segunda-feira, 20 de agosto de 2012

PERDER PARA PODER GANHAR.

      Luiz, meu amigo, tem um cunhado que vive 
reclamando da esposa, sua irmã.   Com pouco tempo de namoro resolveram morar juntos, ele,  a mulher e o filho,   
fruto de um casamento que não deu certo.  No 
decorrer da vida conjugal o cunhado de Luiz
passou a reclamar da mulher. Sempre que ele comentava alguma 
coisa referente ao comportamento do filho,   
a mãe, irmã de Luiz, saía em defesa da cria.  Dificilmente ela não tinha uma palavra que justificasse 
os mandos 
da criança. O tempo passou e com ele levou a 
paciência de quem, no lugar de pai, 
sentia que 
sua voz soava fraca e sem motivação para 
educar o enteado.  Certa vez Luiz 
tentou desculpar a  irmã mesmo sabendo que 
a interferência dela na repreensão que o 
marido fazia ao filho, em nada ajudava na formação do caráter e do 
respeito.  
Sabemos todos  que essa é uma atitude inconsciente de proteção ao ente que se ama.  
           O tempo que havia passado seguiu  seu curso e o filho, antes enteado, agora faz parte do corpo docente que leciona  psicologia na PUC de S. Paulo. 
Luiz, que já tinha passado por experiência parecida em nenhuma ocasião, quando solicitado, deixou de dar apoio e incentivo ao casal. Talvez por isso tenha  sido o nome do meu amigo Luiz  o primeiro na lista dos padrinhos de casamento do professor. 
O casal segue a sua vida endeusando o filho que por sua vez agradece a Deus pelos cuidados da mãe na escolha do companheiro que  dignou-se ajudá-la na criação e formação do belo profissional que se tornou. 

54 comentários:

  1. Bom dia Palhaço Poeta querido.
    Sabe essa texto tem muito de muitos casos reais.
    O amigo do meu marido,aquele
    que tem por time o mesmo que ele, não teve a sorte do casal que seu texto
    brilhantemente expõe.
    O primeiro casamento dele com uma moça mais velha alguns anos, tinha tudo para dar certo,
    mas ela não aceitava nenhuma sugestão ou intereferência na educação do filho da Moça,ele tentou suportar dos 8 aos 11 anos do menino.
    Não conseguindo apesar de amar a esposa não quis estar como intruso e sendo ele mais jovem que ela, era complicado disputar autoridade com um outro ainda menino e que desejava ter como seu tambem.
    Conclusão: desfizeram um casamento que tinha tudo para dar certo, ela envergonhada aceitou vender a parte do apartamento que juntos haviam comprado e é onde hoje ele depois de recasar-se mora dessa vez com jovem vinda do interior do pais e uns 20 anos mais jovem que ele. Só que dessa vez (ele) tenta que tenham o próprio filho e de tudo der errado, acredite dessa vez ele não terá do imóvel a parte que lhe cabe.
    Seu texto apesar de fictício, tem tudo de real, não é?

    Bela segunda pra vocês que amamos aqui.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. interessantíssimo....
    nunca tinha olhado por esse ângulo..

    bjs.Sol

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante a história! Viver e dividir a vida é um eterno aprendizado!

    ResponderExcluir
  4. Essas coisas acontecem e há que ter jeitinho pra tudo se acomodar...abraços, linda semana!chica

    ResponderExcluir
  5. olá :)
    nunca tinha visto as coisas dessa forma, mas se sentisse um enorme amor pela pessoa, sim, casaria.
    beijinhos*

    ResponderExcluir
  6. Olá palhaço poeta.

    Agradeço a tua visita, o teu comentário e também agradeço por seguires o meu blog.

    Porém, gostava que tivesses falado de alguma coisa que eu tenha escrito...

    Quanto à questão que me colocaste no blog: "Você se casaria com alguém que tivesse um filho do primeiro casamento?", a minha resposta foi sim, mesmo antes de entrar no blog e ler o teu texto.

    Na minha opinião, no meu sentir, quando amamos verdadeiramente, amamos essa pessoa no seu conjunto, assim como a sua semente. Por vezes, é complicado e quando assim é, porque Deus nos está a testar. Isto é positivo, porque faz com que tenhamos consciência do sentido da vida, mais responsabilidade e maturidade.

    É engraçado, porque de momento estou a viver uma situação semelhante e tenho pensado muito nisto.

    A resposta é SIM, casarei e assumirei a responsabilidade por Amor. Darei o meu melhor.

    Porquê?

    Porque é esta vida que eu quero viver, porque este é meu Grande Amor.

    Voltando ao texto e à realidade, gostei. Para tudo há uma solução e um final feliz.

    Abraços,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    P. S. - Estou a seguir o teu blog.

    ResponderExcluir
  7. Muito obrigada pelo seu comentário no meu blogue.

    História muito interessante!

