quinta-feira, 12 de julho de 2012

A MORTE É BURRA.

        Desde menino eu chorei a morte dos meus parentes e amigos que com o passar do tempo foram nos deixando. Devo tanto aos meus avós e as minhas tias que tiveram suas vidas ceifadas pela ignorância da morte e por mais que eu orasse a Deus, não pago o bem que me quiseram. Hoje, infelizmente eu perco um dos meus melhores, senão o melhor de todos os  companheiros. Aquele com quem brinquei a vida inteira a qualquer hora do dia ou da noite sem que as minhas vontades por ele fossem  rejeitadas. Muitas vezes eu disse não ao seu convite para uma brincadeira fora de hora e só ele não se negava brincar comigo. A diferença de idade entre nós deveria ser um divisor de entendimento e compreensão, mas a isso eu dava de ombros para brincar até perder  o fôlego. Podia ser que eu tivesse tido melhores pais e melhores escolas, quanto a ele, não sei. É possível que tenha tido aquilo que fez por merecer inclusive a minha amizade que era uma via de mão dupla; eu o completava e ele me realizava, já que éramos exatamente iguais. Até carinho os meus pais faziam questão de dividir com a gente. Jamais recebi um agrado sem que Walter fosse lembrado; um doce, um sorriso ou uma palavra elogiosa acompanhada de um largo sorriso era com o que meu pai nos brindava quando voltava do trabalho.
     Dezessete anos de sorriso e festa. Nesse pequeno espaço de tempo tivemos mais alegrias que tristezas, mas de todas as dores essa foi a que mais fez doer meu peito.
- “Quando você achar que não vai suportar a ausência do amigo, vá ao seu túmulo e faça uma prece. Isso o ajudará a entender a mágica da vida e você se sentirá melhor, e, só não duvide se com isso você crescer, pois todos crescemos com os ganhos e com as perdas”. Essas foram as palavras da minha mãe que me trouxeram aqui, ao pé da cova, cercada de flores, aonde chorando, como choro agora,  enterrei Walter, o cachorro que mais me fez entender e gostar da vida.
 (Foto da Internet)

38 comentários:

  1. Li ....Tornei a ler e vi que por algumas vezes passei por isso.
    Filhos sempre tem esses amigos..
    Eles se vão e outros chegam e se vão
    novamente...Ai te pergunto fazer o que?
    Chorar a saudade, aim chorar faz bem
    nada substitui nada....enfim o texto
    foi triste, mas deixo um bj pra vc
    Abraços durma bem
    Rita

    ResponderExcluir
  2. Je suis navrée d'apprendre une nouvelle aussi triste...
    Toutes mes pensées sont pour vous...

    Gros bisous.

    ResponderExcluir
  3. ...eu posso imaginar a dor
    de se enterrar um amigo
    verdadeiro, fiel, e
    companheiro, que não
    nos abandona em tempo
    algum, mesmo que muitas
    vezes sejamos até
    impacientes com
    eles.

    eu penso que esta amizade
    é a mais pura que há,
    o amor que recebemos
    de nosso cãozinho
    não tem preço, e é
    um amor incondicional.

    que o Walter descance
    em paz...

    bj

    ResponderExcluir
  4. Acredita que vc fez chorar o meu coração?
    Linda e comovedora homenagem.
    Beijo.
    isa.

    ResponderExcluir
  5. Teu texto é lindo, tocante! Que o Walter esteja correndo em algum lugar lindo, enorme, as orelhinhas balançando, o vento erguendo seu pelo... também perdi meu Aleph no ano passado, aos quase 14 anos de idade... ele superou, em muito, a média de vida dos Rottweilers, que geralmente, vão até os onze anos. Porque eu acho que ele era feliz, e queria ficar. Sei o que você está sentindo. Não é nada fácil.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Primeiro calei lendo,
    não estou bem e o coração
    deu um tranco de tão envolvida
    que estava. Dai lembrei do Irving Wallace que fez o mesmo quando lia dele
    a Vida íntima das Mulheres que esqueci ser ficção ou o Todo Poderoso do mesmo autor que me
    alterou a adrenalina a ponto de
    ter que parar de ler por dois dias,
    para me acalmar tamanha ação dentro do texto
    e meu envolvimento com a trama.
    Depois...
    Huahuahua;
    Ri horrores percebendo como
    nós os que ainda Seres Hu Manos, somos ingênuos, até certo ponto
    da vida...
    Belo texto misto de ficção real idade.
    Tu escreve bem demais Moço, isso
    não é elogio até porque
    não precisa disso.
    Quem é bom, só o é.

