quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

POR QUÉ NO TE CALLAS?


       João jurou que não falaria mais dos seus projetos,  seus financiamentos e investimentos, assim como não deixaria o mundo ficar sabendo das suas possíveis viagens de negócio ou lazer, dos males que afligissem seu corpo e do pranto que por ventura chorasse a sua alma. Entretanto Mariah, sua mulher, tem sido vista cabisbaixo, meio macambúzia sentada sob a goiabeira que dá frente para a janela de sua sala de onde se pode ver quem chega, quem sai ou quem por ali passa dando seguimento a vida. Deu pena,  confesso. João, que a todos havia prometido guardar para si as amarguras que tivesse, as tristezas que o acometessem e as dores que sentisse para tão somente dividir com os amigos e parente as alegrias, desde que contagiassem os emburrados  pessimistas. Mesmo impressionando com tais afirmativas João deu com a língua nos dentes e acabou falando mais do que achava que podia.  Falou não, berrou. Gritou as razões que o jogavam  para baixo, como falou das suas angústias e até da sua covardia fez questão que soubessem. Falou da intervenção cirúrgica por que passou e do medo horrível que tinha de morrer. Talvez falasse por receio da coisa dar errada ou por achar que as suas lamúrias fariam dele um cara mais respeitado, mais querido ou quem sabe, até, poderiam se oferecer para carregá-lo no colo como se fora uma criança desprotegida. Pobre João que não é de barro, mas de sonhos. João de fala fácil e vida complicada, que pretende mover o mundo com o seu verbo, com a graça do seu sorriso e com a força que não traz nos braços e talvez nem saiba se tem.  Em contrapartida eu também não calo a boca. Falo o que acho e o que penso, mesmo sabendo, como eu sei, que  isso não é sinal de bravura ou  coragem,  até porque, falar demais é feio. É tão feio que ninguém gosta de conversar com quem não sabe calar a boca, e o  pior, no entanto, é que João fala, mesmo calado, já que usa as letras do computador para se expressar quando o momento requer silêncio. Direito esse que eu também me dou e antes que vocês gritem para mim e para ele um; cala boca Galvão! Eu vou me envolvendo na mordaça para no final da frase colocar o que seria o ponto final do meu momento de Faustão.

29 comentários:

  1. Terminando com momento de Faustão não tem como não mandar se calar...


    Abraço Silvio,
    do Felipe.

    ResponderExcluir
  2. ACHO EXATAMENTE ISSO, TEM QUE FALAR MESMO, MAS NA HORA CERTA E SE FOR COMEÇAR A FALAR MUITO, TEMOS QUE SABER A HORA DE PARAR DE FALAR, E NOS ULTIMOS TEMPOS TODOS TEM FALADO MAIS NA ESCRITA DO QUE COM A VOZ, O IMPORTANTE E SABER SER FELIZ.

    ADOREI PASSAR AQUI NOVAMENTE.

    ABRAÇOS, PATTY.

    ResponderExcluir
  3. O bom, de todo esse blá, blá, blá, é que a gente adora! continue assim, querido Palhaço Poeta!

    Beijo,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  4. Olá, Silvio Afonso!

    Fala, poeta!
    Deixe que as letras desenhem sílabas, formem palavras, criem asas de borboletas e voem, para sonhar o impossível!
    Grite, poeta!
    E que o eco rebata no mundo possível que sua poesia sonha!

    Tenha um dia muito feliz!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. falar.. falar.. falar.. estou aprendendo isso.
    eu antes ficava calada, guardava tudo pra mim e quando resolvia soltar o verbo sobrava até pra quem não tinha relação com a história rs
    hoje estou sabendo a hora de falar, e a hora de ficar calada. =]

    obrigada pela visita!
    beijos,beijos

    ResponderExcluir
  6. olá vim agradecer sua visita lá no meu cantinho,gostei bastante da sua mensagem Rosinha

    ResponderExcluir
  7. Silvio, absolutamente divinal, amei este seu texto da vida.
    Beijinhos de Luz!
    Ana Maria

    ResponderExcluir
  8. Hola Silvio, interesante reflexión a propósito de una frase muy celebre para los españoles, pero lo cierto es que lo importante de la cuestión es el momento, a veces el silencio es lo más elocuente, sin embargo hay otros donde una palabra es una bendición, así que lo fundamental es usar cada cosa a su debido tiempo.
    En tu caso, no te calles por favor, porque aunque acabo de conocerte, creo que tienes mucho que decir.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  9. Maravilhosos texto!
    Procuro ser sutil na minha maneira de me expressar, para não magoar...

    Beijinhos!!♥

    ResponderExcluir
  10. Quantas barreiras vencemos
    no decorrer desse ano.
    Quantas ficaram para resolver
    no próximo ano.
    Quantos amizades eternas eu conquistei
    quantos se perderam no meio do caminho.
    Existe amizades eternas também as passageiras
    aquelas que enche nosso coração
    de alegria e depois parte.
    Enfim é quase Natal numa prece silênciosa
    permaneço orando com fidelidade por cada amigo(a)

    Desejo a você nesse Natal muita paz e muita luz.
    Não são os presentes que me fascina ,
    mais o aniversário de Jesus.
    Um abençoado final de semana.
    Beijos no coração e carinhos na alma.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  11. Olá amigo Silvio
    Como sempre brilhante nos textos.
    Obrigado pela boas vindas.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  12. Ahhh tem dias que quero mandar o faustão calar a boca mesmo, não deixa nem os artistas cantarem rs
    Ma então acho q certos assuntos e sentimentos devemos pôr pra fora, senão isso nos afoga.

    beijoo

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Sílvio!