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Caramba! Um assunto que eu nem sei o que dizer...Não tive esse problema e não conheço quem tenha passado por isso. Tenho muito poucos amigos. Sou um ermitão...
    Uma semana feliz pra ti guri!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Caramba que história eim...adorei seu blog, acabei lendo coisas que mexeu comigo.
    Agradeço a visita e convido você e seus leitores a voltarem sempre e seguir o blog se puder.
    Sucesso.
    http://gabyperes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Adorei a história, interessante!!!
    Bom.. Eu casaria sim com alguém que tivesse um filho de um outro casamento, até pq.. eu tenho 3..
    E ai??? será que alguém casaria comigo com 3 filhos do primeiro casamento???
    Graças a Deus sou muito feliz com meu marido (pai dos 3) assim não preciso me preocupar com isso!!

    beijos e obrigada pela visita, seja sempre muito bem vindo!

    Cris Avolio
    Blog Cris Avolio

    ResponderExcluir
  11. Uma história neste teatro da vida!

    ResponderExcluir
  12. Obrigado pelo comentário :)
    Sim, se fosse comigo eu estaria lado a lado com a pessoa na mesma, desde que a amasse :)

    ResponderExcluir
  13. Honestamente, não sei. Não pela pessoa ter ou não filhos (faz parte da história da pessoa), mas não sei se eu casaria hoje com alguém com ou sem filhos. Abraços

    ResponderExcluir
  14. Aqui estou meu amigo poeta.Acabei de ler teu belo texto.És um contador de causos fantástico.Tens um belo dom de nos envolver na leitura até o fim.Parabéns!
    Ótima semana.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  15. Bem meu amigo. Respondendo à sua perguntinha. Não, eu me casaria e não por causa do filho e sim pelo casamento. Tive uma péssima experiência com o dito "casamento" e nem amarrada alguém vai me fazer cair novamente neste erro. Um texto muito bem escrito e uma bela história. Uma excelente semana
    Um fraternal abraço
    Gracita

    ResponderExcluir
  16. Olá guri, que texto comovente, pensei que o menino tinha se perdido na vida e me surpreendeu. Este texto narra a vida real?
    Tenha um ótimo início de semana.

    ResponderExcluir
  17. Boa noite Silvio, o Amor tem dessas coisas, as vezes, as familias se unem por laços afetivos que são muito mais fortes do que o laço de sangue, biológico. Mas muitas vezes, se torna complicado um filho ou filha, aceitar um padrasto ou madrasta e vice-versa...Mas é ai que entra o Amor, se forte, ultrapassará todos os obstáculos e conseguirão se ajeitar uns com os outros. Familia não devia ser pai, mae e filhos, devia ser qualquer um que nos Ame e nos quer por perto, seria mais facil assim, entrarmos em um novo relacionamento...Não sei se fui explicita nas minhas palavras, mas é o que penso, sinto!
    Um texto bem escrito, nos deixando na duvida, se real ou ficticio...Abraços!

    ResponderExcluir
  18. Una hermosa historia de vida, ser padres del corazón tiene tanto valor como ser padre de sangre.
    Un placer leerte, abrazos miles.
    Buen comienzo de semana.

    ResponderExcluir
  19. Com muito amor se consegue tudo!
    Obrigada pela partilha.

    ***
    Um abraço da França****

    ResponderExcluir
  20. Bom dia querido Silvio.Muito bom te ler, também tenho em minha familia historias parecidas como esta acima.
    Ler seu comentário, arrancou de mim as 7 e pouco da manhã, a primeira gargalhada e como sou conhecido pelo riso fácil, sei que dessa primeira virão muitas outras no decorrer do dia, se nao vier me lembrarei de seu comentário srsrsrrs
    bj querido e um lindo dia por ai
    Valeria

    ResponderExcluir
  21. Super digno isso!
    Relato bacana!
    Abs
    RITA
    www.olharesedetalhes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Que palavras belas deixaste em meu blog!!!
    Hoje postei fotos novas de uma igreja aqui do interior do Paraná, onde meu pai foi batizado!
    Qd puder, dá uma conferida.
    Abs
    RITA
    www.olharesedetalhes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. muito obrigada e sim casaria. beijinhos :)

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Vim visitar seu cantinho novamente.

    Abração e ótima semana.

    ResponderExcluir
  25. Casaria sim, e como adoro finais felizes, meus aplausos para esse! Obrigada pela visita é sempre uma honra recebê-lo! Um abraço carinhoso da amiga Ivany-Van

    ResponderExcluir
  26. Boa noite Silvio, muito obrigada pela visita! Quanto a pergunta...sim...o que vale é o amor! Linda história (ou estória?) ...Seja sempre muito feliz! Um abraço!

    ResponderExcluir
  27. Olá Silvio querido


    Relacionamentos são sempre complicados...

