sexta-feira, 13 de maio de 2011

VERDADEIRO AMIGO.

Ele foi amigo de muitos amigos. Ousou nos saltos de paraquedas, acampou em praias desertas e três vezes se casou. Morou com quatro mulheres, cada uma no seu tempo e quatro filhos concebeu. O seu temperamento de justiça fez dele uma pessoa difícil, mas amiga e verdadeira.
Por trazer em suas células a obrigação da espécie perpetuada ele sofreu, vergou, quase quebrou em certas ocasiões quando amigos confiaram sua casa e sua cama para que dormisse entre o casal na mais pura confiança e amizade. Desesperou-se, blasfemou, mas conseguiu manter-se, mesmo que muito próximo ao pecado, longe do fato consumar.
Bebeu, festejou com eles e suas esposas. Foi fiel ao seu trabalho e patrões. Virou às costas ao tempo que sem freio atropelou o medo e abriu as portas da paixão. Buscou longe dos olhos o amor de quem tinha muito por fazer; uma vida em formação, uma filha para criar, mãe e irmão exigentes cobradores. Ao descobrir que seu amor era correspondido por quem fechou os olhos ao preconceito, largou tudo e entregou-se de corpo e alma ao desafio. Para ela uma lição a mais na escola da vida, mas para ele um tiro de misericórdia.
Hoje a sua vida tem mais valor. Apostou no estudo e na ciência e no alto da montanha, quase aos pés do criador, escolheu sua morada. Tem junto de si a mulher que ama. Uma "filha" que o respeita e admira e um casal de amigos para quem seria capaz de dar um braço por suas vidas.
Cara arretado de sangue na venta, que come peixe e não engasga com a espinha. Que não come pimenta mas cospe fogo e que chora de saudade dos amigos que uma vez quase os perdeu e que hoje prometem visitá-lo no domingo que se arrasta, mas não chega...

7 comentários:

  1. Se não fosse pelas quatro mulheres e os quatro filhos, diria que falava de mim hehehehe.....eu sou um pouco assim: Porra loka, amigo, encrenqueiro, meto os peito, encaro qualquer situação;;; e as vezes me sinto abandonado e que a recíproca as vezes não é verdadeira em relação a mim.
    Grande crônica...alguém tem que te recomendar pro Bial...ele iria aprender muito contigo!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Abandonou o medo e fechou os olhos ao preconceito. Duas atitudes que em seu texto muito admiro. E como você tão bem descreveu, elas o levaram à felicidade.
    Perfeito!!!!!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Creio nisso, assim, puro dessa forma. Sabe o que imagino?
    A força desse abraço no momento do reencontro.
    Bom saber amigos juntos e familias amigas unidas.
    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
  4. Meu comentário sumiu. Havia dito que atropelar o medo e vencer os preconceitos são duas atitudes reveladoras de caráter e que, no seu texto, ficou claro que elas proporcionaram amor e felicidade.

    Sei que brinca com o recebimento de selos, já fez um comentário nesse sentido em meu blog - umcanto-recantodaalma.blogspot.com
    Por indicação da Van (RETALHOS DO QUE SOU), agraciada com o selo do "blog da semana", estou concorrendo ao mesmo. Se votar no meu , ficarei muito feliz. A votação é no
    http://wwwwillblog.blogspot.com,
    que o idealizou e começa em 14/05.

    Obrigada

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Olá poeta!
    Foi o comentário mais poético que já vi...
    Seja bem vindo!

    ResponderExcluir
  7. Descreves a si mesmo aqui?
    Confesso que invejei um pouco da coragem de fazer aquilo que queria, passo por uma situação que exige de mim o mesmo, mas estou a desistir, fiz a metade do trajeto, planejei o resto, mas falta muito por fazer, e agora já não sei mais se vale a pena, sinto como se estivesse sozinha no barco, estou com medo de ficar perdida no meio do oceano, enquanto isso vou seguindo, ler o seu texto me fez ver que quando queremos algo de verdade não importa os obstáculos não é? Não é fácil ir contra o preconceito, muito menos de não se intimidar pelo medo...

    Adorei seu blog, seu jeito de escrever, e esse texto em especial, que veio abrir meu coração novamente...


    bjus

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.