domingo, 1 de dezembro de 2013

ATÉ PARECE, MAS NÃO É...

De vez em quando aparece um político dizendo que 
o governo está acabando com a pobreza no Brasil. Acontece que esses mesmos caras de pau se esquecem da meninada que vence na vida jogando bola, fazendo funk e pagode, atuando em teatro, novela e filmes ou entram para a política como muitos que não tinham aonde cair mortos e acabaram ricos e famosos.  Essas figuras que se tornaram famosas não compram uma casa ou um apartamento para morar com a família dos seus pais e com a que ora acaba de formar, mas um quarteirão ou o prédio inteiro e para cuidar do patrimônio, faz questão de empregar parentes ou os amigos de infância mais chegados para os quais paga salário que muda a sua vida e os tira da miséria em que viveram. Outros desportistas, como lutadores de boxe, de MMA, ginástica olímpica, natação etc, que vieram da favela ou dos lugares que o próprio governo não sabia existir, também mudam a história do país. Pelo menos é o que tenho visto na imprensa. Fora os políticos que eu não sei aonde guardam o dinheiro, essa gente transforma e dá credibilidade ao lugar onde nasceram e se criaram. Essa garotada, através de sua história e de bons conselhos, cria e dá oportunidade aos seus iguais. Faz creches, escolinhas de arte, futebol e diversas ONGs para depois ficar sabendo que o governo acaba com a fome e a miséria dando aos 50 milhões de inscritos no programa uma ajuda de 66 reais. Isso se as minhas contas estiverem certas, pois o governo diz que repassa 3 bilhões e trezentos milhões de reais para 50 milhões de beneficiários do bolsa família.
-Eu acho que a minha fala pouco importa, mas é comovente ver o garçom receber gorjeta em agradecimento  pela boa comida enquanto o cozinheiro, de barriga quente, ouve ao longe os 
aplausos que seriam seus.(Foto da Internet)