quinta-feira, 7 de abril de 2011

JÁ PRA CASA, MENINO!

Talvez eu não entenda o porquê de ter passado tanto tempo, talvez uma semana, longe dos seus braços, do seu abraço e desse olhar dengoso da mãe lambendo a cria. Como pude roubar dos seus carinhos esse tempo precioso que tirou da sua pele o frescor das flores e esmaeceu a cor violeta dos seus olhos? Como eu pude me furtar ao privilégio de dormir aninhado no seu colo ouvindo dentre todas as verdades a doce mentira de ser eu o mais querido e o mais bonito entre tantos que dividem, comigo a preocupação do seu amor? Para um pai o tempo não caminha, rola ligeiro sobre rodas. Para u’a mãe a vida não tem pressa, estagna. É um barco fundeado em águas rasas onde as gaivotas moram. Mãe não tem uma vida pra dizer que é sua, mas tem muitas, diversas, em casa, no meio da rua ou por onde andar um filho que se diga seu... Foi aí que eu pequei. Foi aí que eu errei ao trancar dentro de minhalma as melhores recordações e longe, distante dos meus olhos a meiguice de sua presença. Que bom que agora eu a vejo quando quero. Que bom que com ela eu estou agora ouvindo o brado coerente das suas palavras e sentindo sob o manto azul do seu olhar, o vigor de cada gesto. O tempo para a mãe não passa, diria ao pé do meu ouvido um anjo, e só por isso, o fim não se atreverá tão perto...


22 comentários:

  1. Bom acordar e ler algo assim...
    tão perto do que sinto, vejo e vivo.
    Belas Palavras Palhaço Poeta e aproveita...
    enquanto ela esta acessivel.
    A minha:ja voi faz tempo e ficaram as lembranças...
    só as lembranças...e nem sempre só boas.
    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
  2. Poeta, ao ler seu texto não pude conter algumas lágrimas, por dois motivos minha filha tão amada esta deixando meu ninho indo morar em outra cidade, e minha mãe, lentamente esta indo para um lugar melhor do que este em que vivemos, me emocionei...
    Viva cada momento, deixe-a lamber a cria, e ame-a muito, será importante para os dois.
    É bom vir aqui e ler "você"
    Tenha um ótimo dia.

    ResponderExcluir
  3. Querido Poeta.Te entendo tão bem...Amo demais a minha e esse amor é intraduzível.Um dia estarei do outro lado e quero dar ao meu filho todo o amor que recebo.
    Beijo no coraçaõ.

    ResponderExcluir
  4. Fico feliz por você tê-la mais perto e reverenciar seu sentimento enquanto há tempo, conheço vários que não fez isso enquanto teve oportunidade e amarga o remorso chorando o leite que já foi derramado.
    Curta muito , muito mesmo!
    Abraços amigo querido

    ResponderExcluir
  5. Quanto sentimento sendo jorrado de um coração docê de um amado palhaço poeta! Que Deus ilumine sua mente para que palavras iluminadas continuem sendo criadas de forma tão sublime e singela! Grande beijo!

    ResponderExcluir
  6. Da hora teu blog
    parabéns.
    Seguindo certo,me segue ai tbm.
    http://hiphopactivistface.blogspot.com/
    abçs
    @Ativista2

    ResponderExcluir
  7. uma bela homenagem à mãe, à todas as mães. ressalto: "Para u’a mãe a vida não tem pressa, estagna. É um barco fundeado em águas rasas onde as gaivotas moram. Mãe não tem uma vida pra dizer que é sua, mas tem muitas, diversas, em casa, no meio da rua ou por onde andar um filho que se diga seu..."
    ô bendita inspiração!!! fiquei me sentindo ainda mais mãe, ainda mais querida, por que me apropriei do seu texto, tá?
    beijocas

    ResponderExcluir
  8. Vim retribuir sua visita!
    O mundo dos blogs é viciante...

    ResponderExcluir
  9. Ah que lindo!
    Mãe é tudo de bom! Ai meu Deus assim eu choro.
    Me deu vontade de escrever para a minha....

    Esse amor é inexplicável.

    Obg por seguir/estar lá no meu cantinho.

    ResponderExcluir
  10. O texto do seu perfil sintetiza esse "ser poeta"...e você é. O post é desses que toca fundo, fala de perto, diz coisas que às vezes a gente não diz, adia, mas quando vê dito...lembra que é preciso, sim, externar tanto sentimento aos quais nem nome sabemos dá tantas vezes. Grata por deixar a pegada no Roxo.
    Beijos e parabéns.

    ResponderExcluir
  11. Olá poeta ainda bem que mãe sempre perdoa, melhor ainda quando sabemos o momento de pedir esse perdão.
    Muito bela a poesia, muito verdadeira.
    http://ursulinodecor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Olá menino
    Comovente texto. Quando nos reencontramos a vida toma um novo sentido.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  13. Linda homenagem a sua mamãe.
    Infelizmente eu não tive esse prazer, essa felicidade de ter minha mãe por muitos anos comigo.Ela se foi quando eu tinha apenas 5 anos.
    Cresci sem mãe e sem pai.
    E sempre digo aos que são abençoados pela presença de seus pais:Cuide deles, ame-os com o maximo do amor que tens pra dar...Porque sua falta nunca é suprida...Fica sempre um enorme vazio.
    Quando eles partem ainda mais quando partem tão prematuramente.
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  14. Mãe é sempre mãe.

    Vc sempre trabalhando as palavras como um artesão para nos presentear com o melhor.

    Seja sempre um bom filho!

    Abs!!

    ResponderExcluir
  15. Oi querida, passei para desejar uma boa semana.
    Adorei seu blog, estou seguindo vc e gostaria também de convida-la a ir conferir o meu blog e os meus vídeos, toda semana irei postar um novo vídeos da menina limão.
    Obrigada,
    fica com Deus,
    beijos

    ResponderExcluir
  16. A mãe, nosso templo divino. A mulher que, em seu ventre, nos possibilitou sermos o que somos hoje.

    Muito bom o texto
    continue com o trabalho
    parabéns

    ResponderExcluir
  17. Poeta,não consigo ler seu último post!Ele apareceu nas minhas atualizações mas não estou vizualizando no blog.Estou curiosa!!!!!Beijo no coração.

    ResponderExcluir
  18. Bom dia Silvio,

    Tuas palavras me trouxe a mente uma antiga lembrança, um pratinho portugues (esse de parede)que havia pendurado na casa da minha infância, nele havia escrito:

    "Com três letrinhas apenas se escreve a palavra mãe, é das palavras pequenas, a maior que o mundo têm."

    Uma grande verdade!!!!!

    Bjosss enSOLarados p/ ti e obrigada pela tua presença iluminada no meu cantinho.

    ResponderExcluir
  19. Que dádiva dos céus ainda ter em sua companhia o ventre que te gerou.

    Quisera eu poder gozar do mesmo.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite.

    Que texto maravilhoso, quem dera Silvio, que todos tivessem esse afago materno.
    A minha está viva, mas nem de longe se parece com a sua, que pena!

    Um beijo para vocês.

    ResponderExcluir
  21. Nossa!
    Como é bom ler algo assim.
    Sei bem do que sente, pois é o mesmo que tenho o prazer toda vez que estou perto da minha.
    Bjs

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.