quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

GENTE COMO A GENTE.

Seria muito fácil falar do meu passado e do meu presente.
 Falar dos meus sonhos, dos meus desejos e das várias derrotas que valorizaram as minhas poucas vitórias.  Falar das mulheres que cruzaram o meu caminho, pois sem elas, eu não perceberia a grandeza do amor que tenho pela minha, também não seria difícil.
Falar dos meus amigos que  cabem todos numa quitinete no 
lado esquerdo do meu peito eu o faria com prazer. 
Eu poderia, por comodidade, falar da minha vida,  mas não quero.  Não vou falar de mim, mas falar do ser humano do jeito 
que eu o vejo e compreendo, pois também sou esse animal que por 
mais que se estude, poucos, muito poucos, conseguem entendê-lo.  Foi analisando a espécie que os estudiosos, e não eu, se perderam num imenso território de possibilidades. Toda atitude e comportamento humano, sem que se diferenciasse certo e errado, normal e anormal, tem sido objeto de análise desde que a
 filosofia se fez entender.
A minha vida, neste blog, cuja visita de amigos acontece a cada hora, não teria graça se coubesse num pequeno texto escrito num piscar de olhos.  Mas falar do ser humano como regra 
geral é que é o mote. 
Por mais que você conviva,  nada, ou quase nada dele ficará sabendo.  Quando lhe dão um sorriso você, nem sempre, com um abraço retribui  a gentileza, e para selar a sorte evidencia com um beijo, ou não. Alguns, no entanto, batem sua carteira depois do abraço e há os que tentarão matá-lo depois do beijo e não importa com que tipo de morte o afligirão. Eu, por exemplo, tenho um par de amigos que há anos me envolvem num abraço de tirar o fôlego, enquanto os carinhosos beijos são de borboleta,  e beijar daquela forma nem pensar na possibilidade eu pensei fosse possível.  
A criação que eu recebi deveria ter sido dada a uma jaca, a um crocodilo ou a uma lagarta se sou cheio de defesas. Os meus amigos, no entanto, esquecem que eu posso arranhá-los, dar rabanada ou queimá-los com o que me envolve, não só o corpo, mas também a alma, e muitos, eu sei, são iguais a mim. 
Uma terceira pessoa, mais uma mulher e sua filha, também me confundem com sua bondade enquanto eu sou, ou era,  intransponível na minha defesa como a seleção do Felipão até que os conheci. 
Como entender o ser humano se nem a mim mesmo eu conheço? Talvez por isso a gente fale da gente achando que é mais fácil, mesmo que não saibamos a que nos referimos.

35 comentários:

  1. Palhaço Poeta,
    eis um texto de meu desejo ter escrito, pois
    reflete muito de muita gente, inclusive
    de como deixei aos poucos de ser há quase
    cinco anos passados.
    Coisa boa viver seguindo adiante e
    colecionando abraços bons assim e beijos
    como os descritos.
    Bom dia de quinta-feira pra nós e obrigada
    por nos brindar com mais esse texto.
    Bjins
    Catiaho Alc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O texto é verdadeiro, sim,
      mas não tão quanto o jeito
      que eu tenho de gostar de
      você e do seu marido.

      Um beijo ao casal, amigo.




      .

      Excluir
  2. Oi, Amigo, amei sua doce visita no meu cantinho. Parabéns pela postagem aqui, bem descrita retratando uma realidade de uma vida e seus comportamentos. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nal, meu anjo. Como você
      é generosa. Obrigado por
      vir, comentar e me deixar
      gostar de você.

      Um beijo.



      .

      Excluir
  3. Olá Sílvio, há tempo não conseguia vir aqui, hoje consegui acessar por meio de outro blog, no qual você estava.Seu texto muito bem escrito reflete muito de mim. Um texto que serve para fazermos reflexões e também nos dá a possibilidades de fazermos várias leituras do mesmo. Gostei muito de voltar aqui. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felizmente, Marli, você
      encontrou um jeito de
      visitar o amigo.

      Um beijo e obrigado por
      comentar o texto.



      ;

      Excluir
  4. Olá Sílvio,
    Fiquei feliz com sua visita, apesar da virose e da febre alta
    Que sejamos amigos
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois que sejamos, Dorli.
      Que sejamos.

      Um beijo a isso e quanto
      ao comentário o melhor
      muito obrigado.



      .

      Excluir
  5. Falar da gente, por vezes, é o mesmo que falar de muitos.
    Gostei!

    Deixo um abraço

    Sónia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sónia, um beijo pelo comentário.
      Um abraço pela visita e um sorriso
      pela amizade.

      Beijos, muitos.




      .

      Excluir
  6. Obrigada pelo carinho para com o meu blog.
    Valeu, colega poeta!!
    Aqui estou curtindo
    e adorando o teu espaço.
    um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você, Louraini, é gentil e muito
      generosa. Quem me dera ser poe-
      ta como disse. Acho que virar
      cambalhotas seria mais fácil se
      não complicasse tanto

      Um beijo e obrigado por tudo.




      .

      Excluir
  7. Parabéns pelo belíssimo texto Silvio.
    Sempre faço essa pergunta a mim mesma: Como posso falar de mim se ainda não me compreendi?
    Por sinal nunca encontrei a resposta...

    Tb já estou seguindo seu blog!