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  28. Olá Amigo Palhaço Poeta!
    Respondendo a sua pergunta: Eu já estou casada, mas, acredito que se surgisse um amor assim acompanhado de um filho, eu levaria em consideração o amor e me casaria sim.
    Com amor, respeito,compreensão e companheirismo tudo vai bem e termina como essa história que você bem contou, com final feliz.
    Em tudo que fores decidir na vida, peça orientação ao teu criador e tudo te irá muito bem!
    Beijo
    Li Barbosa

    OBs: Tenho um selinho novo, link-me para o seu blog.

    ResponderExcluir
  29. Familia é a melhor coisa que existe mas tb é Complicada. Cada atitude requer reflexão.
    Mas vai levando né? Pior é ficar sem ela!!!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  30. Olá, mas que história hein! sempre dá uns probleminhas com enteados, eles nunca querem obedecer por não ser filho legítimo, mas faz parte.. adorei seu blog e já estou ti seguindo

    tenha uma ótima semana
    beijoos
    http://canalfofys.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Querido Poeta e amigo, Silvio!
    Esses casos de família, em geral, são complicados. Contudo, aqui, você sabe tratá-los muito bem, e acabam por ficarem descomplicados. Melhor para nós!
    Beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  32. Famílias, mas cada uma a seu modo são muito bonitas de se ver e de se contar...

    Me perdoe só vir conhecê-lo agora, mas estive com febre e acamada e só agora melhorei, nem fiz post novo ainda no blog. Mas vim lhe conhecer e foi um imenso prazer, palhaço poeta!!
    Espero nos encontrarmos novamente! um abraço fraterno!!!

    ps.: amanhã irei te ver no outro blog, pode esperar!

    ResponderExcluir
  33. "A vida como ela é"
    Abraço meu querido amigo de sempre.

    ResponderExcluir
  34. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  35. Educar, sejam os filhos do casal, ou não, é uma arte que precisa de exercício diário. Felizes eles, que podem comemorar a vitória do filho, para a qual, com altos e baixos, contribuíram. Bjs.

    ResponderExcluir
  36. Bom dia, Poeta!
    Olha, eu gostaria de lembrar a você que o nosso blog Vanuza/Obra Literária também está sentindo a sua falta, ou você não curte um escurinho do cinema? Hummmm, aposto que sim.

    Passo depois no seu outro espaço, pode deixar.

    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  37. Palhaço Poeta, este texto reflete a vida de muitas pessoas que "conheço" e outra que estou em processo de conhecimento, como eu! Algumas dão certo, mas a maioria naufraga - o que é uma pena!
    É muito difícil manter o equilíbrio na vida a dois quando os filhos são dos dois, mas ficar ainda mais difícil quando são enteados.

    Adorei seu espaço e vou ficar! Sigo-te! Quando quiser, venha me visitar!

    Meu carinho!
    http://pequenocaminho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  38. Olá, gostei demais do seu blog, esse é bem legal. E estou seguindo!
    Muito bom texto!

    Beijos XD

    ResponderExcluir
  39. Olá Silvio Afonso!

    Recebi um comentário seu no meu blog Falanakara:

    http://falanakara.blogspot.com.br/

    Gostaria de saber quem o indicou, quase não posto lá.

    Abraços

    ResponderExcluir
  40. Olá Sílvio, venho agradecer a sua visita à Turista e conhecer o seu blog. :)

    ResponderExcluir
  41. Tenho uma madrasta muito bacana hoje em dia somos grandes amigos e ela é mais nova que eu, nesse caso deu certo para o meu pai, gostei da historia.

    ResponderExcluir
  42. Olá poe ta,
    muito lindo teu blog, teus textos,
    já estou aqui há um bom tempo,
    espero te aqui também.
    Um final de semana maravilhoso!
    Beijos
    Eu! Leilinha

    ResponderExcluir
  43. Olá amigo um texto muito actual e uma grande lição de vida. Adorei. Beijos com carinho

    ResponderExcluir
  44. Passei para deixar um grande beijo e desejar que seu final de semana seja muito especial, cheio de amor e alegrias.

    Ani

    http://cristalssp.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  45. Que bonito, tem pai postiço que é
    melhor que o pai verdadeiro
    Esse foi um orgulho..
    Parabéns pelo belo texto
    Abraços com carinho
    Rita!!!!

    Bom final de semana!!

    ResponderExcluir
  46. Oi, amigo querido!!

    Passei pra te convidar a apreciar o novo post que fiz, um texto escrito por mim.

    Te espero por lá!!

    Um abraço, poeta, com carinho!

    ResponderExcluir
  47. Nossa...adorei o texto, você escreve muito bem.
    Realmente é uma lição de vida.
    Beijos.

    www.esmaltesdadeiia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  48. Não só na história, mas também na realidade perder é conquistar novas possibilidades, novos caminhos, mais compensadores do que aqueles antes trilhados. Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  49. Oi querido amigo! Vim te desejar um domingo feliz com tua família e bom descanso. Beijos!

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.