terça-feira, 8 de outubro de 2013

AO MESTRE COM AMOR.

Bom dia. Eu sou Silione, vereadora carioca, cujo 
horário do meu filho coincide com o do meu trabalho, por isso a gente não se conhecia.  Foi meu marido quem o matriculou e a empregada é aquela que o traz pela manhã e no final do dia o leva de volta à casa. 
Luizinho é um loirinho de olhos caramelados e que, nesse momento, mexe nas tranças da coleguinha que tenta dele se esquivar, como a senhora pode ver.   
Mas como eu ia dizendo, não é de hoje que venho protelando agradecê-la por cuidar do meu filho como se fosse mãe, não só dele, mas de cada uma das crianças que aqui estão. É um privilégio ter um filho sob a responsabilidade de uma mulher bonita, cuja generosidade do decote deixa ver um par de belos seios que coram a face e enchem de água a boca de qualquer um, até a minha, se você quer saber.  
É claro que eu jamais confessaria o que a sua imagem causa na gente, e eu só me atrevo  pela  coragem que tomei tão logo soube que meu filho era  aluno de uma garota maravilhosa como você. 
De toda maneira eu gostaria de agradecê-la pelo cuidado e dedicação que vem tendo com o Luizinho. Talvez, quem sabe, a senhora não arranje um tempo para um café, um chá ou um refresco em minha casa para que eu possa lhe dizer da alegria que sinto ao vê-la exercendo o magistério. 
No dia que achar que deve, procure-me para conversarmos, e eu confessarei o que vai na minha alma e você, quem sabe, poderá falar sobre os seus alunos, sobre a escola ou suas tristezas, se as tiver, e sobre a felicidade que vejo brilhando em cada um dos seus belos olhos verdes. 
Eu fui casada, como falei, por cinco dos meus 32 anos. Fui feliz até que o meu marido, primeiro e único amor veio a falecer.  Foi um baque, um vácuo em minha vida. Agora, conhecendo a senhora, como tenho conhecido de janeiro para cá, sinto que a minha nave estabilizou o voo.  
Ser mãe de um dos seus alunos, professora, já é um presente.  
Ser algo mais íntimo, como ser sua amiga, seria um sonho, mesmo que utópico.  A partir desse momento os meus sonhos retornarão à nave onde embarcarão para voar o  mesmo tranquilo e confiável voo como quando o meu amor vivia.  
 Você, que eu trato por senhora sem ter deixado de reconhecer em si a idade da menina, não deve dizer não ao meu convite para que saiba das dificuldades que a vida nos proporciona ou da felicidade que encontramos no amor de uma pessoa, não importando  o sexo, se ele brilha em nossas vidas como brilham os raios do sol numa linda manhã primaveril. (Foto da Internet)