segunda-feira, 28 de maio de 2012

DESCANSAR PRA QUÊ?


          Em uma cidade pacata e por um preço razoável eu resolvi passar as férias da faculdade numa fazenda situada no  interior do meu Estado aonde o galo me acordasse nas manhãs bem cedo e ao entardecer com as galinhas eu fosse me deitar. Eu que vivo a agitação de uma grande metrópole queria me deixar ficar sob o azul de um céu durante o dia e as estrelas como companheiras ao anoitecer. Pensava poder ouvir histórias de antigamente na voz dos mais idosos e dentro do possível fazer daqueles momentos os melhores das minhas férias. Pura ilusão. Na primeira noite eu fiz parte de um grupo de moradores que se reunia para discutir as mazelas da política, falar de futebol, de homem e de mulher. O papo era amistoso e inteligente, talvez por isso varasse noite adentro.  Por volta das três, três e meia o grupo se desfez. Cada qual para o seu canto, enquanto duas das muitas moças ficaram para pernoitar conosco.
Dei boas gargalhadas. Cantei e até flertei com uma das pequenas que pra meu azar resolveu ficar para dormir.  Coisa boba, pensei com o meu umbigo. Amanhã cada um tomará um novo rumo e só as lembranças ficariam. Às 5 e meia  cantou o primeiro galo, mas eu ainda estava acordado. Não conseguira conciliar o sono com aquela troca de sussurros no quarto ao lado. Cobri os ouvidos com o travesseiro, mas nada adiantou, até que ouvi falar meu nome. Levantei as orelhas e as colei na parede. A curiosidade me fez entender que a moça com quem flertei assediava a outra que fazia jogo duro.  Forcei um pigarro e todas se calaram. Um riso, uma ameaça e depois um tapa provocou o vazio do silêncio.  Um gemido e o som de um beijo me levaram a espiá-las. Com o capuz do agasalho eu cobri meu rosto e bati, levemente, com o nó do dedo indicador na porta. Através da fresta, uma das moças  embrulhada num lençol fez sinal de silêncio e me puxou para dentro fechando aporta atrás de mim.  Na penumbra eu pude ver Isabella nua sobre a cama. A mesma garota com quem troquei olhares sem saber que ela também gostava de meninas. Aquilo me mantinha excitado, mas a minha presença era, talvez a única chance de Martha fugir dos beijos da parceira. Desolada Isabella cobriu os olhos com as mãos e chorou a própria sorte. Desolados ficamos todos quando as luzes se acenderam e os donos da casa me olhando de cima à baixo levaram as garotas para quartos separados e não sabidos. No café, pela manhã, eu pude ver e falar com todos, menos com aquelas que sumiram da fazenda depois de me roubar o sono e os momentos que, talvez, tivessem dado um outro rumo às minhas férias.

28 comentários:

  1. EL CAMPO SIEMPRE TIENE MUCHAS HISTORIAS QUE CONTAR.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo,
    Que história risoss.Ainda bem que tudo deu certo no final, e você não foi expulso da casa kkk.Mas as garotas sumiram da fazenda.

    Ótima história.
    Deixo um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Sabe lutei tanto pra ser eu mesma,
    para ser franca com todos, para dizer o que achasse necessário.
    Entendi que a vida é bela,
    que os amigos são poucos, porem valem quase todo e qualquer sacrifício...
    Mas hoje sentada diante do mar, vendo o Sol despontar sobre
    o mar prata,
    chego a conclusão que não entendi
    nada,
    que não sei mais o que fazer...
    que não aprendi nada disso que chama vida real
    e que o poeta esta certo quado diz que;
    Só Sei que Nada Sei...

    Belo texto como sempre.

    ResponderExcluir
  4. Je vous souhaite plein de bonnes choses... Gros bisous

    ResponderExcluir
  5. Que coisa rs!!So com você acontece tal coisa sorte ou azar rs!Boa semana querido!

    ResponderExcluir
  6. Por favor, gostaria muito da copia por email do comentário que fiz
    e concordo com sua esposa de não ter sido publicado. Pode me mandar por favor a copia dele, caso não tenha ido pro lixo direito.
    Cado tenha ida é mais uma das perdas que somarei.

    ResponderExcluir
  7. É...
    A vida nem sempre é como esperamos que seja...
    Talvez por isso ela seja tão deliciosa!
    Belo conto.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Cômico, bom pra lavar a alma e rir um bocado.

    Te desejo uma ótima tarde de segunda-feira, uma excelente e abençoada semana. Cheia de paz, luz e inspiração.
    Grande abraço.
    Tatiane.

    http://tatian-esalles.blogspot.com.br/

    Att.

    ResponderExcluir
  9. Na verdade sua noite foi uma frustração que só,heim amig?Olha eu aqui de novo....voltando prá ficar...saudade...

    ResponderExcluir
  10. Un placer participar de sus vacaciones!

    Gracias por compartirlas...

    Saludos de agua desde mis mareas que lo esperan...

    ResponderExcluir
  11. Que historia hein? rs no final sempre da certo..

    www.palmacarla.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Hoje vim te visitar e dizer que ter amigos
    sempre presente deixando na minha pagina uma
    palavra de carinho é muito gratificante Por isso agradeço de coração a sua amizade.
    Parabéns por tudo que vc tem de bonito aqui
    Deixo um abraço
    de boa tarde
    Bjuss
    Rita!!!!!!

