quarta-feira, 17 de outubro de 2012

ROUBOU, MAS NÃO CARREGOU.

         Uma bofetada estalou na cara de Vera que não resistindo a tamanha agressividade caiu aos pés da antiga amiga sujando a roupa, ferindo a alma. Marcelo era legal.  Terceirizado de uma banca de jornal cujo emprego o permitira conhecer as pessoas do bairro que o respeitavam e o admiravam pelo seu comportamento e empenho no trabalho. Há cerca de três meses admitiu que fosse amigo de uma das freguesas cuja intimidade permitiu-lhe confidências e aos poucos alguns abraços. Mais tarde vieram as conversas mais relaxadas até que os beijos não tardaram, e por fim a cama. Pensavam se casar assim que ele terminasse os dois últimos períodos de jornalismo que cursava.        Carmem era possessiva, mas respeitava os caras com quem ficava e a eles pedia o mesmo sentimento. Marcelo, por sua vez, não deixava de ser simpático e gentil com todos, mas Vera, petulante como era, mal ficou sabendo que sua amiga namorava o jornaleiro fez de tudo para roubar dele a atenção e os carinhos e dela, o namorado.  Depois de muito insistir, combinaram  um encontro para um papo despretensioso num horário vago   entre o trabalho  e a primeira aula que teria.  Achando que mal nenhum havia  no que fariam os dois se encontraram na praça de alimentação do shopping da cidade aonde conversaram entre um chope e outro.  Vera prestava atenção no que Marcelo falava, mas como o barulho era alto e dele não queria perder uma só de suas palavras, praticamente se deitou no seu ombro enquanto segurava a sua mão entre as pernas do rapaz. Por descuido ou por maldade, Vera, suavemente tocou-lhe os lábios com um dos dedos e o beijo logo depois. Como Marcelo demonstrou espanto e tentasse se levantar para ir embora, algumas pessoas ligadas a sua namorada se apressaram em  colocá-la a par dos acontecimentos. Carmem, indignada e cheia de ódio procurou pela falsa amiga e a esbofeteou na frente de todos enquanto gritava a traição por ela sofrida.
Hoje, seis meses do fato ocorrido, Vera recebe o convite de casamento da antiga amiga com o homem a quem ela pretendia se entregar para afrontar a outra.
    Escondida na multidão que tomou o salão da igreja Vera viu que Carmem a procurava entre todos, mas nunca ficou sabendo se era para receber das mãos da noiva o buquê ou se era para vê-la sorrindo o sorriso dos justiçados pela  própria coragem de defender o que é seu, sem, ao menos, se dar conta do estrago que poderia fazer.                                                (Foto da Internet)

43 comentários:

  1. Dejo mis saludos azules desde mi playa que lo espera...

    ResponderExcluir
  2. ...por entender que ngm é de
    ngm, nem mesmo com papel
    passado, taí uma coisa
    que eu jamais faria.

    brigar por conta de namorado?

    e este Marcelo tbm não era
    flor que se cheire...rs

    se ele já era compromissado,
    por quê aceitou o convite
    da outra?


    e agora, mesmo casados,
    será que a Carmem confiará
    de verdade no marido?

    owwwwwwwwww dúvida cruel!!!

    rsrs

    bjinhos, querido!

    ResponderExcluir
  3. Carmem foi corajosa em casar.
    Será que casou por amor mesmo, ou p provar p "amiga" que era com ela (carmem) q ele iria ficar??

    E a confiança??

    É, tem coisas q realmente não dá p entender...rs

    Beijos meus

    ResponderExcluir
  4. Não sei onde a confiança vai entrar nessa relação...
    Não teve um bom começo!
    Tomara que dê para passar uma borracha em cima e começar do zero!
    Adorei sua visita!
    Abraços!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Se não chego aqui é porque não recebo suas atualizações no meu blog. A minha atitude de mulher traída seria de vingança: deixaria correr solto esse rolinho da amiga com o seu namorado e no dia do casamento, lotado, na hora que o padre perguntasse se queria casar-se com ele, responderia: Não. Desceria as escadas do altar como uma princesa, jogaria o buquê do azar para trás e iria procurar outro homem para amar, pois quem trai uma vez é um fraco, ou um bobo e depois de vê-lo por muito tempo rastejá-lo aos meus pés o enlace aconteceria. Eu sou mineira, um gênio do cão; como diz meu marido.rsrs
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  6. Empolgante!! Resta saber se foi por amor, ou por despeito, o casamento! Há muitas Veras por aí, dispostas a envenenar a felicidade alheia!

    Lindo dia pra você, Sílvio!!
    Beijinhos!!♥

    ResponderExcluir
  7. ...a vida tem, retas, curvas e alguns becos sem saída... e o amor também... nem todos tem coragem de virar e procurar outro caminho...
    Temos a vida inteira para conduzir, de preferencia sem atropelar ou matar alguém...
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. hhehehe Olá amigo Sivio.Extra matéria.Não entendi sua mensagem versada para mim.Você preste atenção,pois estou te seguindo sim..Vim como Vassourinha de Capim,onde me visitou...e também sou do Jardim do Amor..onde não me visitou.Olhe por lá.Valeu @-Flor*

    ResponderExcluir
  9. Bom dia aee!!!
    Como prefere:
    Texto atualíssimo e pespectiva
    por quatro ângulos.Ótimo.

