terça-feira, 1 de novembro de 2011

OBRA DE ARTE.

Eu sei bem como são essas coisas. A gente pinta um quadro e quando ele vai a uma vernissage ficamos meio que aflitos a espera do primeiro interessado. Fica-se encantado com os elogios e apreensivo quanto aos conselhos, mas o que interessa, de fato, é a presença crítica do primeiro comprador que reconhece na sua obra o seu talento, o seu valor. Com o escritor não é diferente. Tão logo o lançamento é feito, forma-se o burburinho para, só então, surgir a fila dos possíveis compradores. Enquanto isso não acontece, as horas se arrastam, o tempo não passa, mas deixa envelhecer o sonho que talvez tenha sonhado para rejuvenescer no esgotamento da primeira edição. Todas as artes, em todos os tempos, têm história parecida. Como não sentir o frio na barriga no momento do sim que antecede o bater do martelo e a afirmativa de, vendido? Como responder perguntas se a obra é fictícia, mas se parece com a história de vida do leitor? Talvez isto seja tudo, mas se não for alguma coisa, pelo menos será uma letra a mais em uma página que compõe o livro da pessoa.

10 comentários:

  1. Hola amigo querido!

    Também tenho sentido falta de estar aqui e peço-lhes desculpas, ok?

    QUE LINDO! Já temos em mãos o fruto de um projeto a tanto sonhado e idealizado? Parabéns querido! Que seja o primogênito de centenas de novas obras impressas, que te traga infinitas alegrias. Ah, esta angústia do "como vai ser", faz parte da criação. Fica tranquilo, vai ser o de melhor para sua vida e para os leitores, é claro. Da outra extremidade, virá o retorno esperado. Sou sua leitora e mais do que isto, sou parte da sua escrita, uma pimpolha que aprendeu a "versar" (que os poetas me perdoem por esta inocente ousadia) contigo, que leu sua escrita e encantou-se.

    Muitos beijos, de leitores insaciáveis por tuas letras, desejo-lhe do fundo do meu coração. Muito sucesso, e edições esgotadasssssssss.

    Beijão poeta!
    Adoro você.
    Vi.

    ResponderExcluir
  2. Também fiquei um pouco tensa no lançamento dos meus livros,faz parte...mas depois vem muita alegria.
    Sucesso pra você Silvio!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá! Vim agradecer a retribuir as visitas no meu Casulo...
    beijos borboléticos!

    ResponderExcluir
  4. Olá! Vim agradecer a retribuir as visitas no meu Casulo...
    beijos borboléticos!

    ResponderExcluir
  5. Olá! Retribuindo sua visita e te seguindo também.
    Felicidades e sucesso com o seu livro.

    Um abraço,
    Marineide
    (marciagrega)

    ResponderExcluir
  6. Todas as lembranças que tenho do meu primeiro lançamento
    são minhas, eu as fiz serem sentidas e as fiz acontecer.
    Lançar um livro é como
    assumir um filho...ele nasce de nós, tanto dos homens quanto das mulheres,
    precisa um pouco de cada um,
    depois eles crescem,
    e ganham o mundo.
    Nossas obras são assim tambem.
    Mas como os filhos e eles nascem em nós,
    saem de nós
    e ganhando o mundo
    alegram
    a outros...
    Meu primeiro filho foi como tatear no escuro da concepção até o outro nascer 5 anos depois...
    Meu primeiro livro tambem foi assim... ele era
    tão so meu
    que os de perto,
    de muito perto
    se deram ao luxo de
    esquecer
    o dia do lançamento...
    Fui só e como pari :só
    o lancei.
    Foi uma alegria estranha um misto de gozo e dor.
    Gozo pelo prazer de ter siso capaz de escrever e de lança-lo
    e dor
    por ser algo solitário....
    mesmo sendo uma alegria e um orgulho.
    É como viver:
    so
    li
    ta
    rio
    ainda
    que
    co
    le
    ti
    vo.

    Belo post o seu, bela comparação.

    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Estive ausente, retornando agora e vim agradecer seu carinho no meu miaublog, e te desejar MUITO sucesso com esse que tenho certeza será o primeiro de muitos livros publicados!

    Miaubeijos com muito carinho =^.^=

    ResponderExcluir
  8. Nossaaaa, que lindo saber sobre o teu livro, pena que vc não divulgou no meu blog também. Me sinto muito feliz de ter retornado e lido sobre isso. Parabéns querido amigo, saudades de você.
    Depois me fala como posso adquirir um exemplar teu.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Como é bom saber que alguém entende o sentimento de um artista plástico. Somente a alma de um poeta para entender e expressar esse sentimento em tão belas palavras...
    Adorei o blog, prometo sempre dar uma espiadinha.

    ResponderExcluir
  10. Somente a alma de um poeta para entender e expressar tão bem esse "friozinho na barriga".

    Adorei o blog. Prometo sempre dar uma "espiadinha".

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.