    ResponderExcluir
  8. Sua historia me lembrou outra.
    A minha. Meu irmão tinha 4 cachorros de estimação e um dia ele morrei de repente, do coração. Os cachorros ficaram doidos, choravam, esperavam por ele. Só acalmavam quando eu tocava a flauta que toda tardinha meu irmão tocava pra eles.
    Dois morrera, rápido, uma estava prenha... Eu sei que no final todos morreram mas deixaram seus herdeiros pra mim. Puxa eu pude ver como o sentimento desses bichinhos eram verdadeiros.

    Que Walter esteja num bom lugar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. É triste, mas real, muito real.
    Fazer uma prece é bom, faz crescer.

    Bjoks

    ResponderExcluir
  10. ASÍ SON LAS COSAS CUANDO UNO RESPETA LA ARMONÍA.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  11. ASÍ SON LAS COSAS CUANDO UNO RESPETA LA ARMONÍA.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  12. ASÍ SON LAS COSAS CUANDO UNO RESPETA LA ARMONÍA.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  13. Oi Silvio, tambem ja chorei demais com a partida de um super cachorro...é muito triste mesmo! São amigos que trazem tanta felicidade mas ficam tao pouco conosco!
    bjs

    ResponderExcluir
  14. Nossa pensava que estava postando sobre um filho..comoveu,ainda mais porque meu Caco sumiu e acho que ele morreu..bjs

    http://simonebastos2007.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Voltei esqueci de seguir você kkkkk,seguindo seu cantinho e agradeceria se pudesse me seguir de volta.Seja bem vindo..bjs

    http://simonebastos2007.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá Sílvio,

    Fiquei tocada com o seu texto.
    Você coloca muita emoção nas palavras.
    Posso compreender essa dor.
    Que as alegrias que teve com Walter
    alimentem em você doces recordações!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  17. ô dó!!
    eu sei muito bem o que é isso..
    confesso que meus olhos encheram de lágrimas lendo teu post de hoje..
    Laika..minha única e mais sincera amiga, que nunca deixou de me ouvir e conhecia minhas alegrias e tristezas e compartilhava delas com sua companhia sincera e seu olhar muitas vezes preocupado, mas sempre com muito amor..
    uma perda como essa, é traiçoeira, nos pega de surpresa..

    não deixo palavras de ânimo nem de consolo porque acho que este é o teu momento de chorar muito pela falta de Walter..

    bjs.Sol

    ResponderExcluir
  18. O sol pode nos submeter, mas nossas mentes vão sempre estar vagando por este vasto mundo intelectual.

    Beijos querido amigo.

    A Sonhadora.

    ResponderExcluir
  19. Fiquei emocionada!
    A morte é burra, fato.

    ResponderExcluir
  20. Incrível o que você escreveu, seu melhor amigo. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  21. Esse é meu amigo de agora e sempre, escrevendo com maestria a reger as palavras e nos brindar com este texto.
    Abraços

    ResponderExcluir
  22. Que beleza de sentimento!Companheiros assim de toda hora merecem o nosso amor e o nosso respeito.Aqui, mesmo a distancia uno-me a tua dor.Sinto muito meu amigo.Bjs no coração

    ResponderExcluir
  23. Bom dia.
    Sua história fictícia puxou uma outra história de meu baú.
    Se a Morte é burra? Não sei.
    Mas a vida é sábia; num é?

    Acontece que íamos mudar mais
    uma vez, eu tinha 7 anos,
    agora era de SP para
    Rio. Havia ganho uma
    galinha garnizé branca de manchas pretas e nesse tempo ela tinha uns
    8 pintainhos. Minha mãe convenceu-me que levá-los de trem conosco não seria possível,
    apesar de doente já há bastante tempo nesse período de mudança, minha mãe estava sóbria.
    Resolvemos que a familiazinha seria dada para os padrinhos de meu irmão.
    Chorando fui para escola nesse dia, sabendo que na volta não veria mais minha galinha.A mudança seria em uma semana e tudo já estava sendo encaixotado, haviam as despedidas e tal...
    Era sexta feira, passou sábado... no domingo como de praxe havia comida especial, só que dessa vez mais quantidade que de costume.
    Naquela época; criança não tinha vez, comia e pronto.
    Nos mudamos e
    passaram mais de nove anos,
    até eu ter uma cadela Dálmatada de nome Luana; presenteada (por meu primeiro namorado e que se tornara noivo) e roubada após eu romper o compromisso.
    Lembro que chorando jurei:
    - Não tenho mais animais!
    Minha mãe com ar de riso disse:
    -Fica assim não porque sua galinha garnizé você comeu e nem reclamou, agora vai chorar por uma cadela que seu ex noivo certamente mandou pegarem de volta?
    Nunca falei nada para minha mãe, mas foi nesse dia que descobri totalmente surpresa que as mães também mentem e sabem ser cruéis quando necessário.
    De fato nunca mais tive animais
    e passei a não confiar inteiramente mais em ninguém, por um bom tempo...

