sábado, 22 de março de 2014

JOÃO E A CHUVA...



Nesses últimos tempos tem chovido muito em suas vidas.
Na dele chove granizo e na dela, talvez, somente esteja serenando. Essa semana, por exemplo, tem chovido a noite e toda a madruga.  Pela manhã, assim que o sol se mostra por entre as espessas nuvens, vem o frio e os leva ao quarto, às cobertas e ao silêncio.  Há muito a chuva vem curvando a planta cuja semeadura teve amor igual ao de João ao conseguir, através do pé de feijão, incomodar o gigante da história que se leu quando criança.   Nada mais tem sido como na primeira vez. No início a orquestra não parava e no salão de festa rodopiavam como dançam os grandes bailarinos, corpo espremido no corpo, testa colada na testa e o ar de um mantendo  o outro respirando.  Hoje a banda já não toca. Os instrumentos a cada dia desafinam mais. Quando um vai para um canto, permite que o outro em um novo canto se descubra. O som que compunham a quatro mãos, já não encanta, não tem o mesmo andamento, a mesma harmonia. Suas vidas se tornaram um conto sem sapo e sem princesa, sem cavalo branco, um arco-íris sem cor. Enfim, não se tornaram um número par quando estão juntos, mas quando separados não passam do resultado da divisão dos ímpares; são restos. Não há motivos para riso, festa ou carinho.  Não há motivo para o trabalho ou para viver. Há de se mudar esse quadro ou essa história terá um fim de sofrimento e dor,  a não ser que a morte a faça sofrer menos.

16 comentários:

  1. Bom dia
    Maravilhoso..
    Por aqui também tem chovido muito.. que me deixa melancólica.

    Beijos

    Bom fim de semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. É assim chove forte aqui, fraco ali, nem chove cá, é assim
    cada uma traz um efeito. interessante a postagem. Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Bom dia saudoso amigo... que possamos semear amor não só nas nossas vidas como na dos outros como fez o menino e o pé de feijão cujo tb fiz uma poesia infantil retratando isso.. abraços e um lindo dia
    até sempre

    ResponderExcluir
  4. Absorta em suas adoráveis metáforas poéticas
    repito algo soprado pelo vento:
    "Tudo nessa a vida passa...
    até uva passa,"
    porque
    até a chuva ao certo certo
    não passará? É Outono
    Sr. Palhaço;
    dentre outras coisas tempo de chuvas
    durante a renovação das folhas .
    Belo e reflexivo texto.
    Bjs
    Catiaho Alc.

    ResponderExcluir
  5. Desgastaram-se? Deixaram o tédio sufocar o amor? Revisão de relacionamento, urgente!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. É triste quando se chega a esse ponto...
    Melhor seria desligar os aparelhos e deixar
    que descanse em paz. Um belo texto.
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo quando você vem, Nádia,
      querida.

      Beijos.

      Excluir
  7. Histórias sempre se encaminham para momentos decisivos, para o renascimento, ou para o fim. Acho que a beleza de um relacionamento acontece quando consegue-se renascer a dois, várias vezes. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Briga entre casal, infelizmente,
      só tem agravante; não tem
      juiz para indicar caminho, mas tem
      tristeza, despedida ou subserviência.

      Beijos, Bia, e obrigado pelo carinho
      de sempre.


      .

      Excluir
  8. Lindo texto! Acredito que sempre há tempo para acender a fagulha que com certeza ainda existirá.
    Bom dia!!
    roarteestilo.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uns têm o fogo. Outros
      têm a falta do pavio.
      Como ajudá-los, querida
      Rô, se lá fora é quente,
      e dentro é tão frio?

      Beijos, meu anjo. Obrigado
      por partilhar meu texto.


      .

      Excluir
  9. Bom dia Silvio \o/
    Quando as coisas estão fora de compasso, é possível buscar a harmonia,
    mas para que a sintonia volte, é imprescindível não ter medo de renovar...
    Boa semana, bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sino rachado não
      responde o badalo
      no mesmo tom...

      Beijos, Clau, querida.

      silvioafonso


      .

      Excluir
  10. Qual seria a graça da vida sem o imprevisto, a desarmonia, td certinho e no “lugar” q deveria, ñ existiria sonho, pra q??? Vc já saberia o desfecho. Quem sai na “chuva” é pra se molhar, ñ importa as consequências, sem entrar vc jamais saberá se foi bom ou ñ, sempre digo... melhor arrepender do q fez! Bjão e cuide-se!!!

    ResponderExcluir
  11. Boa noite Silvio, numa relação sempre existe momentos de desencontro, natural, duas pessoas diferentes há que divergir, e divergir com aquele critério que não interfira no coração. Quando neva na febre amigo, é isso ai, cada um pro seu lado, é a pedida ideal. Não nascemos para viver sozinhos, muito menos sofrendo degustando amarguras. Viver sozinho à dois, é cruel. Adorei seu desabafo. Bjss!

    ResponderExcluir
  12. c'est la vie mon ami! Porem...quando a chama se apaga,pode até se manter acesa,mas não dará mais brilho ao caminho.

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.