segunda-feira, 28 de outubro de 2013

GOZANDO A VIDA POR AÍ.



A reação que o gozo provoca nas pessoas continua causando discussão, principalmente os das mulheres. Os homens provam que gozam ejaculando enquanto as mulheres entram em convulsão na hora derradeira. Tem gente garantindo que a mulher pode fingir um orgasmo enquanto o homem, nem sempre.
Eu digo nem sempre porque eu já fingi.
Tem homens que entram em alpha somente com carícias sem a obrigatoriedade da ejaculação para provar o que sentiram. Com os carinhos da mulher amada o parceiro pode ter orgasmos múltiplos, caso não fosse eu me internaria para tratamento.
Quanto a mulher, esta relaxa e até perde a compostura durante ou depois do ato instante em que os parceiros se empenham, já que o orgasmo tem esse poder. Também o humor fica mais leve, o sorriso agiganta e a pele rejuvenesce. Porém o que melhor poss
o ver nesse gol a favor é a valorização que a vida ganha e por conseguinte a felicidade e a paz que as mulheres conquistam para tocar a vida.
Eu diria que um bom orgasmo nas mulheres, as faz desabrochar, como as flores.
Quanto ao homem...
Bem, neste caso eu não deveria comentar, haja vista que ele, assim como eu, quando goza, se sente poderoso, um semideus. A mulher, não necessariamente quando arranha, morde o travesseiro, grita ou chora - como fazem as que que eu tive o prazer de conhecer - prova com isso que o orgasmo está chegando, o que me torna, modéstia à parte, um macho contumaz. Nem sempre isso é tão verdade como o prazer que elas se permitem. Uma relação sem pressa, sem medo e sem pecado entre casais sadios, proporciona à mulher o direito de encerrar aquele ato até fingindo que gozou, porque o gozo da mulher faz melhor efeito no homem que nela, propriamente dito. Quando o homem leva a mulher ao orgasmo, dificilmente ela badalou sozinha aquele sino. Sempre tem a parceria de alguém carinhoso e inteligente para, de mãos dadas, passear pelos jardins do paraíso enquanto o botão do orgasmo arregaça as suas pétalas.
Depois das preliminares, alguns casais, não muitos, conseguem chegar às vias de fato ao mesmo tempo.
Esta é a prova da sintonia fina entre eles.
É bingo! É o tiro certeiro, a flecha cortando o vento.
De toda forma é necessário continuar os estudos sobre a matéria, mas sem esquecer da prática, e de preferência gritar às sete curvas do mundo os resultados conquistados e não calar como tem acontecido. Gozar ou não gozar não é a questão, mas o prazer adquirido há de se convir que não tem preço.