terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

ATRÁS DA PORTA...



Foi muito difícil descolar um canto para dormir numa cidade 
que festejava o seu padroeiro.  Foi num Motel afastado do centro que eu consegui um lugar, aparentemente limpo e confortável, para o pernoite.  Eu estava muito cansado e não seria a conversa do casal que namorava no quarto ao lado que atrapalharia  o meu descanso.  Tomei uma ducha, comi um misto quente com refrigerante enquanto o “Altas Horas” rolava na tevê. Escovei os dentes e me deixei cair pesadamente na cama de lençóis mostarda. Achava que sonhava estar fazendo amor quando me dei conta do que de verdade acontecia.  Um homem falando baixo dizia coisas que eu não sabia enquanto a parceira choramingando pedia mais. Que diabo ele estaria dando a ela em tão pequenas proporções  que a levava aquele estado? Virei para o canto, como se cama redonda tivesse algum, afofei o travesseiro, cobri a cabeça e tentei dormir.  Tentei, porque o quadro continuou o mesmo.  Ela pedindo não sei o quê e o desgraçado por sua vez negando, o quê eu não fiquei sabendo.  Assim foi o resto da madrugada. Ele falando coisas que eu não sabia e ela chorando pedindo mais. Liguei a Tevê e tentei acompanhar o final do filme que passava.  No intervalo comercial eu me lembrei do casal que finalmente sossegara, pelo menos eu não ouvia nada que viesse daquelas bandas.  Fui ao banheiro, fiz xixi e voltei pra cama.  No silêncio da noite um ruído aguçou a minha curiosidade.  Era como se um pequeno cachorro bebesse água do outro lado da parede aonde o casal dormia.  O barulho foi crescendo enquanto risinhos nervosos enchiam o espaço que eu achava que era meu. Respirações aceleradas e um grito de mulher, que me causou um grande susto,  pareciam ser o ponto final do meu tormento. Tudo ia bem até que o cara resmungasse coisas que eu, naturalmente, não fiquei sabendo. Depois vieram os gemidos da garota e o ranger da cama que me torturavam. 
 O sol se debruçava na janela quanto tudo terminou. Levantei, tomei um banho e sem café viajei de volta ao Rio. Eu parecia um panda, tão grandes eram as olheiras. Na viagem eu me  lembrava, penalizado, da moça do quarto ao lado que sofreu sem que ninguém, nem mesmo eu,  saísse em seu socorro.   
Eu estava muito cansado para pensar qualquer coisa que não fosse descansar.

44 comentários:

  1. Desastres quando estamos em um lugar errado... na hora errada... Acontece!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu precisava ouvir isso
      antes, Celinha.

      Beijos.




      .

      Excluir
  2. Respostas
    1. Mas como, esquecer?
      Perdi uma noite e em
      troca ouvi risos...
      Beijos, Gisa, querida.

      Excluir
  3. Querido Palhaço Poeta,
    aos risos
    digo ser este o resultado
    de uma alma inquieta
    e um ouvido sempre atento.
    Nem ouso mencionar o
    que ouço no escuro e silencio
    de algumas noites.
    Adorei a postagem, me alimentou a
    imaginação.
    Anterior; eu li algumas vezes,
    porém não tive nada a dizer:calei.
    Bjins e linda semana pra nós
    Catiaho Alc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que o texto
      foi bem compreendido.

      Beijos, amiga.

      Excluir
  4. Olá amigo.
    Como eu o compreendo,já me aconteceu o mesmo.Uma noite inteira sem dormir e a ouvir gemidos e barulho de cama é dose eheheheh.
    A garota devia ser bastante exigente,gostei da parte em que parecia um cachorro a beber água.

    Um abraço e um bom dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o ruído é muito parecido,
      não é mesmo?
      Oh, sede, tem esse bicho!

      Excluir
    2. a "cachorra " tinha sede,talvez a torneira não estivesse a funcionar como ela queria.*-*

      Excluir
  5. Vim falar um Oi
    Por detrás da porta

    Abraços com carinho

    _____________Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase deu tempo de
      puxar você pra dentro.

      Beijos, Rita e obrigado.

      Excluir
  6. Silvio,

    estou até rindo... entre o sufoco para o descanso e a atenção aos ruídos vizinhos, vc foi bárbaro na narrativa, dá para perceber toda a situação.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu deveria ter tido a curiosidade
      dos mortais para entender que
      a dor faz chorar com o sofrimento,
      mas também com o prazer.

      Beijos, garota e obrigado por
      comentar o fato.

      Excluir
  7. kkkk... Tá parecendo mais um camelo bebendo água. Adorei a criatividade... Eu ficaria atrás da porta com um copo no ouvido kkkkkkkk... Já que não me deixaram dormir mesmo!
    Você deve ter ficado um fofo parecendo um panda... Eles são tão bonitinhos! Doce beijo, meu querido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. May, você, também, me fez
      sorrir.

      Beijos, moça.

      Excluir
  8. Situação complicada essa seu poeta! Bju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sofri, como diriam
      os invejosos...

      Beijos, Nádia querida.

      Excluir
  9. Que aventura, hein?

    Silvio,
    Eu vi o teu comentário no boteco dos blogueiros.
    Este blog ainda está em construção.
    Tão logo seja concluído o boteco será teu seguidor.
    Por hora eu te sigo com o meu perfil e te convido a visitar e seguir meu
    blogue >=> Histórias, estórias e outras polêmicas

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe eu não conte
      um conto em sua página?
      Dependendo do momento a
      gente arruma um tempo.

