quarta-feira, 4 de julho de 2012

SEM REMO e SEM DIREÇÃO.


     
                 O azul do céu e a verde cor do mar confundiam-lhe a vista numa linha reta no infinito, mas isso não importava no momento.  A preocupação era com a volta à casa depois de tantos anos e tão importante quanto o barco rasgando as águas no gemido rouco do motor.  Seus olhos, os pensamentos e o casco do barco avançavam na intenção da praia batendo as ondas de um passado não tão remoto, mas triste por ter dito adeus a quem não esperava.  Caminho encrespado, ondulado, salpicando lágrimas de maresia.  Horas de sol na cara, onda entortando a proa aspergindo água pra cada  lado. Peito apertado sem saber se ela o receberia. Vestido branco, fino, solto sobre a pele amorenada de sol. Pés descalços chutando marolas, correndo na areia. Cabelo solto aos beijos do vento, lembrança que não sai do pensamento. Saudade do toque, do abraço sem jeito, do beijo molhado, da falta de vergonha e do respeito. Do sorriso escachado, das safadezas no leito.
          - Duas horas sem ouvir o canto das gaivotas.  Só o barulho do motor empurrando o vento. No jardim da casa, antes, muitas flores brancas e na entrada uma leva de rosas amarelas.  Hoje, sem cor, desbotada, morta. Borboletas pintadas numa tela era como se pensava ver a natureza; uma linda aquarela. Voavam numa rota estranha em torno do corpo dela. Trazia na testa a segurar-lhe os cabelos negros uma fita amarrada, como donzela.  Braços cruzados, debruçada na janela olhos perdidos no infinito do azul do mar, talvez, a sua espera.        
            Um  grito, um tiro, correria. Num sobressalto vazou de onde se estendia e na cidade o silêncio.  Nada se movia.  Só a tevê no último volume que um filme de bangue-bangue exibia. Não fosse esse pequeno impasse, com certeza, ele dormia.

27 comentários:

  1. ...quantas vezes queremos
    voltar ao lugar do qual
    jamais deveríamos
    ter partido...

    bj, meu poeta!

    ResponderExcluir
  2. preciso por uma fita no cabelo e voltar pra casa..

    saudadeeee!

    bjs.Sol

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Silvio.
    "E perdido em pensamentos
    ou sonhos, o poeta entra em
    transe, fica estático por um
    bom tempo. Imagina como seria
    se a tal moça, saisse da janela
    e viesse a ter contigo. Sonhos que o poeta saberia como decifrar se
    estivesse diante de tua amada. Versos desenhados com palavras, remetendo o poeta as tuas lembrança, sempre muito bem guardadas...Quiçá a sete chaves...Segredos de tua amada!"

    Adorei seu post., me encantei e me empolguei...rsrs. Adoro!!
    Abraços carinhosos.

    ResponderExcluir
  4. Que lingar lindo!!!
    tenha um dia radiante
    bjs
    juliana

    ResponderExcluir
  5. MUY NOSTÁLGICO SU TEXTO.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  6. a narrativa poética e o final surpreendente se destacam nos seus textos. Abçs.

    ResponderExcluir
  7. Oi, querido poeta!
    Beleza de prosa, beleza de espaço...
    Adoro tudo que fazes por aqui e agradeço-te pela gentil visita.
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  8. Oi Silvio, que lindo o seu poema!
    As vezes nós queremos ir a um lugar sem endereço e acabamos nos perdendo no meio do caminho.
    Tenha uma ótima semana, abraços.

    ResponderExcluir
  9. É sempre bom voltar às nossas raízes, rever os tempos passados...
    Abração, querido!

    ResponderExcluir
  10. Delícia é estar aqui, meu querido poeta. Delícia é navegar no seu mar.
    Boa noite, Sílvio!Bjsss

    ResponderExcluir
  11. Passando por aqui para te agradecer o presente do selo...e principalmente as palavras carinhosas dirigidas a mim...OBRIGADA!!!
    Esse blog é merecedor de tudo o que de bom existe nesse mundo virtual,pois é espetacular!
    Sinto um orgulho enorme de fazer parte dessa família tão linda!
    Mais uma vez OBRIGADA!!!