    Obrigado pela visita ao meu blog Já ganhou uma seguidora.
    Abraços.
    Camila Marinho.

    ResponderExcluir
  14. Oi Poeta

    " Se permanecermos como
    somos não seremos o que
    precisamos ser "

    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  15. Oi Silvio vim agradecer e retribuir sua visita em meu blog.Seja muito bem vindo.Adorei seu blog, com temas diferentes e textos para se analizar e tirar conclusões próprias.
    Adorei.Virei com mais tempo para conhecer melhor.Tenha uma linda sexta.Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Boa noite Silvio...Não queremos ve-lo amordaçado, calado, pois suas palavras, sempre bem colocadas nos elevam e nos levam a viajar por entre teus sonhos, de bravura ou de romance, de ditadura ou democracia, de falar ou calar, mesmo sabendo que o silencio e de ouro, podemos gastar as plavras a vontade enquanto não colocarem taxas de imposto nelas...Brinquei contigo e com teu post., mas agora, me calo, fico em silencio, pois omo dizem: o silencio as vezes, fala por mais de mil palavras...Abraços carinhosos!

    ResponderExcluir
  17. O silêncio, ou quase isso, é um dom que tenho bem pouco... mas com o tempo tenho exercitado esse 'senhor' tão importante.
    Guardar pra nós as vezes faz bem, ajuda e, principalmente, se não der certo somos os únicos a criticarmos o tal projeto.

    Até mais

    ResponderExcluir
  18. Olá...
    Hoje te visitei...bateu saudades de ler o que escreves...mas como já se faz tarde...amanhã comento...tá??
    Bjkas da sua amiga Coruja!!

    ResponderExcluir
  19. ...falar ou calar na hora
    certa, é sinal de sabedoria.

    o resto vem por acréscimo.

    eu por exemplo,
    sou mais ouvidos
    que boca...mas
    falo quando é preciso...rs

    bjs, meu poeta querido!

    Vivi

    ResponderExcluir
  20. isso é um dom que só aprendemos com a vida e a idade.
    Tem mimo pra você http://pensamentosdeumamoca.blogspot.com.br/2012/12/meme-laco-de-incentivo-leitura.html
    Beijo no coração,uma semana abençoada e produtiva!
    Lílian -Blog:”Duas Moças Prendadas!”

    ResponderExcluir
  21. Oi Palhaço Poeta
    passei só pra dizer boa noite
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  22. ADOREI O POST,SILVIO!


    MUITO DIFERENTE.

    COLOQUEI SEU BLOG EM FAVORITOS E ESTOU RECEBENDO SUAS ATUALIZAÇÕES.

    ASSIM POSSO SEMPRE COMENTAR SUAS PUBLICAÇÕES NOVAS.

    BOM,NÉ?


    VC ANDA SUMIDO DO MEU.

    FAZ UMA VISITINHA,OK?


    FELIZ NATAL COM MUITA PAZ!


    BEIJOS


    DONETZKA

    ResponderExcluir
  23. Isso fez lembrar outro dia que peguei um taxista e ele falava demais, chegava a incomodar. Sou comunicativa, mas para conversar com uma pessoa desconhecida tem que haver algo muito interessante a ser compartilhado. De outro lado, tambem, as pessoas andam sem paciencia de ouvir. "Ouvem" demais virtualmente, mas pessoalmente são ignorantes.

    Bjs

    ResponderExcluir
  24. Obrigada Silvio!
    Retribuindo o sorriso e deixando votos de Boas Festas!! - para vc e sua família!
    Muita Saúde, Paz, Amor e Felicidade!!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  25. olá

    um ótimo domingo pra vc :)

    bjs

    http://lucianarodriguesrg.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Oi Poeta
    Você não leu o conto, tem que clicar no banner do lado direito,. É o segundo conto
    Beijocas
    Dorli Ramos
    Lua Singular

    EXCLUA, POR FAVOR

    ResponderExcluir
  27. JÁ DIZIA MEU VELHO PAI QUE HOJE TEM 89 ANOS. POUCOS FORAM TÃO FALANTES QUANTO ELE, ELE FALAVA QUE DEUS NOZ DEU O DON DA PALAVRA, ENTÃO...FALAR É MUITO IMPORTANTE, QUANTO SABER CALAR TAMBÉM É!MEU PAI HOMEM TÃO SABIO. HOJE QUAZE NÃO OUÇO MAIS O SON DE SUA VOZ, POIS O TEMPO LEVA TUDO. UM BEIJO POETA...FALE SEMPRE GOSTAMOS DE TE OUVIR.

    ResponderExcluir
  28. Adorei o blablabla. Eu adoro falar e quando começo e triste me desligar kkk.
    Aproveito desde já, pra te desejar um Natal cheio de muitas alegrias, e que o espírito do Natal te guie durante o ano novo que está para começar.
    Obrigada pela sua presença em 2012 no meu blog. O meu desejo é que possamos estar trilhando novamente em 2013.
    Ótimo final de Ano, e maravilhoso começar de Novo Ano.
    Feliz Natal e Próspero Ano Novo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  29. Oieeee...voltei!!
    Eu calar?...difícil demais!!
    Sou muito falante e adoro dividir minhas alegrias e também algumas dificuldades com minha família e alguns amigos especiais!!
    Porém...sei me calar...sei ouvir,pois "mandar calar a boca" é só para aqueles que são egoístas e acham que só eles tem "vida"!!
    Mas você por favor...não se cale tá?? Adoro te ouvir mesmo que seja através dos teclados!! rsrs!!
    Bjkas de sua amiga Coruja!!

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.