quinta-feira, 21 de junho de 2012

FRAQUEZA OU COVARDIA?

        Eles eram jovens e já bem sucedidos. Ele era a sua referência e ela a musa inspiradora, a mais bonita, mais educada do bairro aonde moravam e no campo das artes era fera na música e na pintura. Filhos não tinham ainda, mas se tivessem, talvez não atrapalhasse em nada a felicidade que viviam. Ninguém jamais os vira separados  ou com os lábios carentes de um sorriso.  A paz era com eles.  A sorte, no entanto, tinha lhes reservado um outro destino, e em uma quarta-feira a tarde o seu marido foi convocado a trabalhar no gabinete  de um depu­tado para quem prestara assessoria no passado. Empolgado escolheu o melhor restaurante e no jantar contou a novidade à sua amada. Brindaram a sorte, e a noite foi para os dois a melhor de suas vidas.
Beijaram-se no aeroporto quando ele embarcou num voo rumo a Brasília. Durante os três dias de ausência, ambos sofreram com a separação. Talvez ela sofresse mais, já que ele se entregava ao trabalho justificando a convocação e só nos momentos vagos deixava perder seus olhos, mesmo contra a própria von­tade,  no decote da secretária com quem em todas as quintas-feiras seguia ao aeroporto  de volta à casa.  Desta vez a chuva se colocou contra a família a favor do pecado.  Enquanto dentro do táxi, a garoa embelezava a paisagem, fora dele interrompia os voos e mudava os planos de cada um.  Com o fechamento das pistas de pouso e decolagem foram encaminhados a um Hotel de onde aguardariam novas instruções.         
      Entre uma conversa e alguns drinques desceram ao restaurante pra jan­tar. O assunto não se esgotava e o tempo atropelando às horas passava in­continente.  A necessidade de um banho e do descanso se fizeram prementes e em suí­tes separadas cada um  se dirigiu. Meia hora, não mais do que isso, os dois se viam na porta entreaberta como a esperar alguém. Ele queria procurar por ela e ela por ele. Audaciosa o acompanhou quarto adentro para uma taça de vinho que rendeu outra e outras mais. Trocavam novas palavras quando acidentalmente um braço surgiu por sobre os ombros dela de certa forma que os dedos da mão dele poderiam, se assim quisessem, dedilhar o mamilo do seu peito. Um fogo acendeu  no rosto de cada um  e os dois, sem controle, se beijaram. Era errado ele sabia, mas ela o confundira na hora da decisão até que o dia clareou e a música do celular avisando que o voo de cada um seria dentro de duas horas, os  acordou do sono enfeitiçando o ar...

52 comentários:

  1. Querido, muito obrigada pelo carinho e lembrança da Casa na sua comemoração pelos mil seguidores. Para nós é uma honra fazer parte dessa sua linda conquista.

    Estou levando o selo comigo.

    Beijos suculentos e que venham mais 1000,
    Anita.

    ResponderExcluir
  2. ...pois é!!!

    tudo culpa dos atrazos
    nos voos.

    ou...buscaram os dois,
    o que talvez faltasse
    em casa.

    são tantas as conjecturas,
    né poeta.

    rsrs

    bjokas mil!

    ResponderExcluir
  3. olá Sílvio, uma linda história.

    abraços rose jp

    ResponderExcluir
  4. Silvo, querido, belo texto!
    Uma questão de oportunidade? Ou como se diz: " a ocasião faz o ladrão" Talvez sim, movidos pela fraqueza de sentirem-se atraidos, um pelo outro.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. Passei para te trazer um abraço apertadinho e um gostoso cheirinho de bom dia!Parabéns pelos 1000 seguidores meu amigo.
    Tem selinho pra você. Acesse o link http://gracitaselinhos.blogspot.com.br/2012/06/palhaco-poeta-selinho-de-parabens.html
    Que o seu dia seja iluminado.
    Beijokinhas docinhas
    Gracita

    ResponderExcluir
  6. Hola amigo!!!

    Humm!!!! Gostei!

    Isto acontece nas melhores famílias, e a vida continua. Difícil é compreender que tanto amor como o descrito, seja tão vulnerável, suscetível. Vai ver foi a chuva, o frio, o calor, o vinho, Brasília, o tesão.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. A vida como ela é!
    Obrigada pelo selinho. Estou levando com todo carinho.
    bj

    ResponderExcluir
  8. Bom dia, Silvio. Agora eu estou com pressa percisando sair, logo não comentarei. Depois eu venho com calma e comento como se deve.
    Se tudo der certo, dia 23 eu passo aqui.


    Obs: Puxarei a sua orelha agora. Você passa nas minhas postagens sem deixar comentário, apenas me convidando. Obrigada pelo convite, mas ler a sua opinião seria legal também, certo?

    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  9. Casais são dançarinos em torno de um sentimento, o amor. Que exista o amor, pois estou aborrecida com tanta malvadeza neste mundo, não aguento mais lições sobre o que é a realidade que a dona de casa desconhece. Estarei lá dia 23, agendei. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  10. E depois? a mulher do moço descobriu? a consciência dele pesou? se encontraram mais vezes, ou ficou apenas nisso,um encontro,um desejo?