    Grande abraço

    Nanda Pezzi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nanda, eu, como disse no
      texto, sinto essa dificuldade.
      Como falar dos outros se eu
      não sei, 100% de mim?
      Um beijo e volte mais vezes.




      .

      Excluir
  8. Silvio, somos todos complexos , e muitas vezes, nos vemos de forma diversa daquela com que outros olhos nos fitam. Muito bom o seu texto. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu mesmo, Marilene.
      Valeu a sua visita, o seu
      comentário e muito mais
      a sua amizade.

      Um beijo.



      .

      Excluir
  9. " Falar das mulheres que cruzaram o meu caminho, pois sem elas, eu não perceberia a grandeza do amor que tenho pela minha..." Um bonita declaração de amor a sua esposa. Um excelente texto. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado duas vezes, Nádia
      querida. Pela visita e pelo
      comentário.



      .

      Excluir
  10. Acho que falar de mim na infância até seria fácil, pois a estou vendo de longe, bem longe... Mas de como sou agora impossível!!!
    Belo texto, como sempre amei.
    abraços,
    Léah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Léah, uma beijoca de
      agradecimento pelo
      comentário.


      .

      Excluir
  11. Bom dia Silvio ,o ser humano é muito complexo ,as vezes acho que nem mesmo sabemos quem somos de verdade ,quanto mais aos outros, digo a minha filha que as pessoas só nos mostram o que elas querem que nós vejamos , ela diz que sou desconfiada demais ,mas depois de algum tempo me fala mãe vc tinha razão.Abraços e bom final de semana.
    http://crismandarini.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, a criançada é assim, mesmo.
      A gente também já fez parte desse
      quadro.

      Um beijo e obrigado pelo comentário.



      .

      Excluir
  12. Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós. É ter maturidade para falar “eu errei”. É ter ousadia para dizer “me perdoe”. É ter sensibilidade para expressar “eu preciso de você”. É ter capacidade de dizer “eu te amo”. É ter humildade da receptividade. Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser feliz…
    E, quando você errar o caminho, recomece.
    Pois assim você descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas. Pra que entender o q jamais será entendido, o q importa é ser feliz e fazer o q se tem vontade, sonhar e etc, etc, etc...Como diz um amigo... Pronto falei, abraços e se cuide em!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu amiga. Contar com
      você na página é sempre
      um prazer.

      Um beijão.



      .

      Excluir
  13. Uma vida repleta de respirações, pensares e emoções.

    Nós somos também as pessoas comquem partilhamos a existência

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pérola, você é um doce
      de pessoa. Obrigado
      por comentar o texto.

      Beijos.



      .

      Excluir
  14. Oi Silvio,
    Muito bom seu texto...
    Eu não acho fácil falar de mim.
    Na verdade, não gosto de falar ou escrever a meu respeito, pois eu também ainda não me compreendi!
    O ser humano é de uma complexidade, que até assusta.
    E inúmeras vezes, não vemos as pessoas como elas são, as vemos pelo que elas significam pra nós.
    Boa semana pra vc, recheada de bons acontecimentos.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é tão agradável, Clau,
      que eu fico sem jeito de so-
      mente agradecer.

      Obrigado e um beijo.




      .

      Excluir
  15. Silvio,

    Parece que voce me leu e me escreveu aqui. Neste momento da vida, vivo anestesiada, porque se pensar como realmente ela tem sido, eu me desesperaria, porque fui criada acreditando nas pessoas, na familia, no futuro, nos projetos de vida a serem concretizados. Nunca, jamais, pensei sofrer tanto. Então, apesar de ter meus olhos cheios de agua agora, prefiro fazer de conta que é tudo perfeito, porque as pessoas de verdade são egoistas demais e amigas de menos.

    BEIJOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi pura coincidência
      Sissym. Eu, como diz
      o palhaço poeta, atirei
      no que vi e matei o que
      não sabia.

      Beijos.



      .

      Excluir
  16. Gostei do seu texto, somos humanos complexos, mas pode ser muito bom conhecermos um pouco mais de nós.
    "Talvez por isso a gente fale da gente achando que é mais fácil, mesmo que não saibamos a que nos referimos."

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi certeira a sua flecha
      querida Marijleite.
      Um beijo e obrigado pelas
      palavras.



      .

      Excluir
  17. Respostas
    1. Para você também,
      querida amiga e obrigado
      por comentar o texto.

      Beijos.




      .

      Excluir
  18. Bom dia Silvio.
    Penso que, falar com teorias e estudos
    é muito fácil, pois aprendemos a ler e escrever.
    Mas falar com a pratica, com o Amor, com os
    sentimentos, somente os poetas de alma ardente,
    apaixonados pela vida, como você Palhaço Poeta!
    Então, sem demagogias ou puxar o saco...Ser Humano
    é muito complicado...Saber o que vai pelo coração e
    pensamentos é demasiado difícil...Mas o que não podemos
    negar é que...quando dois olhos se miram, nada fica escondido,
    nada fica sem dizer, pois vai além do que se pode explicar, dizer
    ou fazer acontecer... Resumindo...Quer entender o Ser Humano?
    Olhe bem dentro dos olhos e verás além do que se possa entender!
    Um olhar diz tudo...o toque revela os desejos...o abraço acolhe tua alma
    e os próximos passos, desvendam na verdade...o que é você!"
    E deixo sim aqui meus Beijos, pq são sinceros e de pura Amizade!

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.