domingo, 27 de junho de 2010

GANHAR OU GANHAR...

São11h58m de um domingo bonito de Copa do mundo e a Inglaterra, que teve um gol roubado dos seus esforçados jogadores, perde por 2x1 em uma bela partida de futebol, cujo placar final, no momento eu desconheço.
Estou ouvindo dizer que com um gol, também roubado, esta mesma Inglaterra ganhou uma copa, portanto, pau que dá em Chico, dá em Francisco e fica tudo do jeito que ficou. Eu não tenho ideia do ganhador desta contenda, mas que vença o melhor. Mais tarde os argentinos darão a cara pra bater e aquele que puder mais chorará menos. Amanhã seremos nós os sofredores. Ganhar ou perder faz parte do jogo, só o empate na partida não será possível. Sofreremos, eu sei, porque sabemos que competir é importante, mas ganhar é só para quem pode.
silvioafonso.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

   

RUMO À FAMA, CUSTE O QUE FOR...

Finalmente a alegria voltou à nossas vidas. Mulheres, crianças, pessoas de todas as idades e cultura, cor e credo, vibram em cada lance dos seus ídolos favoritos. Aceleram os seus corações com um chute torto com pretensão ao gol do adversário ou ao seu, e eu, aqui distante também torço por nossas cores mesmo me lembrando de nossas crianças e dos seus pais menos favorecidos pela sorte, que esquecem durante a copa e diante de uma TV, que necessariamente não é sua , de todas as suas, mazelas, tristes amarguras. Torcem pelo seu País. Este mesmo País que virou-lhe as costas nos momentos cruciais de suas vidas. Torce por uma terra que joga o jogos que melhor sabe jogar. Joga o jogo dos nobres, dos sábios de cultura e de riquezas em um campo coberto não de grama natural ou sintética, mas de suor e de lágrimas, de tristeza e esperança. Torcem pela vitória da melhor, da mais querida entre todas as seleções e sofrem com a possibilidade de não vê-la deslumbrar à vitória, vitória que eles desconhecem porque sentem na própria pele a dor dos derrotados...
Avante, Brasil! Vamos ao Hexa, porque o resto não interessa.

silvioafonso.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

O DOCE DO MEL ...

O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana. Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem as Mulheres!' Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam: A mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente. Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial. Flores também fazem parte de seu cardápio, pois mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.
Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso. Nã tolha a sua vaidade. É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.
Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.
Não faça sombra sobre ela. Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.
Mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.
.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

O TEU MUNDO EU ROUBEI PRA MIM...

Até pouco tempo eu trazia no meu peito um amor simples, bonito e verdadeiro. Eu o
guardava para a mulher que comprovasse entender o ser humano e o amor que nele vive. Que aceitasse no homem os seus momentos de ancião e os seus dias de menino. Que respeitasse as suas tristezas, exultasse nas suas alegrias e que habitasse com ele os seus sonhos. Que o visse como herói e mesmo convivendo com um idiota, como sábio o respeitasse. Que esquecesse a pedra rara que buscasse e que o deglutisse como o vinho que tira o tino e como o pão que dá razão.
Guardei-me, portanto, para você que embebedou-se da minha seiva. Caminhou pelos viés dos meus caminhos, cobriu-se com o estrelado manto das madrugadas, mostrou-se a santa das minhas preces e o motivo de todos os sentidos...

silvioafonso

sexta-feira, 18 de junho de 2010

O MELHOR DA FESTA, AINDA, É ESPERAR POR ELA...

Assim que terminou a festa, a turma, armada de vassoura e rodo, balde e pano de chão, entregou-se à limpeza. Abraços formais, sorrisos e a promessas de novas emoções, porque no domingo será contra a potentíssima Costa do Marfim.
O dia, que foi alegre, deu lugar à noite que não tardou. Casa vazia, em um canto, já esquecidas, a jabulani de todos os jogos e as vuvuzelas que ofenderam os meus ouvidos. Através das frestas da janela soprava, de leve, a brisa que tal qual a música bailava em torno das cortinas. Fiquei assim por um bom tempo contemplando o baile. Imagens da festa que povoaram a minha mente até que tudo voltou ao que era antes. Tomei um banho, coloquei de volta o meu sorriso e saí em busca dos comentários da partida...

silvioafonso

quarta-feira, 16 de junho de 2010

AINDA PULSAM AS NOSSAS CORES.

