
      Um dia todos entenderão
      que um animal, a seu grosso
      modo, sente o mesmo carinho
      e a mesma dor que nos são
      dispensados.

      Um beijo, Aninha e obrigado.

      .

      Excluir
  3. Bom dia Silvio.
    Emocionei-me ao ler o seu texto.
    Os cachorros são os nossos maiores amigos e dói muito ver partir um amigo tão leal e verdadeiro como só o cachorro sabe ser.

    Um abraço.




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhum Walter substituirá
      aquele, mesmo que venham
      outros tão importantes como
      ele foi para o menino que en-
      tristecido ainda vive em mim.
      Um beijo, Natália e obrigado.


      .

      Excluir
  4. Por isso amigo Sr.Palhaço Poeta
    eu não deixo de mimar e demonstrar
    meu afeto aos poucos e únicos amigos
    mais chegados que irmãos que eu tenho.
    Esse seu texto já entrou pra galeria da literatura
    brasileira, visto ser prefacio do livro
    ConTextos Inesperados de minha humilde autoria.
    Boa semana.
    Bjins
    Catiaho Alc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De pessoas como você
      eu só recebo ótimas notícias.
      Obrigado por isso e por
      aquilo.

      Beijos.


      .

      Excluir
  5. Amigos que cultivamos na infância, animais racionais ou irracionais, são os que permanecem na magia afetiva da nossa existência. Sei o sentimento que o arrebata. É doloroso sim, mas ao mesmo tempo confortador termos o espaço amoroso dedicado ao melhor dos amigos do homem: - o cão!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Celinha!
      Escrevo os textos e fico
      ansiando por seus comentário.
      Um beijo e obrigado, amiga pela
      força das palavras.


      .

      Excluir
  6. la conciencia de la muerte nos ayuda a vivir mejor la vida Silvio. Buenas palabras las tuyas...

    ResponderExcluir
  7. Obrigado, amigo, por comentar
    meu texto com tão belas palavras.

    Um abraço,

    .

    ResponderExcluir
  8. Oi Silvio,
    Emocionante e triste seu texto :(
    Perder um cão, dizem, é a mesma dor da perda de um amor incondicional.
    Então imagino a tristeza que é...
    Mas chega um momento que a dor passa, e as lembranças, sempre serão eternas.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Há cerca de 2 anos, encontrei nas ruas um amigo de infância. Temos muitas histórias juntos, ele inclusive morou um tempo na minha casa. Virou morador de rua...tentei ajudar, procurei a familia que desistiu dele porque ele mesmo desistiu de si e quer continuar assim...bebado vagando pelas ruas... até hoje não sei se não seria melhor ele ter "partido"... A VIDA É FODA MEU IRMÃO...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tento, procuro, mas
      não acho como falar
      com você...
      Seja bem-vindo de volta,
      amigo querido.

      Beijos, sem sexo, do
      amigo de sempre;

      silvioafonso


      .

      Excluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.