sexta-feira, 3 de maio de 2013

PERIGOSA.

  Ele a viu por duas ou três vezes, mas 
o suficiente para um cara de meia idade e bem resolvido no social e no profissional perder o rumo e sair do sério. Ela, uma bela e jovem mulher, possivelmente casada e quem sabe, com filhos,  provocava a libido masculina e o ciúme das mulheres com  a maneira ousada de se  vestir e de caminhar. Neles despertava  todos os tipos de desejos e fantasias, inclusive  naqueles que se diziam fiéis, senhores de si, como essa pessoa pensava que era.  Ontem ele caiu na esparrela por se dar ao desrespeito de querer concretizar  no imaginário tudo aquilo que, com ela,  fazia  durante os   sonhos.  Eram momentos moravilhosos, únicos,  em que ele a  enxergava com pouca ou nenhuma roupa dançando para instigá-lo.  Sonhos proibidos, perniciosos e  do transe não tendo como despertar deixou-se viajar numa espiral como o barato de uma bebida forte, um cigarro proibido ou um vício que o aprisionava. O sujeito em questão  imaginava que ela estivesse ali, de camisola  branca, transparente ao lado dele, e num momento de fraqueza ou descuido da parte dela  a  beijou na boca demoradamente, no pescoço, por entre os seios e por não encontrar resistência que o detivesse afundou a cabeça por entre  suas grossas  pernas  aonde  permaneceu até que, tal qual uma serpente que espreme contra si a presa até matá-la,  a viu  render-se  com um  grito rouco  ao mais longo e alucinante de todos os orgasmos que já tivera para se prostrar, lânguida, aos pés do seu algoz logo depois.
-A história que a mim foi confiada molhara o ventre e a roupa de cama do cara que despretensioso  pensava nela enquanto se tocava com suaves, mas precisos movimentos  sem se dar conta  das consequências que as carícias provocariam,  a não ser, é claro,  quando uma nova explosão o fez por terra.  Ele estava exausto, mas não derrotado. As horas venciam o seu corpo com o cansaço, mas enquanto da mulher, ele  se lembrava, mais uma de suas mãos acelerava naquilo que fazia  levandopulsar  o apêndice que não fraquejava mesmo que as sementes novamente semeasse.
 A ninguém, pelo menos lúcida, essa pessoa confessaria uma insanidade dessa natureza, a não ser que ela fosse um ser normal, como todos os homens sabem que são.

15 comentários:

  1. Twoje teksty przyprawiają mnie o zawrót głowy:)) Ciekawie się to czyta:)

    ResponderExcluir
  2. Homens e suas paixões platônicas! O texto para variar dispensa elogios.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. O homem que mais defendeu as mulheres não parou por aí. Sua ultima frase indica o apogeu da sua humanidade, o patamar mais sublime da solidariedade. Ele disse para a mulher: “Vá e refaça seus caminhos”. Essa frase abala os alicerces da psiquiatria, da psicologia e da filosofia. Jesus tinha todos os motivos para dizer: “De hoje em diante, sua vida me pertence, você deve ser minha discípula”. Os políticos e autoridades usam seu poder para que as pessoas os aplaudam e gravitem em sua órbita. Mas Jesus, apesar do seu descomunal poder sobre a mulher, foi desprendido de qualquer interesse. “Vá e revise a sua historia, cuide-se. Mulher, você não me deve nada. Você é livre!”
    Jesus a despediu, mas ela não foi embora. E por que? Porque o amou. E, por amá-lo, o seguiu para sempre, inclusive até os pés da cruz, quando ele agonizava. Talvez essa mulher tenha sido Maria Madalena. A base fundamental da liberdade é a capacidade de escolha, e a capacidade de escolha só é plena quando temos liberdade de escolher o que amamos. Todavia, estamos vivendo em uma sociedade em que não conseguimos sequer amar a nós mesmos. Estamos nos tornando mais um numero de cartão de crédito, mais um consumidor potencial. Isso é inaceitável.
    Só o silencio pode conter a sabedoria quando a vida está em risco , o silencio é a oração dos sábios...Te digo a mulher do teu conto não é casada mais livre, e por ser bela ela retrata a condição humana como mera vaidade e o ciúme como falta de inteligência.
    Todavia, antes do autor apedrejá-la, mude a base do julgamento, tenha a coragem de ser transparente, em enxergar as suas falhas, erros e contradições..Eu não nunca jugo !


    Rachel Omena

    ResponderExcluir
  5. Boa noite Silvio

    Eu deixei esta resposta a ti la no meu blog literaturas O mundo encantado dos Poetas e também vm agradecer teu comentario ali.

    Sabe Silvio o que vejo dentro de nós mesmos é um egoísmo que nos leva a ser só..E quando entramos dentro de nós mesmos entramos em uma profunda caverna e quanto mais entramos mais ficamos cientes que estamos cada dia mais sois e cada um recolhidos ao estresse e dele o caus.
    Buscamos desesperada mente um motivo para viver mais este é só nosso motivo pois as decepções humanizam as nossas lutas que são vãs..
    Se o homem ainda olhasse para o céu e sorrisse para uma estrela,abraçasse a lua pisasse na grama sem sapatos e buscasse o fruto da terra ele não teria motivos para sorrir para dentro de si mesmo atraindo doenças mortais aonde nos lesa os sentidos do nosso próprio fracasso em todos os sentidos.
    Nisto tudo a fam´lia é a mais prejudicada, os filhos já não encontram os pais em casa e cada um agora se isola de suas vidas para viver caminho do projeto individual.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que delícia de leitura, erótico e sensual. Gostei!

    Bjs

    Auxiliadora RS

    ResponderExcluir
  7. Feliz domingo, Silvio
    Belo texto
    Abraços ~~~~ Araan.

    ResponderExcluir
  8. Nossa! Essa musa pegou o cara de tal forma que o transformou num zumbi do amor e desejo...Adorei a forma forte, porem, suave ao mesmo tempo. Consegui viajar e imaginar as cenas onde o pobre coitado, ama e delira com seus próprios sonhos. Talvez, uma forma de amar e viver momentos que jamais aconteceriam sem a coragem ou determinação para realizar tais sonhos...Musa proibida? Melhor tê-la então, somente nos sonhos para não complicar a vida e nem a saúde.
    ADorei seu micro conto sensual.
    Abraços de sua amiga de letras.

    ResponderExcluir
  9. Que sensualidade nesse texto, e como
    ele ficou heim..gostei de ler bem
    sensual mesmo
    Hoje acordei e resolvi te visitar
    já que vc não aparece eu venho deixar
    um abraço de bom final de tarde
    Desejar boa semana
    Bjss
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  10. Muito sensual seu conto, não é fácil escrever na linha que divide o erótico e sensual da vulgaridade e você conseguiu desenvolver o texto de forma suave e intensa. Adorei, um abraço!

    ResponderExcluir
  11. Olá...
    Sr Poeta!!
    Que texto sensual hein???
    Gostei!!
    Boa semana!! Saudades!!
    Beijos e beijos da Coruja!!

    ResponderExcluir
  12. Uma Performance de sucesso assim sucedeu este texto e o sonho se fez realidade..As vezes um conto é puramente realizável quando a história se torna real.E se irreal o sonho cobre o contentamento de existir alguns fatos.

    Parabéns amigo pelo belo desempenho

    Rachel Omena

    ResponderExcluir
  13. Bem contada história, erotismo sem vulgaridade! Excelente!
    Um abraço!

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.