    Sou a dona do blog ' Meu mundo loove', e vim avisar que mudei a URL, e agora ele se chama Maybe i smiled - http://maybe-i-smiled.blogspot.com.br . E pedir para que visite o Dicionário feminino - http://dicionario-feminino.blogspot.com.br/ .
    Tenha uma ótima quinta, beijos :*

    ResponderExcluir
  11. se deixaram levar pela atração mútua. Abçs.

    ResponderExcluir
  12. Obrigada pela visita a meu blog!
    Vim aqui visitar o seu!
    Boa sorte e no dia 23 aparecerei dar um alô!
    Abraço
    Rita
    www.olharesedetalhes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. "ENTRE LA ESPADA Y LA PARED", QUÉ HACER?.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  14. Olá Silvio. Obrigada pela visita. Vou passar por lá. Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Olá Silvio :)
    Talvez as doses de álcool,o tenham deixado meio fora da realidade.
    Os momentos vividos com a tal secretária de repente até foram bons (pra ambos),mas de qualquer maneira não deixa de ser uma traição...
    Foi uma momento de fraqueza,com recheio de covardia!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  16. ciao caro
    basta assim poco,um aviões que não parte,uma taça de vinho,para mandar para o belelelu um grande amor ??
    rsrs

    chego a mudar de calçada quando aparece uma flor, e dou risada do grande amor...


    bacione

    ResponderExcluir
  17. Ah! a carne é fraca.Mas que grande amor era este? Bastou um atraso de um avião para que o objeto do amor fosse esquecido.
    É as histórias de "grandes amores" passam por grandes traições.
    Como acreditar?
    Só em nós mesmos. Bjs belo poeta.Eloah

    ResponderExcluir
  18. Que cabra safado. Merecia um par de chifre.

    ResponderExcluir
  19. adorei a historia!
    bjs molhados com a chuva
    juliana

    ResponderExcluir
  20. Boa noite poeta cheio de contos prá contar...instigantes na leitura do qual se torna real quando lemos...
    bjs de boa noite para aquecer tua noite de inverno!

    ResponderExcluir
  21. Oi Silvio,

    Tudo bem? Texto real e com todo o sentido, pois nem só de carne, vive o homem, mas que ela é fraca, não tenho dúvida.
    Beijos.
    Lu

    ResponderExcluir
  22. Olá Silvio... obrigado pela visita lá no meu blog... já estou te seguindo e acompanhando tudo...abs.

    ResponderExcluir
  23. Às vezes duas pessoas se encontram, mas é apenas a escala de um voo...

    ResponderExcluir
  24. Evanir é uma fofa.
    Guerreira que não foge
    a luta.
    Torço por ela aqui e em
    qualquer lugar.
    Um beijo às duas.
    Palhaço Poeta.
    Silvio você é um fofo mesmo viu?
    Li esse comentário seu no blog da Marcinha.
    Obrigada meu amigo querido.
    Quanto a sua postagem linda por sinal eita bendita seja a juventude
    nunca conta até 10 para trair um ao outro.
    mais gostei da perda do voou.
    Parabéns amigo pelos 1000 seguidores.
    Lindo final de semana te adoro grande poeta.

    ResponderExcluir
  25. Olá.
    Muito bom,muito interessante,parabéns.
    Até mais

    ResponderExcluir
  26. É.....é complicado.
    Penso que juntou-se covardia e fraqueza....
    Por isso que sempre falo, dependa de Deus, não de vc, não dos seus desejos, somos tão frágeis em nossos desejos e vontades,nós não sabemos o que é melhor para nós, mas Deus o sabe...
    Vc tem um jeito especial de escrever mesmo....a gente se sente ali no enredo, participando...
    Abraço
    Marly

    ResponderExcluir
  27. Meu querido Poeta

    Passando para dar os parabéns pelo 1000 seguidores e agradecendo o selinho que vou postar com carinho.

    Um beijinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  28. Ôi amigo! Bem estive no Bar do escritor! E não havia post teu! É o seguinte, você fez o convite para dia 23, sexta-feira, o que deve ser, então sábado, dia 24?!... Segunda-feira, dia 25 de junho,
    terei postagem nova!
    Um final de semana iluminado!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. Visitei seu outro blog e deixei comentário. Lindo seu trabalho.....PARABÉNS.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  30. olha eu ja virei fã assumida de seu blog, vc é uma pessoa de mto tanleto e eu fico feliz em vc poder repartir com os leitores do seu blog esse talento q Deus te deu

    ResponderExcluir
  31. Apesar de ser totalmente contra esse tipo de coisa, acontece o tempo todo, não é? Até nas ''melhores famílias''. E bem, sua descrição ficou maravilhosa! Estou seguindo aqui, é claro. Obrigada pela sua visita lá no blog e pelo selo. Beijos, e um ótimo final de semana, Silvio.