Eu reuni todos de quem eu gosto e com eles assoprei a vuvuzela. Passei em mim, da churrasqueira, o perfume do queijo coalho desnatado. Da picanha de pouca banha. Da asa de galinha caipira e da linguiça de porco cevado. Bebi pinga da boa, cerveja de todos os nomes. Soltei fogos, cantei hino, abracei idosos e crianças. Pulei, dei soco no ar, beijei a minha sogra no segundo de tantos gols e, quando eu esperava pela goleada você me toma um gol daqueles? E se você, minha seleção, tivesse jogando contra a da Alemanha, o que seria desta festa que eu, com tão pouco dinheiro, como tenho, consegui fazer?
Ah, meu Brasil brasileiro. Do mulato inzoneiro, por que me faz sofrer? Vê se muda, se entregue um pouco mais, inclusive, converse com o Luiz Fabiano e pergunte a ele, por que veio? Se pra fazer falta ou gols...
Ainda tenho tempo e posso usá-lo para comprar tudo, outra vez. Convidar os mesmos amigos e sorrir, como não sorri, na primeira vez.
silvioafonso

quinta-feira, 10 de junho de 2010

FALA SÉRIO...

No dia seguinte ao da comemoração mundial do orgasmo eu via alguns amigos bem dispostos, sem olheiras ou outros vestígios de que eles e suas esposas tivessem ido às vias de fato. Todos falam que o orgasmo pinta em cores vivas a felicidade na cara de quem os têm, mas estes não traziam em seus olhos o recibo de que tivessem, na noite anterior, gozado com a pessoa amada. E, como diz o Palhaço Poeta, palavras o vento traz e o vento leva, mas as atitudes, os exemplos é que não deixam que mintam. Talvez, quem sabe, eles não usem os pós maquiadores de suas caras metades para disfarçar as sombras que contornam os seus olhos? Mas neste caso quem passa a não entender mais nada sou eu, que em todas as manhãs vejo essas mesmas senhoras exultando de felicidade. É, foram palavras evasivas, pois a mesma maquiagem que teria retirado as olheiras dos meus amigos, pinta em suas mulheres a felicidade tão sonhada. Será que esses caras não estão vendo que enquanto o galo canta a galinha cisca e que fazer sexo de vez em quando seria bom pra eles, porque pra elas tem sido ótimo, já que fazem todos os dias.
silvioafonso
.................................................................Foto by Internet

sexta-feira, 4 de junho de 2010

VIDA CONFUSA...

Depois de um longo tempo ausente vejo que nesta mesa o meu lugar está guardado. Não sei se em respeito as minhas memórias ou porque ninguém se atreveu a questionar o teu coração. Quem sabe as lembranças da minha presença não te aprisionaram à saudade e a esperança da minha volta? E quem me afirma que no teu coração eu não estava mais presente que a saudade que de ti rouba o sorriso do teu rosto? De uma forma ou de outra eu estou de volta brindando com você como fazia antes enquanto eu contava as minhas histórias e tu, introspectiva, anuías com o que eu dizia. Sentados à esta mesa vagávamos no olhar um do outro como correm as crianças por entre flores coloridas. Agora eu preciso abraçar-te e se possível te beijar, mas não antes de saber de ti quanto tempo já passou que de tua vida eu parti, já que as horas não passam no coração de quem fica.
silvioafonso
...........................................................[Foto by Internet]

quarta-feira, 2 de junho de 2010

DESABAFO.

Esparramo as minhas letras como
grãos em terra fértil, de plantio,
já que o direito me é dado de
semear, plantar, talvez colher.
O que sobrar eu guardo em lugar
exato para evitar desacato a tudo
o que falei e as opiniões que eu
formei.
Fico triste, cansado e, sem pensar
me ponho de quatro na colheita da
semente desgarrada que na cova
desta terra se deita, agora.
Cato cada letra, cada verbo que
neste texto encerro sem formar
sentido, com palavras que não dizem
nada para certas pessoas ou que
as levem a lugar algum se ela está
só ou consigo, desacompanhada.
silvioafonso.