    bj

    12 de julho de 2012 08:57

    ResponderExcluir
  24. Bom dia meu amigo intelecto !
    Você merece os maiores elogios pelos artigos que escreves.Eu silenciosamente sou uma fã sua de carteirinha,podes acreditar.
    Quanto essa crônica vc me deixou inerte por todo o tempo da leitura,acordei quando chegou no final.Isso me mostras seres um grande escritor...te aplaudo de pé e ainda digo,vc me fez chorar,shuáshuáshuá,Agora precisas me fazer sorrir,rsrsrsrsrs
    Bjsssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  25. obs:não precisa aceitar é mesmo só uma justificativa que desejo fazer.
    Como percebe refiz o comentário,
    pois percebi falta de letras e
    algumas outras falhas, acertei
    e deletei o que havia erro.
    Talvez ainda tenha erros, mas
    estou satisfeita com o acerto.
    bjs aos três.

    ResponderExcluir
  26. Bom dia amigo!
    Estou sensibilizada com sua dor. é muito difícil perder um amigo fiel e companheiro. Perdas sempre nos deixam fragilizados e emocionalmente tristes. Guarde na memória os doces momentos desta linda amizade meu querido.
    tenha um domingo abençoado.
    Beijokinhas da amiga
    Gracita

    ResponderExcluir
  27. Vim deixar um bom dia e um abraço apertadinho bjusssss
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  28. Amigo! Que a morte é burra, nem sei! Mas que mata um pouco um pouco de nós que fica por aqui...Tenho certeza! A crônica me remete as lembranças boas que convivi com o meu pai...

    "um doce, um sorriso ou uma palavra elogiosa acompanhada de um largo sorriso..."

    A morte é a consciência clara de que quem parte deixa marcas profundas no nosso coração: O amor!

    Bjoss

    ResponderExcluir
  29. Oi Silvio, gostei do post.
    A morte leva as pessoas mais preciosas na nossa vida mas a vida é assim mesmo, temos que enfrentar as dificuldades e viver um dia de cada vez.
    Tenha um ótimo começo de semana, abraços.

    ResponderExcluir
  30. Oi meu amigo,

    sei que dor é essa, pis já passei por isso.

    Chore sim, viva seu luto e sua dor com tudo que merece ser vivido.

    Que o seu amigo esteja agora caminhando na sua evolução espiritual.

    A história de voces será eterna.

    Beijos

    Leila

    ResponderExcluir
  31. Adoro!
    Essa blogsfera
    é maravilhosamente
    louca!
    rsrs

    ResponderExcluir
  32. obrigada pela visita. Deixo aqui pegadas no seu espaço.

    ResponderExcluir
  33. Quando Vip Roger partiu desta para melhor, eu, minha irma e mãe chorávamos tanto que meu tio que nos levava (com o corpo ainda quente no meu colo, mas numa caixa que o coubesse) ficou perplexo com nosso sofrimento. Foi um filho, foi um irmão, um companheiro, um amigo, um cara cheio de opiniao formada, que partiu. Acho que Vip foi o unico a nunca sentir rancor, a nunca deixar de nos amar, cada um a seu jeito.

    Entao, amigo, eu lhe compreendo.

    E hoje, passados tantos e tantos anos, eu me lembro dele com perfeição. Parece que foi ontem. Como pode isso?!

    BEIJOS

    ResponderExcluir
  34. Oi Silvio, passando prá desejar uma semana iluminada! bjs

    ResponderExcluir
  35. Olá Silvio, conheço de perto essa dor, pois até fiquei de olhos marejados com essa história.Eu sempre digo que amigos de quatro patas não deveriam morrer nunca
    antes da gente.....Beijos e parabéns por nos trazer um texto tão lindo!Feliz semana!

    ResponderExcluir
  36. Eu adorei o seu comentario.
    Muito inteligente!

    Beijos

    ResponderExcluir
  37. A sua tristeza ficou tão fincada, nas suas palavras, que contagia a todos que as leem e entendem...

    Um beijo meu amigo

    (perdão pela ausência)

    Bom final de semana
    e um feliz Dia do Amigo!

    Sónia

    ResponderExcluir
  38. Que bela historia de amizade, a sensibilidade
    com que contas, fantástico são as suas narrativas!
    Parabéns!

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.