sexta-feira, 9 de agosto de 2013

NÃO MENOS QUE DE REPENTE....

De repente bateu em mim uma vontade enorme 
de dizer que te amo.
De dizer que tu és ímpar por fazer da minha vida o que
ninguém se atreveu. 
De repente bateu em mim uma vontade enorme
de dizer que te amo. De dizer que não pensar em ti seria
como desviar o leito de um rio sem a pretensão de transbordá-lo   na primeira curva. 
De repente  bateu em mim uma vontade enorme 
de dizer que te amo. De dizer que te quero e que o egoísmo
dessa vontade tem sido a alma que me sustenta o corpo, que me empina todas as outras emoções, até aquelas sem as quais eu não sabia que sobreviveria. Sobre tudo e sobre todos; sobre ti, e principalmente, sobre mim.