quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

ELA, EU E VOCÊ...

Tantos anos se passaram e ele ainda pensa que o dia em que olhou no verde dos olhos dela a lágrima do adeus foi ontem.
Às vezes eu acho que ele é só saudade quando para espantar os seus fantasmas viaja à uma cidade distante e em uma praça sob as folhas secas que a árvore abandona se põe introspectivo. Eu, como que sentado ao seu lado o vejo como o vi na primeira vez; sem rusgas, mas também sem paciência para conversas vazias e sem por quês. Eu não gosto, aliás, nisso nós somos iguais, nunca aceitamos as pessoas que se fazem de vítima, porém no seu caso ele era a própria vítima de sua ausência, já que foi privado do amor e da amizade daquela a quem o seu coração ele entregou. Privado daquele ombro que já foi seu bem mais do que dela tinha sido. Dos papos que tinham na cama depois do banho e dos programas de televisão. Papos sobre gente e sobre o futuro que não tardou...
Tem momento que ele e até eu mesmo, se vê calmo e descontraído chegando a pensar que já não é o mesmo e que aos outros se mostra o que na verdade ele não é, pois o seu coração o obriga a isso e as pessoas acabam ficando sem entender o que a sua cara e o seu corpo mostram. Elas não entendem como ele mesmo não pode acreditar que a saudade e a tristeza criam em certas ocasiões essa distância entre o seu mundo e o dos outros. Eu sei como ele sabe das suas pretensões, porque foi criado para ter perto de si as melhores pessoas mundo. Nós dois somos meio fechados e por isso não abre a qualquer um a sua vida ou expõe a ele os seus sentimentos. Isso, definitivamente, não é nada fácil. Ele, em certos momentos se cansa quando nos outros tenta se reconhecer, mesmo sabendo que logo irá desistir já que todos se vão embora um dia, como ela, dele se foi deixando no seu peito uma ferida aberta que não sara. Ele já não sonha com mais nada e nem tão cedo almejará ter alguma coisa. Assim como não deu à mim e a ninguém a chance de sabermos se está feliz ou não, mas se insistíssemos ele diria que sim, que estava e é feliz, já que as palavras não valem nada, não comprovam nada, por serem leves como a pluma que o vento leva. De qualquer maneira eu poderia até jurar pela sua felicidade, porque ele dá valor a qualquer tipo de riso mesmo que seja de uma felicidade falsa ou passageira. É duro olhar para qualquer lado e não encontrar o verde dos olhos da mulher amada sorrindo pra você um minuto que fosse, já que essa felicidade valeria, como sabemos, por uma vida inteira. Só em pensar no que ele disse, até eu perco a vontade de sorrir, mas chorar ele também não chora e isto já é um progresso mesmo que a ele não traga nenhum orgulho. Tem momento que o tempo com ele se confunde e é nesse momento que ele até pensa ser a cor bonita de um domingo de setembro ou a tristeza de um dia de finados. Sempre que ele começa alguma coisa cria a necessidade de encontrar um final plausível para o que ele começou. Por isso antes que a semana santa o torne introspectivo para sempre ou termine como as flores da primavera no cair da tarde, ele precisa acreditar que não a perdeu como acredita o seu coração, mas que ele a tem a qualquer tempo em que esse mesmo coração chorar por ela, assim como você teria uma vida regrada e balanceada com muito amor e felicidade tal e qual o seu futuro jurou que seria seu.
silvioafonso

26 comentários:

  1. Ai.. ai... O amor ao mesmo tempo que nos traz dor, nos traz alegria não é mesmo? A dor do amor nos traz a certeza de estarmos cheios de vida. Como diz Mário Quintana: tão bom morrer de amor e continuar vivendo.

    Bjs.

    Malu

    ResponderExcluir
  2. Silvio,acredito muito no amor!Acredito no amor verdadeiro,daqueles que o tempo e a distância não são capazes de esfriar.Esse não morre e mesmo que as circunstâncias e as impossibilidades aparecam ao menos fica a certeza de ter vivido um grande amor! Privilégio de poucos...