    ResponderExcluir
  12. Bom dia Palhaço Poeta.
    Seu texto me trouxe
    à mente os sete ou oito anos de uma menina que conheci faz tempo...
    moravam em Lídice, cidade pela qual passou com a familia na ultima sexta feira a passeio.
    La foi assim mesmo que aconteceu, só que ao invés do tiro foi um grito de menina que ao ver a mãe desmaiada em mais uma crise de excesso de alcool levada por uma enorme solidão, abandono e doença que a consumia. A menina acordara ao ouvir o barulho e o gemido antes da queda, eram + ou -três horas da manhã. Saiu porta à fora gritando como nos filmes- Socorro!Socorro! Lídice era na época um vilarejo composto por vila , igreja e pequeno comercio.A cidade acordou tão logo a praça gritando a menina cruzou, o casal de compadres amigo da família veio em socorro, a ambulância também chegou logo, foi triste para a menina a mais velha dos quatro irmãos ver a mãe ser retirada de casa desacordada, porém viva.Isso devido a força da pequena que do urinol de agate
    tirou mãe que certamente sufocaria com a face dentro do mesmo.
    Não deixou de pular para dentro da ambulância e junto ir.
    Na cidade de Angra foi que a mãe tece atendimento e logo a tardinha já rumaram de volta para Lídice...
    mas antes o enfermeiro parou em uma praia que parecia ter o nome de Praia Vermelha, não lembro co certeza. Ele disse que a menina precisa ver algo que dos olhos lhe tirassem a imagem do terror vivido.
    Foi assim que ela conheceu o Mar...
    era a primeira vez que molhava os pés nessa água encantada.
    A mãe, tentava esconder a vergonha.
    A filha, estava contente por ter a mãe viva, mesmo que isso fosse acontecer vezes outras.
    O motorista da ambulância e o enfermeiro tinham a missão cumprida,
    a menina já sorria.
    Voltaram os quatro para a pequena Lídice, porém a menina
    saiu dali definitivamente apaixonada pelo Mar e até hoje com ele tem sua uma relação de amor e vida.
    Lídice fica nesse endereço do link e foi passar por la outro dia, não mais menina.
    http://www.ferias.tur.br/informacoes/6959/lidice-rj.html
    Belo post cheio de nuances e detalhes rebuscados como é o traço de sua escrita,
    obrigada por me trazer esse fio de lembrança.
    Literariamente quem o lê se enriquece.
    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
  13. Olá Sílvio poeta muito lindo o seu texto!!

    abraços rose jp

    ResponderExcluir
  14. Ia esquecendo...
    pode me oferecer um selo...
    por favor?
    Ja o vi em tantos espaço que se permitir quero tambem no meu.
    Como faço para merecer ?

    ResponderExcluir
  15. Olá Palhaço Poeta!
    Venho conhecer o seu espaço, lindo esse seu texto, parabéns!
    Cheguei até aqui pela rede de amigos blogueiros, Sinval, Gracita, Cris Campos...
    Deixe um convite para que venha me visitar e conhecer meu trabalho, será uma honra receber sua visita e participação!
    Grande abraço!
    Li Barbosa
    www.autoralibarbosa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Bom dia!!!
    Vim agradecer a visita sempre carinhosa
    que vc faz ..parabenizar pela sua bela postagem
    sempre tão bonita e gratificante aos nossos olhos
    Nem sempre posso retribuir a visita, mas venho sempre
    que posso ver o que vc tem de mais bonito
    Que seu dia seja lindo
    Bjuss
    Rita!!!!!

    ResponderExcluir
  17. Olá Silvio. Vejo que é blogueiro veterano, eu sou blogueiro fez um ano em abril e gostei da sua prosa poética. Não sou adepto aos finais felizes, gosto de autores imprevisíveis.
    Pela sua narrativa, percebi que pode colaborar e muito com a Blogagem Coletiva, se quiser, basta deixar o banner aqui com o link direcionado ao meu post e, no dia 06 de julho postar algo sobre o tema Espiritualidade. Pode ser em prosa ou em versos, fica a critério do autor.
    Obrigado a visita nos Lisérgicos.

    http://escritoslisergicos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Depois se achar bom, passa no Só em Palavras e pega o Selo de 100 seguidores, dos quais você e seu blog são parte.
    Obrigada por fazer parte
    do sucesso que é o espaço em acessos e leitura.
    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Oi Silvio!
    Postei as fotos da quadrilha dos meus alunos, depois passa lá pra ver.
    Até mais.

    ResponderExcluir
  20. Bom dia.
    Quando achar o bem,
    passa n blog que postei fotos na matéria de ontem.
    Saudações literárias.

    ResponderExcluir
  21. Voltar é sempre bom, matar a saudade, rever. Gostei! bjs

    ResponderExcluir
  22. Oiiiii, meu mais recente amiguinho querido!
    Deixa comigo, Silvio, não vou mais te perder de vista, pois aqui encontrei "remo e direção".
    Chegando o final de semana, e que seja tranquilo e inspirador pra ti.
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  23. Prontinho meu amigo.
    Está lá! Depois passe para conferir e deixar seu comentário na página de selinhos.
    Até!

    ResponderExcluir
  24. Obrigada pela visita e comentário em meu blog. Seu blog é ótimo. Tenha uma boa noite.

    ResponderExcluir
  25. Olá Poeta:
    passei por vários motivos: Agradecer sua visita a meu blog, desejar-lhe bom fim de semana, e principalmente dizer que AMEI seu POEMA.
    Voltarei sempre para deliciar-me com seus textos e poemas.
    grande abraço.
    Léah

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.