sábado, 27 de julho de 2013

O SEXO DOS MENINOS.

     Quando você diz que não sabe o que aconteceria se os seus lábios fossem tocados pelos de uma outra mulher não quer dizer que você vai deixar de comer, de dormir ou  será abatida de morte por um inesperado beijo. Quando se é criança ou entrando na fase adolescente, é provável que corramos certos riscos buscando novas emoções, novos prazeres como dar uns pegas nas garotas  ou nos deixamos pegar pelos meninos.  O cigarro também nos é permitido conhecer, assim como a bebida se algum amigo se dispuser fazer um brinde. Já o beijo entre jovens do mesmo sexo faz tempo já  não é visto como coisa do outro mundo. Certas estudantes, principalmente as do ensino fundamental, buscam nas amizades mais chegadas esse tipo de experiência que você, tão nervosa, me trás como questão. Nenhuma delas, pelo menos que eu tenha conhecimento, é ou tenha se tornado gay, caso esse fosse o seu medo, minha cara  amiga. Quando a pessoa se assume é porque já  nasceu assim.  Ninguém nasce uma coisa e muda para outra assim, de repente.  A mulher, por exemplo,  tem muito mais chance de se descobrir na adolescência do que o rapaz, enquanto jovem, já que as reuniões entre elas não chamam tanto à atenção como aconteceria com as dos meninos que nem andar de mãos dadas são capazes. Poucos são os garotos que se abraçam, que se tocam, mas se beijar, dificilmente se beijariam, ao passo que as meninas se atrevem mais e para que saibamos quem é quem há de se esperar, pois a resposta só o tempo tem. 
Enquanto esse tempo não passa eu adoço a ponta das flechas com mel  e as  disparo com as seguintes perguntas;  quem é que gostaria de trocar o respeito adquerido pelo escárnio de alguns e a intolerância de muitos? 
Quem teria coragem de se deixar afrontar por uma sociedade homofóbica que não aceita outras cores, além da branca e da preta para pintar a beleza da vida?  Ninguém se torna ou deixa de ser gay porque quer. Só a genética decide quem é o quê.
Quanto a você eu não vejo nada que possa levá-la a mudar de rumo caso uma intimidade maior aconteça entre você e uma amiga, até porque, eu mesmo não saberia como agiriam os meus hormônios  se fosse osculado na boca por um homem.
Uma coisa eu posso garantir. Ninguém se arriscaria abraçar um animal selvagem se não tivesse certeza de que ele corresponderia.