    ResponderExcluir
  3. Nossa... É o texto mais lindo que já li...


    É belíssimo teu sentir, querido!!!

    ^_^• Fiquei emocionada...

    ResponderExcluir
  4. O amor traz com ele tantos outros sentimentos, traz a dor, o sofrimento, traz a alegria, a paixão, mas não queremos deixa-lo nunca.
    Vivemos em prol deste, é sempre assim...
    Com amor...

    ResponderExcluir
  5. O amor traz com ele tantos outros sentimentos, traz a dor, o sofrimento, traz a alegria, a paixão, mas não queremos deixa-lo nunca.
    Vivemos em prol deste, é sempre assim...
    Com amor...

    ResponderExcluir
  6. Por essa beleza que tens, dedico-te três selinhos de qualidade total do teu blog, tão lindo!!!

    http://diariodakiro.blogspot.com/2011/02/selinhos-roseira-ferida.html

    Com carinho...

    ^_^•

    ResponderExcluir
  7. Bela homenagem à vida e à suas vicessitudes:)

    ResponderExcluir
  8. Gostei do blog e ja estou te seguindo bjos;*

    ResponderExcluir
  9. Olha eu aqui acenando pra ti...
    Vim para ficar, e constumo voltar sempre que tem algo novo.
    até mais.
    E obrigada pela visita, volte quando quiser, só não demore muito!

    ResponderExcluir
  10. Adoro seus poemas... sempre tão lindos e intensos.
    Beijos meus e uma ótima quinta!

    ResponderExcluir
  11. Ah, o amor é tudo, não é mesmo? Seu texto é lindo e como é muito gostodso um blog com conteúdo do próprio blogueiro. Parabéns, pelos textos do "Palhaço e Poeta". O blog está lindo, encantador! Um abraço. Voltarei outras vezes.

    ResponderExcluir
  12. adorei aqui, obrigada pela visita, retribuindo vc... lhe seguindo tbm

    ResponderExcluir
  13. Silvio,

    Lindo e inspirador! Assim como os seus gentis poemas.

    Bjs.

    Erica

    ResponderExcluir
  14. Silvio querido!
    É preciso acreditar sempre no amor. É o nosso melhor combustível!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. O amor, em todas as manifestações é o que move o mundo, que o salva de tanta crueldade, iniquidade, individualismo e violência. No seio da mulher amada, no colo da mãe, no ombro do amigo, na solidariedade do desconhecido. O amor, incomensurável amor, só ele pra nos resgatar...

    ResponderExcluir
  16. É...
    que seria de nós poetas sem nossos
    sus
    pi
    ros?

    Mais um
    in
    dis
    cu

    vel
    belo texto... coisas só do Palhaço Poeta...

    ResponderExcluir
  17. Oi Silvio,
    saudades de vir aqui, de ler o que escreve.

    Eu acredito no amor, em toda a sua plenitude.
    O Amor é a mistura de vários sentimentos juntos e em excesso.

    bj

    ResponderExcluir
  18. Q lindo Silvio. Que sensibilidade . Vc é feito de poesia. Um grande bjo com muito carinho. Desculpe a ausência. não foi só aqui. Tenho tido uns contratempos. Mas adoro te ler viu? Acho seus textos fantásticos e super poéticos

    ResponderExcluir
  19. Q lindo Silvio. Que sensibilidade . Vc é feito de poesia. Um grande bjo com muito carinho. Desculpe a ausência. não foi só aqui. Tenho tido uns contratempos. Mas adoro te ler viu? Acho seus textos fantásticos e super poéticos

    ResponderExcluir
  20. Voce é explosivamente apaixonado e nao faz segredo disso...Que lindo!!!!

    ResponderExcluir
  21. Oi Silvio, amo poesias e amei seu blog,vim retribuir a visitinha e já estou te seguindo
    abçs

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.