    Como prefiro:
    Seu texto aqui
    é sem dúvida parte do folhetim
    da Vida como ela É.
    Cada um age com as armas que tem
    e a caravana passa e quem sabe
    faz a hora.

    Linda quarta e beijos aos três que amo.

    ResponderExcluir
  10. obrigada pela visita e pelas palavras.

    Tá rolando sorteio no blog venha participar.

    ResponderExcluir
  11. O que começa errado, dá errado. Um casamento sem confiança e sem respeito vai precisar de muita manobra para ter um desfecho feliz.

    Uma boa história,

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. bela-yohana@hotmail.com17 de outubro de 2012 11:19

    JÁ TIVE TANTAS OPINIÕES SOBRE TRAIÇÃO!MÁS COMO TENHO VISTO UM MUNDO DE PESSOAS INSATISFEITAS E VIVENDO POR VIVER.NO FINAL DEPENDENDO DA SITUAÇÃO NEM CHEGA A SER TRAIÇÃO ALGUNS RELACIONAMENTOS JÁ ACABARAM E AINDA ESTÃO JUNTOS POR CONVENIÊNCIA.MAS NO CASO DO MARCELO,ELE É REALMENTE UM CARA PAU!PORQUE ELE ERA LIVRE PARA ESCOLHER,NÃO TINHA OS ANOS DE UM CASAMENTO QUE MUITAS VEZES TE MANTEM ALI MESMO TRAINDO,PELO FATO DE TER MUITAS COISAS EM JOGO.O MARCELO ,PODERIA VER QUAL DAS DUAS O COMPLETAVA MAIS.E AS MULHERES TAMBÉM,AO VER A TRAIÇÃO ,NO MINIMO ENXERGAR QUE SE JÁ ESTAVA ERRANDO ANTES DE CASAR,DEPOIS QUE O TEMPO DESGASTASSE ENTÃO,COMO SERIA?ESTA É A VIDA COMPLICADA!TENHO UMA AMIGA QUE ESTAVA COM UM CARA DIZENDO QUE TERMINOU O NAMORO PARA FICAR COM ELA.AGORA VAI CASAR COM A OUTRA A EX,MINHA AMIGA TA SOFRENDO HORRORES E AINDA DEFENDI O POBRE,ACHANDO QUE A OUTRA TA PRESSIONANDO ELE.E VAI FALAR COM ELA QUALQUER COISA! ELA FICA TODA AGITADA,ENTÃO COMO VCS VEEM NINGUÉM É INOCENTE!BEIJOS POETA!

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Confiança? onde vai achar depois de tudo? relação complicada,mas gostei e muito.
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Querido Silvio; cada um reage de uma maneira e também depende muito do momento.
    De qualquer forma, creio que Carmem, apesar de tudo, enfrentou e decidiu prosseguir. O que acho normal.
    Todos cometemos alguns deslizes, ou erros mesmo, portanto, precisamos aprender a perdoar.
    Bela história! Beijos

    ResponderExcluir
  17. Querido Silvio; a vida anda cheia de Veras e Carmens. Muitas história senão iguais, parecidas.
    O bom de tudo foi Carmem ter superado e perdoado. Vera por sua vez deve ter aprendido a lição.
    Se Carmem tivesse decidido terminar, simplesmente entregaria Marcelo de mãos beijadas. E por um motivo bobo.
    Quem não comete uns deslizes na vida, ainda que não tenha ido as vias de fato? Num olhar, num desejo íntimo?
    Belo post! Beijos

    ResponderExcluir
  18. Retribuindo a visita e quero parabeniza-lo pelo seu blog.
    Tenha uma ótima tarde.
    Valdete Cantú

    ResponderExcluir
  19. É sempre muito bom vir ler seus textos.



    Uma ótima tarde.

    ResponderExcluir
  20. Es un gusto visitar a leer tus textos aunque estoy aprendiendo de a poco a entender tu lengua. Obrigado.

    ResponderExcluir
  21. É complicado,mas sempre me atenho aos antigos ditados,quem procura acha,,,
    Jamais iria convidar a outra...Sucesso.Bjus\Flor*

    ResponderExcluir
  22. O que é do homem o bicho não come...Parabens pela determinação da garota em lutar pelo homem que ela ama...E a outra, coitada, prefiro nem comentar...rsrs
    Um conto do cotidiano que muitas vezes, termina com tudo ou em prantos!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  23. Vindo aqui aproveito para te convidar para apoiar juntamente comigo o OUTUBRO ROSA,incentivando as pessoas conhecidas a fazer o exame de mama, prevenindo do câncer que é responsável por 52.680 novos casos no Brasil neste ano!Quero que você esteja junto comigo nesta luta,apoiando esta causa. Vamos a cada dia plantar esta ideia na cabeça das pessoas...EU, do blog FOLHAS DE OUTONO,agradeço todo o apoio E comentário deixado lá em prol da minha nova postagem.Peço que ao passar leve uma mensagem de positividade.