    ResponderExcluir
  13. e o que prometia...frustou, hein...rs beijo

    ResponderExcluir
  14. Olá, Sílvio
    Começo por agradecer sua visita ao meu blog, e pedir desculpa por não ter acedido ao seu convite para visitá-lo no "Bar" naquele mesmo dia. É que estou atravessando um período meio complicado, com o meu marido bastante doente e precisando de mim a toda a hora. Assim não tenho visitado os blogs amigos nem agradecido, em devido tempo, as visitas recebidas.
    Quem me conhece sabe que normalmente não procedo assim - agradeço e retribuo na hora as visitas que me fazem.
    As coisas hão-de melhorar, tenho fé, e tudo voltará à normalidade.

    Achei imensa graça ao seu texto, e ocorre-me dizer: as aparências iludem rsrsrss . Afinal, a moça que estava lhe fazendo olhinhos, gostava era de meninas...

    Apareça mais vezes lá na minha «CASA», que prometo retribuir sempre que possível. Entretanto vou me fazer sua seguidora. Não que me seguir também ???

    Uma boa semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Os locais tidos como de descanso não são mais aqueles (rss). O galo pode cantar cedo, o campo pode propiciar seus ruídos noturnos, desconhecidos nas grandes cidades, mas as pessoas mudam em todos os lugares. Tive que rir de sua narrativa.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Olá,

    Tudo bem? Seria estória ou história? Adorei o enredo que permitiu um final muito inteligente.

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  17. Muito interessante!Leitura que prende a atenção. Me interessei pelos seus Romances... Abraços!

    ResponderExcluir
  18. E o bom da vida é justamente isso...fazer e ter histórias pra relembrar e contar...abraços de bom dia pra ti.

    ResponderExcluir
  19. Que história "bonita...rs
    mas sabe que é mais comum do que imaginamos(?)
    Já me choquei com as "minorias; hoje NÃO!
    Pensava que meninas lésbicas "era safadeza, mas os homossexuais podem ter um desvio qualquer, desde o nascimento; é complicado e nós que gostamos do outro*... ficamos frustrados. Eu já tive uma experiência com um homossexual, eu me apaixonei, sem saber". Ele ñ dava pinta, até q me contou a verdade, e disse: "gosto da mesma fruta que você"... Sabe q continuei amiga dele, mas perdi o tesão. Demorou!
    Obrigada pela presença lá, gostei muito dessa história e tudo bem, né?
    Ah! meninas juntas* é excitante, sim, porque mulher* é tudo de lindo!
    Eu sou normal* rs
    bEIJINHOS.

    ResponderExcluir
  20. Boa tarde Silvio


    Que férias hein...
    Danadinho você....rs


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  21. Nossa, Sílvio! Isso está me parecendo verdade...E é?...Abraço!

    ResponderExcluir
  22. Peguei as chaves na mão e fiquei pensando: Devo ou não abrir a porta? Seria melhor se deixassem as pessoas la dentro em silencio, quietas. Fiquei mexendo com a chave entre os dedos...O tilintar delas me atormentava, mas tinha duvidas se queria ou não abrir a porta e entrar. Passei algum tempo pensando e disse: Ora bolas! Vamos lá, prosear e fazer novas amizades, pois parece que la dentro da casa, existe sinceridade. Entrei e não me arrependi, pois encontrei uma familia linda e sincera que de peito aberto me acolheu...Então, acordei deste sonho, olhei ao redor e me calei..."
    Adorei seu conto, forte e quiçá, verdadeiro! Abraços carinhosos

    ResponderExcluir
  23. Olá. amigo. Que história! Parabéns pelo texto. Estou aqui para agradecer sua amável visita! Obrigada. Desculpe a falta! Pois tive muitos problemas com conexção. Estou tentando por em dia as visitas. Será sempre um prazer recebê-lo! Grande abraço.

    ResponderExcluir
  24. Interessante!!!

    http://estilohedonico.blogspot.pt/

    xoxo

    ResponderExcluir
  25. Olá amigo. Estou mesmo sumida por absoluta falta de tempo. Pois é... nem sempre as coisas saem conforme planejamos, mas acredito que tenha valido a pena. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  26. Boa noite Silvio.
    Sou Beatriz, uma das coordenadoras do Clube Das Amigas Leitoras.
    Vi seu recadinho por lá, já publiquei e vim aqui lhe agradecer a visita.
    Adorei seu blog, gostei muito também do blog: Bar Do Escritor. Uma forma diferente e divertida de postar diariamente diversos assuntos.
    Gostaria que se possível me seguisse em meu novo blog.
    http://pequenosgrandespensantes.blogspot.com.br/
    Ficarei mega feliz.
    Tenha um final de semana feliz e abençoado.
    Bjokas...da Bia!!!

    ResponderExcluir
  27. Boa noite Silvio,


    Toda história tem início, meio e fim. Esta bem curta, mas prolonga-se através da memória.

    Obrigada pelas visitas.


    Beijos com carinho

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.