      Abração.

      Excluir
  10. Outra coisa... como achaste o Boteco de Blogueiros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi simples. Eu comentava
      o blog de uma amiga quando
      vi um comentário seu. Daí
      foi um pulo, como diria o
      sapo.

      Um abração, Cláudio e, me
      aguarde na sua página.

      Excluir
    2. Blz! O Boteco está com alguns problemas para sair, mas o HEOP está de vento em popa. Eu te espero lá.
      Valeu.

      Excluir
  11. Bom dia Silvio!!!Soube narrar bem sua insonia rs....pois e amigo contra tempos acontece.Atras da porta e ruidos e um perigo rs....Amanheceu,os iliêncio voltou a reinar e vc retornou ao aconchego de seu lar.Espero que vc tenha descansado Silvio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi em casa, Val, que eu pude,
      não somente descansar, mas
      pensar no que de fato aconteceu...

      Beijos, amiga.

      Excluir
  12. BOA TARDE SILVIO, FOI UM PRAZER TE RECEBER COMO SEGUIDOR DO MEU BLOG, JÁ ESTOU TE SEGUINDO TAMBÉM!
    UMA BELA NARRATIVA A SUA, NÃO SE É VERDADE OU SE SAIU DE SUA MENTE PRODIGIOSA, MAS MESMO ASSIM, PARABÉNS, ESTÁ MUITO BEM ESCRITA!
    NÃO EXISTE MELHOR ACONCHEGO DO QUE O NOSSO LAR, NOSSA CASA, NOSSA FAMÍLIA E SEMPRE COM JESUS NO CORAÇÃO!
    AMEI SUA VISITA E SEU COMENTÁRIO, VOLTA SEMPRE LÁ!
    UM GRANDE ABRAÇO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É claro, Cirinita, que nem tudo que
      relato é verdade, mas tem base no
      que de fato aconteceu comigo.
      Um beijão e obrigado pelo comentário.

      Excluir
  13. Arrasou florzinha' ♥

    Ótima noite. :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Florzinha?
      M
      .. a
      ... g
      .... o
      ..... e
      ...... i


      .

      Excluir
  14. Ufa que noite, hém! Já te sigo aqui algum tempo
    desejo que está noite vc repouse tranquilo. Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, estou tentando,
      mas depois do que me
      falaram que pudessem
      ser aqueles gritinhos...
      Aí, é que eu não durmo,
      mesmo.
      Nal, um beijo e obrigado
      por falar comigo.

      Excluir
  15. OIIII...
    Acontece nas melhores famílias, rs, dá pra sentir td tua aflição e curiosidade, detesto qdo isso acontece comigo e eu ñ sei o desfecho, sou mt curiosa, rs.
    Bjs e cuide-se!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sou curioso, sou
      meio bobinho, só isso.
      Um beijo Edilene. Foi legal
      receber seu comentário.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Por que removeu o comentário,
      Edilene. Por quê?

      Bjs.

      Excluir
  16. Oi Silvio, boa tarde!
    Vc não perderia a oportunidade de escrever um texto
    comentando os burburinhos do quarto ao lado não é mesmo?!?
    Anda mais um quarto de motel...
    Muito boa sua narrativa, querido amigo!
    Bjs \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não devia ter falado nada.
      Só assim não escutaria o
      que os meus ouvidos não
      querem...

      Excluir
  17. Blog encantador,gostei do que vi e li,e desde já lhe dou os parabéns, também agradeço por partilhar o seu saber, se desejar visitar o Peregrino E Servo, ficarei também radiante e se desejar seguir faça-o de maneira que possa encontrar o seu blog, porque irei seguir também o seu blog.
    Deixo os meus cumprimentos, e muita paz.
    Sou António Batalha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Antônio, querido.
      Obrigado por vir e comentar
      meu texto.

      Um abraço.


      .

      Excluir
  18. Muito feliz com a indicação de uma amiga. Vim para visitar e fiquei! Maravilhoso nome "PALHAÇO POETA". (A grande essência está por na lágrima que muitos não enxergam. - Rica Almada), Parabéns ,meu mais novo amigo, voltarei com certeza. Abraços iluminados...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rica, um beijo e obrigado
      pelo comentário. Obriga-
      do, também, pela amiza-
      de que me dá.

      Beijos.


      .

      Excluir
  19. Adorei o texto seu curiosinho kkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou muito escrevendo
      pouco. Isso é interagir,
      sabia?

      Beijos, Sister e obrigado.




      .

      Excluir
  20. Meu querido Silvio antes de tudo sorry por não vir antes por cá, mas sei que sabes o quão das dificuldades da vidona fora da tela... e infelizmente o dia só tem 24 horas, muito pouco para uma sereia que tem 7 mares a navegar.... E quanto a esta tua hospedagem EITAAAAAAAAAAAAAAAAA espero que tenha acordado (dormiu?) com um sorriso largo... Meu poeta Palhaço.... Um enorme beijo meu querido e aparece na Ilha para mais uma invencionice desta Sereia errante kkkkkkkkkkkk só quero tua indicação e a partir do dia 28 sentir teu cheiro no carnaval da Ilha, de resto como o carnaval só é 4 dias... que continuemos a nos abraçar no decorrer de 2014... Até SEMPRE!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, só você mesma, Lindalva
      para fazer cócegas no meu
      cérebro.
      Adoro você e felizmente você
      sabe disso.

      Beijos.



      .

      Excluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.