quarta-feira, 29 de agosto de 2012

RUIM QUANDO NOVO. PIOR AO ENVELHECER...


      Era difícil a vida de quem tinha três filhos pequenos, sem marido e por não poder contar com ajuda dos pais, arriscou, aceitou o convite de uma tia e com ela foi morar  no Rio de Janeiro. A vida provou que a felicidade não era para todos, mas para aqueles que fizessem por onde. Antes de um mês que se arrastava para passar, eis que um jovem senhor, vinte anos mais velho, não resistindo aos encantos da mulher com olhar de anjo a pediu em casamento. A data foi marcada e o pano de fundo, antes negro e mudo, tornou-se um céu azul de brigadeiro num coral de anjos e passarinhos.    Aquele homem era muito mais homem do que o seu porte atlético demonstrava. Era trabalhador e trazia no peito um amor de dimensão tão grandiosa pela  primeira e única mulher de sua vida que nem os filhos, assim como os problemas naturais do casamento puderam confundir. Ela era do interior do Estado e ele de uma das maiores cidades do País.
     O respeito, a dignidade e a divisão de tarefas eram superiores ao ciúme que ela por ele pudesse ter. 
     O dia a dia do casal era trabalho. Ela em casa na educação dos filhos e na lida do lar e ele na empreiteira em busca do pão de todos os dias. Aos trancos e empurrões os dois formaram a garotada.  Uma parte, de professores, enquanto a outra optava pelas artes plásticas.
     O tempo continuou passando e na bagagem levou a juventude do marido e o liso do rosto da mulher. Em troca deixou o cansaço para um e rugas de vidas conturbadas nas faces do outro. Na janela, como que esperando rejuvenescer ou a morte,  ela vê passar os dias. Tem saudade da algazarra das crianças, de correr para cuidar da janta e se arrumar para o marido. Saudade dos risos, que mesmo poucos, eram verdadeiros. Do feijão com arroz, do pão, muitas vezes sem manteiga e da vontade enorme de pegar seu marido pela mão e como adolescente se esconder para namorar...

24 comentários:

  1. Que delícia,
    acordar para o dia de trabalho duro
    e ter seu texto como
    ponto de partida.
    Tenho aprendido que o melhor é viver.
    Pois somente lá depois de cada horizonte
    é que a história sera contada
    com as cores vividas,
    como você eu e outros
    bons escritores o sabem fazer.
    A vida é um livro aberto a cada amanhecer.
    Adormecidos ao lado de nosso amores
    apenas sacramentamos o que ja presenciamos.
    As vezes protagonistas.
    Outras coadjuvantes e ainda
    outras expectadores.
    O importa é que sempre atentos como a personagem do texto.
    Atentos para abraçar a cada novo
    momento , pois a Vida é Bela Sim, pois como voce diz somos nós os detentores da caixa que conte as cores, cabendo a nós o uso das mesma e eu tenho escolhido as cores quentes como o laranja, quase sempre.
    Bjins e linda quarta para nós.

    ResponderExcluir
  2. Lindíssimo seu texto, cheio de sentimentos, saudades, encantos...no fundo cada um de nós traz em sua história, saudades do que se passou, dos momentos que tanto marcaram e deixaram rugas pelo rosto e marcas, no coração.
    Beijos, feliz dia, amigo,
    Valéria

    ResponderExcluir
  3. Uma história nem melhor nem pior do que tantas outras que vemos por aí, mas que nos mostra que viver é a parte boa...Mas contada com talento e graça!
    Gosto muito de ler suas historias!
    Um abraço e lindo dia!
    Ivany

    ResponderExcluir
  4. Oh, que texto bonito... que delicadeza e quanta sabedoria... que lição nos traz...
    E a vida é assim mesmo, temos que aprender com ela...

    Sempre bom vir te ler...

    Beijos com carinho, amigo Poeta Palhaço, adoro esse nome...!

    ResponderExcluir
  5. Pelo motivo que as coisas se transformam com o passar do tempo, o que temos que fazer é viver. E viver intensamente, inclusive as transformações e aproveitar o máximo possível de tudo, porque um dia elas se transformam. O importante é viver!

    Beijocas, Palhaço Poeta!

