sexta-feira, 7 de março de 2014

MENTIR POR QUÊ?

       

       Quanto mais conheço os homens, mais gosto das mulheres, já dizia o palhaço poeta. Tem homem que usa bigode e morre pelo que diz, mas também tem os que morrem de boca fechada com ou sem cabelo debaixo do nariz. Existem outros que mentem para se engrandecer ou pregam o que não sabem querendo enriquecer, mas para este tipo foi reservado um lugar escaldante e inquieto na primeira fila no teatro do inferno. Eu já usei barbicha e também tive  bigode.  Usei por pouco tempo, mas só falava o que tivesse  pesquisado para minha credibilidade e compreensão dos meus amigos.  Menti algumas vezes, não nego, mas não fiz na intenção de melhorar de vida ou passar quem quer que fosse para trás. Menti para melhorar alguém se as minhas palavras fossem de conforto à quem sofria. Menti por razões que nem eu mesmo acreditei que fosse capaz.  Menti para o amor da minha vida quando disse que ia embora. Menti para minha avó quando disse que ela não sabia envelhecer. Para minha mãe quando afirmei  ser  um pai invejável. Menti para os meus filhos me passando por super herói, para mim mesmo quando disse que nada deteria meus passos se conseguir alguma coisa eu pretendesse.  Talvez com isso eu tenha pecado, mas Pedro, aquele sobre quem Jesus construiria a sua igreja, não me diz que foi errado. Menti buscando verdades, mas  não minto quando digo que sou forte e nem a morte é capaz de me calar.