    ResponderExcluir
  32. Bonita história...e o proibido só o é pelas convenções sociais!(devagarinho tento retribuir as visitas e agradecer o carinho) BShell

    ResponderExcluir
  33. Ola amigo passei por aqui, para conhecer sua escrita e fiquei maravilhada.

    Escritora e Poeta Del Mundo
    miria-pereira@ibest.com

    ResponderExcluir
  34. Passei para desejar-lhe um feliz São João, regado de muito forró e alegrias.
    Beijos, paz e luz.

    ResponderExcluir
  35. Passei para uma visitinha...
    Em Brasília, tudo é possível!!!
    Boa semana!
    Beijinhos.
    Minas.
    ¸¸.º°❤♫♫♪¸¸.°
    °º✿⊱╮

    ResponderExcluir
  36. Ola Silvio,
    Tentacao enorme.
    Chuva, tempestade, eles estavam sozinhos, tudo era uma grande conjuncao impossivel de superar...

    Abracos.

    ResponderExcluir
  37. Oi Silvio. A distância é vilã de muitas oportunidades. Gostei do post.

    Vim agradecer pela visita. Volte sempre que puder.

    Abraço.

    Renata.

    ResponderExcluir
  38. E quantas vezes o pecado aparece só pra confundir a vida das pessoas não é mesmo?!rs
    Ainda bem que disso uma hora a pessoa acorda,rs.
    Adorei Sílvio,uma ótima semana pra vc,abraço,=)

    ResponderExcluir
  39. Muchas gracias por venir a mi Rincón y quedarte.
    Un hermoso post este que has escrito.. Te felciito.
    Saludos desde Madrid

    ResponderExcluir
  40. Caro Sílvio texto maravilhoso e esclarecedor. Gostei muito do seu jeitinho de escrever, parabéns. Mas creio que Deus é quem sabe de tudo e dos caminhos que temos a seguir.
    Parabéns pelo exelente blog, amei tudo o que li vou ler mais. E já estou a te seguir.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  41. Amigo Querido.
    Fiquei feliz que gostou e que foi a primeira vez que viu um blog dessa natureza.
    E realmente até eu me surprendi com essa ideia imaginei uma forma diferente de acarinhar minhas lindas amizades .
    Que bom que você faz parte dela .
    Eu ainda vou repetir esse tipo de postagem ,
    pois recebo tanto carinho que muitas vezes não sei como retribuir.
    E estou um pouco ausente o medico não esta conseguindo acertar o colirio para abaixar a pressão dos meus olhos que dói muito.
    amanhã vou fazer novos oculos para ver se melhora alguma coisa.
    Amado já não cosigo digitar por muito tempo tenho que levar cola agora mais essa não conseguir ficar no computador.
    Mais tenho fé tudo vai melhorar Deus é Deus.
    Obrigada pelo seu carinho de sempre.
    Linda semana pra ti beijos,Evanir.

    ResponderExcluir
  42. Silvio, meu amigo, gentileza gera gentileza.... Você pediu e eu fui ao Blog Bar do Escritor, li teu texto e deixei o comentário e um convite pra você deixar um comentário em minha postagem nova.... Ainda tô esperando...Uma abençoada semana, repleta de muita paz e alegria! Grande e carinhoso abraço!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  43. Oi Silvio, gostei muito do texto,
    As vezes um "grande amor" pode sumir como um suspiro devido a certas ocasiões que acontecem.
    Tenha uma linda semana, abraços...

    ResponderExcluir
  44. Oi, Silvio sobre o texto, esse negocio de 'a carne é fraca"... hun não acredito, não . Quando se ama somos fiéis... "fidelidade;
    Nossa! O que é isso?
    Gostei dos comentários da Eloah e da Rô, bem sensatos; acho q tô ficando mais adulta" ... tá na hora, né! rs
    Beijinhos, eu tô trabalhando e aproveitei uma folga "almoço das crianças" para ler alguns Blogs; beijo, de novo, tenha uma bela tarde, muita Paz no seu coração.
    Mery*

    ResponderExcluir
  45. Que triste esse fato, tanto amor e depois tudo se apaga..como será qdo chegar perto dela..Eu acho que quando o amor é profundo nada acontece, cada um teria que ir para seu canto.
    Mas como dizem por ai
    A carne é fraca, e send fraca já viu
    Abraços com bjusss
    Rita!!!

    ResponderExcluir
  46. Olá Sílvio,

    Acredito que quem ama verdadeiramente não trai, apesar das oportunidades.
    Sei que a carne é fraca, mas não justifica, no caso. Se ocorre a primeira traição, outras virão facilmente e breve uma relação linda se perderá.

    Bela narrativa.

    Obrigada pelo carinho da visita.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  47. Obrigada pelas visitas, Silvio Antonio!
    Abraço!
    RITA

    ResponderExcluir
  48. Uma bela história. Gostei imenso. Grande abraço!
    Ótima semana!

    ResponderExcluir
  49. Talvez a chuva, o vinho, a distância... mas penso que ele não gostava tanto assim da mulher.

    Gostei muito da história, querido.

    Beijos.

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.