sexta-feira, 19 de julho de 2013

É MEU E NINGUÉM TASCA. SÓ O GOVERNO.

      Falar de política é perigoso porque divide opinião, cria divergência e incompatibiliza amigos.  Agora, se algum de vocês me garantisse que nada abalaria a nossa amizade eu me arriscaria a perguntar se vocês já se deram conta de como os cidadãos brasileiros e  seus empregadores eram, são e certamente continuarão sacrificados no tocante ao emprego? Eu,  como sei que vocês também fazem, 
fiz as contas para saber quanto um funcionário que tem no contracheque um salário de 4.000,00 recebe de verdade, por mês. Não poderemos esquecer que o contratante, seu patrão, deverá desembolsar, pelo menos, mais 2.000,00 com os encargos que a lei prevê. 
Dos 4.000,00 esse cidadão receberá 2.800,00 porque serão descontados o INSS, o imposto de renda, imposto sindical e outras coisinhas mais das quais já não me lembro.  Dos 2.800,00 que sobraram o funcionário ainda pagará luz, gasolina do carro, aluguel do imóvel onde mora e alimentação entre outras coisas. Porém não vamos esquecer de que sobre esses gastos que
 mencionei incidirão, aproximadamente, 50% de impostos embutidos, enquanto aquele cara que tem um salário de 4.000,00 às vistas dos colegas, familiares e amigos, leva para casa, na verdade, 1.400,00 para pagamento do colégio, das roupas e outros gastos com ele e sua família, já que desses seis mil reais o
 governo ficava, fica e ficará com 4.600,00, enquanto o 
pobre diabo se agarra às promessas de que o tal valor será revertido em saúde, educação e outros benefícios que nunca pintam e tão pouco bordam. (Imagem da Internet)