    ResponderExcluir
  24. Obrigada pela visita.
    Acredito plenamente naquele velho ditado "confiança é igual virgindade, quando se perde não tem como voltar atrás"

    ResponderExcluir
  25. Olá!
    Adorei seu texto.
    Não vejo um relacionamente dando certo sem confiança. Mas... rs
    Beijinhos,
    http://fulanaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde!

    Muito obrigada pela presença no profetizando e parabéns pela estória criativa.

    Mas as vezes a gente se deixar roubar, concordas?

    Abraços

    ResponderExcluir
  27. Eu acho que não brigaria por homem nenhum nesse mundo. Mas a gente nunca sabe ao certo, né?

    Bem folgada a Vera, mereceu uns pescoções e ele também, pra deixar de ser tão "dado".

    Gostei daqui. Já havia gostado desde a primeira visita.

    Seja bem vindo por lá.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  28. Como há muitas Veras,muitas Carmens e muits Marias,Acho que as decisões seriam iguais.

    Obrigada pela visita.

    Carmen Lúcia

    ResponderExcluir
  29. Uau!Que história!Muito bem bolada e acontece de fato!Adorei!bjs e meu carinho,

    ResponderExcluir
  30. Olá amigo!
    Se você quer de outra forma . Tá.kkk
    Se eu fosse a mulher traída, e ainda pobre o mandaria para o inferno e, se rico daria uma sova nos dois em público, obrigaria ele se casar comigo em comunhão de bens e depois de um ano dava-lhe um chute...
    Quem gosta de chifre é boi!!
    Beijos
    Dorli

    ResponderExcluir
  31. (> " " <
    ( ='o'= )
    -(,,)-(,,)- Hola ya estoy de vuelta pase a saludarte.

    B E S I T O S

    ResponderExcluir
  32. É difícil julgar ...
    Marcelo deve ser bem interessante mas ñ justifica a atitude da Vera.
    Carmem é chata agressiva pois a bofetada foi por uma questão de Ego... Sei não "o mundo tá cheio de tentações e tal... "Que mal há em dar um beijinho (?...sem nenhuma maldade, e "coitada da Vera 'talvez estivesse precisando, sabe; tem certas fases q a mulher fica assim, com a libido à flor da pele.
    Enfim ele casou com quem queria, mas confiança hahaha ...
    Quem pode colocar a mão no fogo por alguém(?
    "amigas que já quiseram me ferrar, tive muitas.
    # he he "me enrolei toda!
    beijim

    ResponderExcluir
  33. retribuindo a visita , muito obrigada
    até mais

    ResponderExcluir
  34. Olá!!

    Retribuindo a visita!!

    Seja sempre bem vindo ao meu blog!

    Desi
    http://crochedadesi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  35. Meu amigo,
    Absorvo cada frase do contexto de intrigas emocionais que aqui lanças para nosso deleite e julgamento. Esses amores triangulares são uma praga na vida moderna. Sou da antiga, não admito traições.

    Silvio, um ótimo final de semana!!!!

    ResponderExcluir
  36. Oi Sílvio,
    E tem gente que vem mesmo pra fazer o mal,que bom que nesse caso o bem reinou.
    um ótimo final de semana,=)

    ResponderExcluir
  37. Ciúmes e sentimentos de possessão...
    O autor só nos dá o início da história, e eu imagino a continuação. Relação que tem fundação na areia não resiste às ondas da vida...
    Gostei deste texto!

    ResponderExcluir
  38. Gostei muito do seu comentário
    no meu blogue. E gostei do texto
    deste seu post. Pois ninguém é de
    ninguém, só transitoriamente.
    Um grande beijinho
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  39. Essas coisas acho meio complexas, porém, quando há traições, é pq a relação já está meio desgatada.
    Abraços e um bom sábado.

    ResponderExcluir
  40. Oi Sílvio, infelizmente há muitas Veras por aí mas a vida continua...
    Tenha um ótimo fds, abraços.

    ResponderExcluir
  41. Temos uma vida inteira para que tudo aconteça.
    Com tantos e bons comentários, resta-me dizer que entre marido e mulher, não metas a colher.
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  42. Não sei, cada um enfrenta situações de diversas formas.Sou da opinião que não se perde o que é nosso. Barraco não faz meu tipo, nem por amor a alguém.Este casamento já começa trazendo no bojo a sombra da desconfiança.
    Veja poeta, escrevestes teu texto com tanta propriedade, e de um assunto tão real que já foi motivo de muitos comentários e cada qual com opiniões diversas.Parabéns!Bjs desta especial admiradora Eloah

    ResponderExcluir
  43. Palhaço Poeta...tu inocentastes o namorado de Carmem...mas tu sabes como eu também que ele estava adorando o "cerco" da Vera!!!!
    Mas para ele o amor verdadeiro era a porreta da Carmem...ksksksksks...
    E ela lá no fundo de seu coração sabia que Vera a estava espreitando no dia de seu casamento...rsrsrsrsrs...

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.