    ResponderExcluir
  6. Ó nós aqui outra vez, Sílvio!
    Passei por uma brechinha no tempo e aqui estou só para me embevecer com a história desse casal. Aliás, com essa verdadeira história de amor.
    Adoro o teu escrever!!!!Bjsssss

    ResponderExcluir
  7. Boa noite Silvio...Naturalidade é a palavra certa para descrever seu post., ternura e sentimentos de uma mulher que amou demais o homem que um dia se encantou com seus olhos, uma guerreira que na lida do dia a dia, soube amar e fazer-se amada...O tempo passou, ela agora em tuas lembranças sente saudades mas leva no peito a humildade, sinceridade e a vontade de viver sempre, mesmo que seja somente com as recordações...Adorei! Um texto sincero, puro e cheirando a VIDA vivida com dignidade! Parabens!
    Abraços carinhosos

    ResponderExcluir
  8. Pois é Silvio; a idade chega e vamos vivendo de lembranças... mas assim é a vida. São os sonhos que se desfazem, os filhos que tomam seus próprios rumos e da janela descortinamos o passado, encaramos o presente, tentando não pensar no futuro que se desenha com traços cada vez mais fortes.
    Lindo e melancólico!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Que lindo texto; as coisas simples da vida, fazem a felicidade do ser humano.
    Uma otima tarde.

    ResponderExcluir
  10. Envelhecemos, mas não envilecemos. Essa frase ficou marcada em mim como um princípio de vida. Formar uma família não é nada fácil e mesmo sem manteiga no pão, basta-nos o pão do carinho e do respeito mútuo.
    Esse meu amigo Sílvio é bom demais!(risos)

    Boa noite, boa noite, boa noiteeee!!!!

    ResponderExcluir
  11. Que texto lindo e emocionante!

    O importante é viver, termos histórias para contar.

    Parabéns e bom fim semana!

    ResponderExcluir
  12. Sim casaria com um homem que tivesse um filho de outro casamento. Quando se ama, um filho nunca é um problema.

    ResponderExcluir
  13. Olá Silvio, como é bom quando as pessoas não desistem da gente.

    Que grata surpresa conhecer seu blog.

    Li algumas coisas, me emocionei, encontrei umas respostas para alguns questionamentos ...

    Obrigada, já estou te seguindo :)

    ResponderExcluir
  14. Olá, parabéns pelo seu blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  15. É com isso que me preocupo. Tento fazer um presente bom pra ter coisas legais pra lembrar no futuro! Lindo texto. Adorei!

    ResponderExcluir
  16. Enfim; é a caminhada da vida. É a brincadeira inocente, o aprender a viver, os sonhos adolescentes, as realizações e as lembranças do passado...
    Mas enquanto não chegamos nessa fase, vamos vivendo em Completude...
    Bom fim de semana! Beijos

    ResponderExcluir
  17. ¡Gracias por pasarte por mi blog! Muy interesante tus post. Cariños Lou

    ResponderExcluir
  18. Olá Silvio!
    Vim ler seu texto e desejar um ótimo final de semana.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  19. Siempre son muy interesantes tus historias de vida, un placer leerte.
    te dejo un abrazo y te deseo un hermoso fin de semana!!

    ResponderExcluir
  20. Olá!Boa noite!
    Tudo bem por aqui?
    Silvio!
    Belíssimo texto! Contado de forma sublime o pequeno recorte da imensidão do que significa amar, desta sensação de ter o outro/a outra como parte, quase uma extensão, sem medida, sem contornos e sem limite de si mesmo...apesar de todos os altos e baixos da vida, no longo da vida, seja pelos percalços naturais ou desvios de foco...
    Obrigado pelo carinho da visita!
    Bom final de semana!
    Abraços

    ResponderExcluir
  21. ...kkkk... amigo poeta... o bom mesmo é darmos valor a todas as fases da vida... o que pode demorar, e em alguns casos ser tarde demais ou nunca mais...kkk

    Isso é aprendizado de vida.
    Amanhã então né?? Curiosa estou!!

    Bjos

    ResponderExcluir
  22. Querido Silvio, que bom ter você comigo, precisamos uns dos outros, não somo sozinhos, ou sozinhos não somos nada. Estou com voc~e, sigo seus blogs, espaços importantes. Um enorme abraço!!!!!!!!!!!
    Eliane


    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.